Viktoria Komova volta a competir


A vice-campeã olímpica Viktoria Komova retornou às competições internacionais com resultado bastante satisfatório. A ginasta russa de 19 anos de idade, saiu do Csanýi Cup, competição que rolou em Budapeste, na Hungria, com o ouro no individual geral somando 55.900 pontos, outro ouro na final de barras (15.150), ouro na trave (13.300) e uma medalha de prata no solo (13.400).

No primeiro dia de competição, onde foi disputado apenas a final do individual geral, Komova começou em sua especialidade, as barras, com uma ótima execução nos voos e pequenas falhas nas piruetas e lançamentos, alcançando um 14.600 (6.3 de D). Na trave, passou sem grandes problemas, com apenas um desequilíbrio considerável na aterrissagem de seu giro com perna a 180 graus, e onde optou por terminar a série de forma segura e sem riscos de lesão, com um mortal esticado vindo de dois flic flacs. Os únicos elementos da série olimpica de trave que ela não arriscou foram a saída de Patterson e o twist grupado (ou arabian), ambos elementos de alto grau de dificuldade e que podem forçar muito o tornozelo, local onde a ginasta passou por uma cirurgia no começo do ano. No entanto, sua série de trave teve uma novidade em relação às Olimpíadas: a volta do duplo giro ao invés da cortada simples. Com essa série, Viktoria arrancou um 13.600 da arbitragem (4.9 de D). A maior surpresa veio no solo, onde a ginasta apareceu com uma série simples, mas muito bem executada e com todas as exigências cumpridas, com apenas uma falha considerável no final da série: pisou com um pé fora do tablado na saída de duplo carpado. Viktoria mesmo assim obteve a segunda maior nota do solo da competição com um 13.400 (4.9 de D). No salto ela novamente optou por se poupar e não arriscar muito, saltando um excelente Yurchenko com uma pirueta com aterrissagem cravada e apenas sete décimos de descontos (14.300 de nota final).

A atleta contrariou as previsões de Valentina Rodionenko, que aguardava o retorno de Komova às competições internacionais apenas em 2015, mais provavelmente no Campeonato Europeu. Komova chegou a correr atrás da vaga de especialista para a equipe russa no Mundial desse ano, mas sua participação foi vetada pelos médicos, porque, segundo Andrei e Valentina Rodionenko, apesar da ginasta ter sido campeã nacional nas barras isso não era suficiente pra colocá-la na equipe. Viktoria não pôde participar do Mundial porque precisaria recuperar seu salto competitivo (um Yurchenko com dupla pirueta no mínimo) e sua série de trave com todas as exigências, sendo que a ginasta havia começado a treinar trave a apenas duas semanas antes do nacional, que aconteceu em agosto.

Confira os vídeos das séries de Komova nesse Campeonato!

Salto


Barras assimétricas


Trave


Solo


Texto de Stephan Nogueira.

Resultados Memorial Joaquim Blume 2014


O Memorial Joaquim Blume 2014 conheceu seus campeões no último sábado. O ucraniano Oleg Verniaiev e a espanhola Roxana Popa conquistaram o lugar mais alto do pódio. Sérgio Sasaki ficou no segundo lugar.

Vernieiv, mesmo com erros, continuou somando acima dos 90 pontos no individual geral, Isso prova, mais uma vez, que em uma competição sem erros, Verniaiev é o principal adversário do japonês Kohei Uchimura na atualidade. Sérgio Sasaki também teve rendimento um pouco abaixo do esperado no solo e na barra fixa, e acabou pontuando 88.250 para ficar com a prata. O bielorusso Andrei Likhovtskiy terminou na 3ª colocação com 87.150.

O americano Paul Ruggeri decepcionou um pouco nessa competição, terminando na 6ª colocação com apenas 81.900. O alemão Andreas Toba, apesar de terminar em quarto lugar, poderia ter somado algo além dos seus 83.850.

No feminino, Roxana Popa teve ótimas apresentações no salto, assimétricas e solo, deixando a trave a desejar. Popa precisa melhorar o treinamento psicológico, já que a ginasta sempre compete o individual geral com erros em pelo menos um aparelho. Mesmo com o erro, Popa somou 57.100, deixando a polonesa Martha Pihan com a prata, somando 54.950. Pihan teve a melhor trave do dia, terminando com a nota 14.100. A portuguesa Ana Filipa Martins continua trilhando o caminho do sucesso desde o Mundial e terminou a competição com o bronze. Filipa teve a 2ª melhor nota de paralela da competição, um 13.750. Agora é o momento certo para a portuguesa começar a dificultar mais suas séries e conseguir resultados ainda melhores.

A italiana Francesca Deagostini retornou às competições mas ainda se mostra um pouco fraca. Terminou a competição na 9ª colocação e sua melhor nota foi no salto, um 13.750. Oksana Chusovitina ficou na 5ª colocação com 52.400.

Confira os resultados completos!
Para assistir os vídeos da competição, acesse: https://www.youtube.com/user/javiercollados/videos

Ginastas brasileiros passam por cirurgias

O ginasta brasileiro Caio Souza passou por uma cirurgia durante essa semana. Julie Kim e, aparentemente, Isabelle Retamiro farão cirurgias hoje. Cumpridos os compromissos mais importantes do ano essa é a melhor hora para uma boa recuperação.

Caio Souza postou uma foto em seu perfil no Facebook logo após sair do hospital numa cadeira de rodas. Ao que parece, a cirurgia foi para reparar a lesão que tirou Caio das competições no Mundial.


Já Anita Rey, mãe da ginasta Julie Kim, postou uma foto da filha hoje no hospital e Julie parecia muito tranquila. A cirurgia de Julie será no cotovelo. Anita também mostrou solidariedade com a ginasta Isabelle Retamiro, que aparece em outra foto, dando a entender que Retamiro também passará por uma cirurgia.


Outras informações mostram que os ginastas das seleções estão cuidando das pequenas lesões para não terem problemas no ano que vem, ano mais importante do ciclo. O ideal seria todos os ginastas chegarem saudáveis no Mundial e conseguirem classificar uma equipe diretamente para as Olimpíadas. Para quem não leu um texto postado aqui no blog um tempo atrás, o evento teste acontecerá em abril de 2016, apenas 3 meses antes dos Jogos Olímpicos.

Sasaki e Letícia representam o Brasil no próximo fim de semana


Os ginastas Sérgio Sasaki e Letícia Costa representarão o Brasil na 37ª edição do Memorial Joaquim Blume. A competição terá lugar na Espanha, em Barcelona, no próximo dia 15 ás 16:15 (horário local).

Apesar de Sasaki e Letícia estarem na lista dos participantes a presença ainda não foi confirmada nos meios de comunicação da Confederação Brasileira de Ginástica. Se realmente estiverem presentes, o Brasil terá uma competição interessante pela frente.

Confira a lista dos ginastas inscritos!

GAM

Andreas Toba (GER)
Andrei Likhovtskiy (BLR)
Sergio Sasaki (BRA)
Christian Bazán (ESP)
Rubén López (ESP)
Alberto Tallón (ESP)
Rayderly Zapata (ESP)
Jim Zona (FRA)
James Hall (GBR)
Lorenzo Ticchi (ITA )
Oleg Verniaiev (UKR)
Paul Ruggeri (EUA)

GAF

Michelle Tim (GER)
Leticia da Costa (BRA)
Roxana Popa (ESP)
Laura Gamell (ESP)
Claudia Colom (ESP)
Georgina Hockenhull (GBR)
Francesca de Agostini (ITA)
Marta Pihan-Kulesza (POL)
Ana Filipa Martins (POR )
Ana Maria Ocolisan (ROU)
Ilaria Kaeslin (SUI)
Oksana Chusovitina (UZB)

Destaque para Oleg Verniaiev, Paul Ruggeri e Andrei Likhovtskiy no masculino e Roxana Popa, Oksana Chusovitina, Marta Pihan e Ana Maria Ocolisan no feminino. Ana Filipa Martins também pode ser um destaque. A ginasta cresceu bastante durante o ano e acaba de realizar uma participação histórica no Mundial de Ginástica. Filipa também conquistou uma medalha de ouro nas assimétricas na Copa do Mundo de Ginástica Artística realizada no último fim de semana na Colômbia.

Fonte: TAA
Informação graças à Mateus Henrique.

Resultados Copa do Mundo de Ginástica Artística 2014 - Etapa da Colômbia


No último fim de semana aconteceu a etapa da Colômbia da Copa do Mundo de Ginástica Artística. Essa é a primeira vez que um evento como esse é sediado pelo país e quarta vez no continente sul-americano. A Colômbia é um país que cresceu muito na ginástica nos últimos anos, principalmente na ginástica artística masculina, e a oportunidade de sediar eventos como esse é muito importante e estimulante tendo somente benefícios a acrescentar.

O Brasil esteve presente na competição com os atletas da ginástica artística masculina apenas. Os convocados foram: Diego Hypólito, Hudson Miguel, Henrique Medina e Ângelo Assumpção. Os ginastas conquistaram o lugar mais alto do pódio por 3 vezes: Diego Hypólito foi ouro no solo e no salto enquanto Henrique Medina foi ouro nas argolas.  Hudson Miguel também esteve presente no pódio da final de salto ao lado de Diego Hypólito, onde conquistou o bronze.

Os outros campeões dessa etapa foram: Jhonny Muñoz (COL) no cavalo com alças; Jossimar Calvo (COL) nas paralelas com um altíssimo 16.000; Nicolas Cordoba (ARG) na barra fixa; Yamilet Peña (DOM) no salto feminino; Ana Filipa Martins (POR) nas assimétricas; Isabella Amado (PAN) na trave e Mariana Chiarella (PER) no solo.

Todos os brasileiros se classificaram para as finais. Fora os resultados que terminaram em medalhas, Henrique Medina fez uma boa participação no cavalo com alças (7º) e barra fixa (8º); Hudson Miguel esteve presente nas finais de argolas (6º) e paralelas (5º); e Ângelo Assumpção nas paralelas (6º).

A próxima etapa da Copa do Mundo de Ginástica terá lugar em Stuttgart, na Alemanha, e ainda não é confirmada a participação da delegação brasileira.

Análise e resultados do Mundial de Ginástica Artística 2014 - Finais por aparelhos


Confira os resultados e análise das finais por aparelhos do Mundial de Ginástica Artística 2014.

MASCULINO

Solo

3 anos depois de sua última medalha, o brasileiro Diego Hypólito volta aos pódios de um Campeonato Mundial. De reserva da equipe ao posto de 3º melhor do Mundo, Diego considerou esse o melhor resultado de sua carreira fora sua primeira medalha de ouro em 2005. Pra quem pensou que o japonês Kenzo Shirai nunca erraria, sua performance dessa madrugada não foi dourada: apesar das piruetas mais limpas da atualidade, Kenzo terminou com a prata. A surpresa do dia, ainda mais depois da péssima atuação no ano passado, foi o russo Denis Ablyazin terminar com o ouro. Não que seja uma surpresa uma série como a dele ser do campeão, mas o bom desempenho que ele apresentou nessa final foi o que mais impressionou. Série para isso ele sempre teve, mas número de acertos...não.

Jacob Dalton quase conquista outra medalha para os Estados Unidos nesse aparelho. Com uma série muito limpa ficou apenas 0.1 atrás de Hypólito. Fora o espanhol Santa Zapata, todos os concorrentes tiveram excelentes performances nessa final.

Resultados completos: http://gymnasticsresults.com/worlds/2014/mag/af1fx.pdf

Cavalo com alças

Final disputadíssima, tendo o húngaro Krisztian Berki com campeão. Filip Udi conseguiu um excelente resultado para a Croácia conquistando a prata. Udi e Berki conseguiram as notas E mais alta da competição, seguido pelo também croata Robert Seligman, que acabou em 5º lugar. O francês Cyril Tommasone fechou o pódio em 3º lugar, um dos melhores resultados da carreira do ginasta. O britânico Daniel Keatings teve alguns erros grandes durante a série e, apesar de passar dos 15 pontos, terminou na última competição. Max Whitlock, compatriota de Keatings, era um dos principais candidatos ao ouro nesse aparelho, mas não conseguiu passar da fase classificatória.

Confira os resultados completos: http://gymnasticsresults.com/worlds/2014/mag/af2ph.pdf

Argolas

Com uma série limpíssima, o chinês Yang Liu conquistou o ouro nas argolas. Excelente em todas as posições e ângulos, Yang ainda cravou a saída. O brasileiro Arthur Zanetti terminou com a prata. Com uma série de 6.8 de nota de partida, Zanetti cometeu errinhos fora de costume: teve alguns balanços de cabo e não cravou a saída. Independente dos erros, Zanetti perdeu para uma série espetacular. A disputa pelo ouro era acirrada e o chinês levou a melhor. Fechando o pódio, outro chinês Hao You e o russo Denis Ablyazin empatados em 3º com 15.700. You teve uma série com nota de partida 7, a maior da final.

Essa foi outra final muito disputada. com a estreia do britânico Courtney Tulloch, que chegou a tirar 15.700 nas argolas na final por equipes, e com os já conhecidos Samir Ait Said (França) e Eleftherios Petrounias (Grécia). Nikita Ignatyev, da Rússia, fechou a competição com uma participação discreta de 15.266.

Resultados completos: http://gymnasticsresults.com/worlds/2014/mag/af3sr.pdf

Salto

Hak Yang Seon, ginasta da Coréia do Sul classificado em 1º para essa final, decepcionou errando os dois saltos na final. Seon tem os saltos mais difíceis e bem executados do Mundo e caiu nos dois nessa final. Deixou o ouro para o ginasta da Coréia do Norte Ri Se Gwang, que saltou uma reversão com duplo carpado com meia volta e um tsukahara com duplo mortal com pirueta. No segundo salto Gwang teve uma chegada forçada que machucou seu tornozelo, mas que não o impediu de levar o ouro. O ucraniano Igor Radivilov melhorou o desempenho na classificatória e levou uma medalha para casa. Radivilov acertou os dois saltos e terminou com a prata, enquanto o americano Jacob Dalton ficou com o bronze. O brasileiro Sérgio Sasaki terminou em 5º lugar, sem grandes erros, repetindo a colocação obtida no último Mundial.

Resultados: http://www.nanning2014gymnastics.com/iframe/gym/pdf/GAM002100_C73J_1.0.pdf

Paralela

Com uma série beirando à perfeição, Oleg Verniaiev conquistou mais uma medalha para a Ucrânia nesse Mundial. O ginasta pontou 16.125 para a conquista do ouro, com uma das séries mais agradáveis de se assistir dos últimos tempos, fazendo jus ao país que representa, mostrando que a escola ucraniana passa por dificuldades mas não está morta. Danell Leyva ficou com a prata, também com uma série muito boa, conquistando mais uma medalha para os Estados Unidos. Vale lembrar que Leyva foi campeão mundial nesse aparelho em 2011 e ainda se mantém entre os principais candidatos à medalha nas finais. O japonês Ryohei Kato fechou o pódio deixando o chinês Shudi Deng, maior nota D da competição (7.1) na 4ª colocação.

Resultados: http://www.nanning2014gymnastics.com/iframe/gym/pdf/GAM003100_C73I_1.0.pdf

Barra fixa

Epke Zonderland conquista mais um título para sua coleção, O holandês passou dos tímidos 15.600 que lideraram a classificação para um 16.225 na final. O japonês Kohei Uchimura não podia ficar sem conquistar uma medalha para a única final por aparelho que se classificou e terminou com a prata. Uchimura aumentou sua nota de partida para competir a final e obteve nota final de 15.725. Mais uma medalha para a Croácia nesse Mundial: Marijo Moznik foi o 3º colocado, aproveitando os erros de ginastas importantes que erraram, como o chinês Zhang Chenglong e o colombiano Josimar Calvo.

Resultados: http://www.nanning2014gymnastics.com/iframe/gym/pdf/GAM004100_C73I_1.0.pdf

FEMININO

Salto

6 anos depois de ser campeã olímpica, a ginasta norte-coreana Hong Un Jong sobe ao lugar mais alto do pódio novamente. Com sua Federação sancionada pela FIG, Jong ficou fora das competições por 2 anos. Imagina-se quantas medalhas poderia ter ganho nos Mundiais que se passaram, já que Jong mantém a execução de dois saltos que ainda estão entre os mais difíceis do código. A americana Simone Biles executou dois saltos quase perfeitos (os juízes deram 9.600 de execução em ambos) e levou a prata. Sua compatriota MyKayla Skinner conquista o que pode ser o maior resultado de sua carreira e termina com o bronze. Alexa Moreno (MEX), Alla Sosnitskaya (RUS) e Phan Thi Ha Thanh (VIE) tiveram erros grandes e saíram da disputa. Giulia Steingruber (SUI) e Claudia Fragapane (GBR) não erraram, mas a dificuldade baixa foi insuficiente para a conquista de medalhas.

Resultados: http://gymnasticsresults.com/worlds/2014/wag/af1vt.pdf

Barras assimétricas

Finalmente Yao Jinnan conquista sua tão sonhada medalha de ouro nesse aparelho. Competindo em casa, Yao Jinnan e Huag Huidan deram um show, conquistando o ouro e a prata nessa final alegrando o público chinês presente. A russa Daria Spiridonova consegui ser melhor que Aliya Mustafina e ficou com o bronze. Pouquíssimos centésimos atrás fica o Estados Unidos em 4º lugar com sua melhor "barrista", a ginasta Ashton Locklear. Apesar de não ter ganho uma medalha, Locklear tem a melhor paralela americana e pode assegurar sua vaga novamente no Mundial do ano que vem. A campeã européia Rebecca Downie (GBR) acertou sua série cheia de largadas e retomadas, mas acabou ficando na 5ª colocação.

Resultados: http://gymnasticsresults.com/worlds/2014/wag/af2ub.pdf

Trave

A pior final feminina do Mundial. Uma boa final de trave acontece quando todas as ginastas acertam suas séries e realmente vence que é a melhor. Entretanto, nem só de acertos se faz a ginástica, e o público pode se deparar com finais como estas. Simone Biles levou o ouro, acertando sua série de forma excelente. A chinesa Yawen Bae ficou com a prata, sendo que foi a primeira ginasta a competir na final. Pode ser que teria passado Biles caso competisse entre as últimas. A partir daqui, só erros, exceto pela japonesa Asuka Teramoto que terminou em 4º. lugar. Para se ter uma noção da tristeza que foi essa final, Aliya Mustafina ficou com o bronze com uma série que não cumpriu a exigência de uma sequência acrobática. Nem dá pra acreditar... Queda de Larisa Iordache (ROM), Ellie Black (CAN) e Yao Jinnan (CHN)... Desequilíbrios grandes de Kyla Ross... Definitivamente não foi uma final agradável.

Resultados: http://www.nanning2014gymnastics.com/iframe/gym/pdf/GAW008100_C73I_2.0.pdf

Solo

Como já era esperado, Simone Biles foi a melhor. Dificilmente Biles perderia esse ouro. A ginasta consegue executar uma série muito difícil com uma facilidade surpreendente. Larisa Iordache, com vários pequenos errinhos nas chegadas, conquistou a prata. Explorando a artisticidade e os elementos de dança do código de pontuação, Aliya Mustafina passou sua melhor série nesse Mundial e levou o bronze mais inteligente de todos. MyKayla Skinner passou muito perto de mais uma medalha nesse Mundial, e apesar de ter acrobacias muito fortes ainda peca um pouco nos saltos de dança. Vanessa Ferrari (ITA) também passou muito perto do bronze, mas a ginasta parece não se importar com as novas exigências artísticas do código atual. Talvez isso tenha tirado a medalha da ginasta nessa final... Decepção: queda da ginasta Claudia Fragapane. Surpresa: a australina Larissa Miller com seu melhor resultado individual, terminando em 6º lugar.

Resultados: http://www.nanning2014gymnastics.com/iframe/gym/pdf/GAW001100_C73I_2.0.pdf

Foto: Site Oficial Mundial 2014

 
Gym Blog Brazil © 2012 | Designed by caioflorindo.com