• Maior rival de Nadia Comaneci trabalhará com Oleg Ostapenko no Brasil



    Nellie Kim foi a maior rival da romena Nadia Comaneci, soma cinco medalhas de ouro olímpicas e é a atual presidente do Comitê Técnico de Ginástica Artística Feminina da Federação Internacional de Ginástica (FIG). A partir de agora, ela será também consultora do projeto da fundação LiveWright para desenvolver a ginástica brasileira no Paraná ao lado de Oleg Ostapenko.

    A ex-ginasta soviética, nascida no atual Tadjiquistão, é uma das responsáveis por estabelecer as regras atuais do esporte. Ela foi contratada para orientar o projeto do Centro de Excelência de Ginástica (Cegin), em Curitiba, que já serviu de base para a seleção brasileira permanente e agora viverá nova fase de novo sob o comando do ucraniano Oleg Ostapenko.

    A ideia como um todo será apresentada nesta terça, em São Paulo. O treinador responsável pela ascensão de Daiane dos Santos voltará ao país a convite da LiveWright, ONG capitaneada pelo milionário empresário João Paulo Diniz e outros entusiastas do esporte, que pretendem incentivar o setor até os Jogos de 2016.

    Ao contrário de Oleg, que morará no Brasil, Nellie Kim seguirá cumprindo suas funções de cartola normalmente. Eventualmente, virá ao país acompanhar e orientar o desenvolvimento do projeto, na função de consultora.

    “Estamos falando de cinco medalhas de ouro olímpicas. O papel dela na FIG hoje é muito importante. Ela que define as regras que serão aplicadas no esporte. Ela vai nos auxiliar nesse aspecto, porque ela sabe tudo disso”, disse Eliane Martins, secretária-geral da Federação de Ginástica do Paraná (FGP), que é parceira da LiveWright no projeto.

    Nellie Kim viveu seu ápice nas Olimpíadas de Montreal, em 1976, ao lado de Nadia Comaneci. Na mesma competição em que a romena, considerada a melhor do esporte em todos os tempos, conseguiu a primeira nota dez da história dos Jogos, a então soviética foi medalha de ouro três vezes.

    Kim venceu no solo, na competição por equipes e no salto, deixando Nadia Comaneci com a prata nas duas primeiras. A romena deu o troco ganhando na competição individual, nas barras assimétricas e na trave, deixando a rival com a prata na primeira.

    Como dirigente, Nellie Kim foi responsável pela implantação do novo código de regras de ginástica, em vigor desde 2006.

    Fonte: uol.com.br/esporte/ginastica
  • You might also like

    11 comentários:

    1. Será que agora com todo esse investimentos teremos um novo UP na Ginástica Brasileira? Já estava na hora de começar a se coçar porque uma ginasta para 2016 não se faz da noite pro dia, o Brasil tem muito trabalho pela frente para não passar vergonha em casa tanto em termos de estrutaura para treinamentos quanto estrutura fisica para as competições. Vamos ficar na torcida!!!

      ResponderExcluir
    2. Meu Deus, agora sim estou sentindo confiança, estou ancioso agora e pra 2016.
      Gente vamos Torcer pra que td essas equipes que foram contradas para revelar novos talentos, darem certo.

      Uhuuu Nellie Kim ajudando o Brasil, quem diria.
      Nadia deve estar Roendo as unhas de raiva.

      ResponderExcluir
    3. sei que posso parecer ignorante... Mas o que é um cartola?

      ResponderExcluir
    4. Acho que deveriam sim era criar mas centros em todo Brazil . Só em um estado não é suficiente !!

      ResponderExcluir
    5. Outra excelente notícia....como dizem aqui no RS: "TAVA NA HORA QUE ELES SE ESPERTASSEM FORA"...... Mas concordo com o que foi dito pelos amigos acima, não é suficiente criar centros apenas em um estado, isto precisaria ser massificado em todo o Brasil...

      ResponderExcluir
    6. Aqui em Pernambuco por exemplo, temos bons ginastas, bons professores, mas não temos uma boa estrutura. Temos ginásios contados a dedo e pouca aparelhagem. Quando eu treinava eu não sabia nem o que era e como era uma argola, os aparelhos masculinos não tinham todos. Já treinamos a nível de nacional e tudo mais, mas sem estrutura não anda não é mesmo?!
      Tem que ver isso em...

      ResponderExcluir
    7. Acho bom mas insuficiente, todas as ginastas vão se matar pra ir pra Curitiba, a não ser Daniele e Jade e todo mundo já sabe o porquê. Deveriam trazer mais técnicos e implantar projetos como esses no nordeste e no norte principalmente. Quantas Ana Cláudias e Merlys não estão desperdiçadas em lugares onde a ginástica não tem apoio?

      Na verdade acho que isso vale pra todo esporte no Brasil né?! ainda maiss para um país que vai sediar olympic games e quer ser potência no esporte.

      ResponderExcluir
    8. É uma boa notícia, mas uma pena que a mentalidade da cartolagem do Brasil não muda... O investimento do projeto só vai até 2016 (ou seja, faz a Olímpiada do Brasil para "inglês ver" e depois volta tudo como estava... e isso em todos os esportes, não apenas na ginástica!
      Cartolas são os dirigentes esportivos vinculados ás confederações dos esportes. Por exp, Luciene Resende, Eliane Martins e Vicélia Florenzano; mas não faço idéia porquê atribuir esse nome aos dirigentes.

      ResponderExcluir
    9. Eu li que o Oleg queria ficar até 2020...
      Mas ai alguem teria que bancar, já que o contrato dele com esta empresa vai até 2016. A menos que ele renove o contrato...

      ResponderExcluir
    10. lembro bem das disputas entre nadia e nelly, minha tia gravida colocou o nome de nelly kim na filha... fantastico...

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.