• Análise do primeiro dia das classificatórias masculinas

    Texto de Igor Almeida, correspondente do GBB em Tóquio.



    Japão a (quase) todo vapor

    Equipe japonesa é e sempre foi umas das melhores do mundo. Uma ginástica que reflete toda uma cultura á perfeição e aos detalhes. Em um documentário da TV japonesa que pode ser visto no youtube (http://www.youtube.com/watch?v=BNmJxEIVh-o), foram dedicados 8 min para explicar e apreciar a beleza de uma "parada" considerada perfeita, além de outros movimentos. Este é um exemplo de como a cultura japonesa em geral distingue o que é excelência. Os atletas japoneses que competiram hoje, apesar de reafirmarem sua posição de potência no esporte, reconhecem que não foram os melhores. Especialmente na luta de sair da sombra de runner-up China. Eles vão precisar voltar aás suas raízes, sendo pacientes e mantendo a tranquilidade; afinal, eles tem tudo que precisam para serem, de fato, a melhor ginástica masculina do planeta.

    Uchimura: o super-hiper-ultra man

    Seu 1º título mundial o trouxe ao estrelato. Em seu 2º, tirou qualquer dúvidas de sua supremacia e ratificou sua condição de "superstar" da ginástica. Este ano todos já reconhecem que Uchimura só perde para ele mesmo. Uma queda no salto logo na 1ª rotação com certeza não estava nos planos. Porém, o que para muitos virou motivo de especulação sobre sua capacidade de se manter no topo, passou despercebido ao próprio. Ao final das 5 rotações seguintes era difícil lembrar que ele havia tido uma queda, tanta foi a perspicácia e confiança. O público aplaudiu, gritou, comemorou e se maravilhou com as performances impecáveis de um ginasta que vai entrar para a história. Um ídolo que com certeza está inspirando e dando exemplo para uma futura geração de campeões.

    Orozco: a juventude que prevalece

    Enquanto todos se focavam na briga entre Leyva e Horton, John Orozco fez o que aprendeu desde cedo: lutou por um sonho. Este ginasta surpreendeu á todos, não apenas pela sua colocação final, mas pela sua determinação. Para os que assistiram ao vivo, podia se notar que Orozco passa, com bastante veracidade, sua humilde. Não pelo fato de ter nascido no Bronx ou vir de uma família humilde, mas por, talvez, respeitar o esporte e seus adversários. Comemorações discretas, alegria serena. Era como se ele não soubesse o quanto era bom. Acho uma característica admirável e, sem dúvida, carismática. Não sabemos o que será de suas performances na final, mas ele ganhou o respeito e o reconhecimento por seus méritos esportivos e por sua personalidade.

    Ucrânia é Ucrânia

    As linhas ucranianas vão do feminino ao masculino sem perder nenhum centímetro da beleza que permeia a sua técnica. Mykola Kuksenkov e Oleg Stepko mostraram porque a ginástica é um esporte tão bonito de se assistir ao vivo, e também um dos motivos pelo qual todos deveriam lembrar e agradecer ao inventor do slow motion.

    A volta do Dragulescu

    Sempre me perguntei porque a ginástica masculina da Romênia nunca foi destaque como a feminina. Dragulescu é um bom exemplo a ser seguido neste país que tem talentos, e muitos, mas que não se mantêm. O retorno de Dragulesco aos tablados mostra sua seriedade e vontade de ajudar a seleção de seu país. Saltou o que tinha, voou o que pode, e liderou um time que parecia meio desorganizado. Koczi fez seu papel muito bem, mas Dragulescu tem algo especial.

    Brasil: rumo ás Olimpíadas

    Um momento por favor... Antes das opiniões precipitadas sobre as chances do Brasil terminar entre os 8 primeiros, é importante analisar o significado da performance de hoje. Em Atenas e Pequim, tivemos 1 ou 2 ginastas representando a ginástica masculina apenas. Ao mesmo tempo, a ginástica feminina se tornava potência emergente. A mídia, o público e tantas outras pessoas nunca acreditaram na evolução da ginástica masculina brasileira. Diego Hypólito era visto praticamente como um milagre. Sua falha nas Olimpíadas foi criticada justamente pelas pessoas que "já sabiam que não ia durar". O fato é que o Brasil evoluiu e preparou a base para colher os frutos, mesmo sem o mesmo apoio ou visibilidade do feminino. Distribuiu suas capacidades em vários ginastas e o mais importante: trabalhou como equipe. O Brasil pode não terminar entre os 8, mas com certeza serão favoritos em janeiro. Isto, por si só, representa uma conquista histórica: a confiança de que é possível.
  • You might also like

    8 comentários:

    1. o que o brasil fez foi historico. veja q apenas paises de renome na ginastica, tradicionais ficaram na frente neste dia 1. entao a mag cresceu demais. e pra mimfoi um sonho de infancia que carreguei ate hj e vi realizado com esta selecao, graças a esta conquista.
      texto perfeito, vc disse td, a mag nunca teve o apoio q a wag teve, cresceu sozinha e por meritos proprios. num outro texto do lucas foi dito da dificuldade geral da ginastica aqui no brasil assim como a ma direcao da cbg, enfim esse blog cada vez mais perfeito e dizendo o q muitos pensam,
      parabens

      ResponderExcluir
    2. Gostei muito da postagem, e do comentário do "Marquinho". Parabéns rapazes, mandaram mt bem (: Eu não to conseguindo acessar o link sobre o documentário japonês, alguém conseguiu?

      ResponderExcluir
    3. A equipe brasileira foi muito elogiada pelos comentaristas internacionais, principalmente pela alegria dos ginastas quando o companheiro estava se apresentando. Ficamos numa classificação ótima. Todos sabemos que uma final agora não era o objetivo e nem viável. O evento-teste ano que vem é pra mostrar o quanto evoluímos. Boa sorte Brasil para o evento-teste e para as Olimpíadas!

      ResponderExcluir
    4. Nossa cada dia amo mais esse blog. Qunado eu soube que o Brasil yinha acabado em sexto meu coração saltou de alegria podemos ñ garantir a vaga já este ano mais o ano que vem se os menitos fizerem oq fizeram nesse mundial a vaga é nossa. E acho que esse ano ñ da pro diego ñ o romeno arrasou no solo acrobacias altissimas chegadas dificies de irar pontos. Mais a ginastica é uma caixinha de surpresa né ninguem sabe de nada até o ultimo ginasta atrisar na ultima acrobacia prova disso é o própio Diego né

      ResponderExcluir
    5. Estou muito orgulhosa da equipe masculina. Estou torcendo muito para o Diego, apesar de ser muito fã do Marian.

      E o Kohei eu nem sei o que falar. A ginástica dele fala por si só! Eu sou apaixonada por ele.


      Abraços Laryssa.

      ResponderExcluir
    6. A maior decepção no masculino sem sombra de dúvidas foi o Emim Garibov !!
      Se apresentou muito nervoso e teve quedas !Ele seria o grande adversário do Uchimura .

      ResponderExcluir
    7. nastia liukin vai competi em londres 2012

      http://www.intlgymnast.com/index.php/headlines.html

      ResponderExcluir
    8. A respeito do post anterior!
      Foi dito tudo!!
      Temos muitas ginastas boas e muito talento desperdiçando. Isso é triste.
      E um desabafo que gostaria de fazer aqui:
      No pan do Rio os brasileiros mostraram o quanto se identificam com a Ginástica Artística, porém a mídia dá o mínimo de espaço ao esporte.
      A popularização dos nossos atletas teria um peso positivo enorme para a qualidade das equipes. Como exemplo os EUA, lá é um dos esportes mais queridos e dessa forma conseguem patrocínios mais forte, encontram atletas de qualidade, além de uma cobrança mais dos próprios americanos para que suas equipes estejam fortes. Eles valorizam o esporte!
      Fiquei chocada em ver globo esporte na segunda, onde eles usaram todo o tempo do programa em futebol, enquanto acontece um MUNDIAL de ginástica, que só teve 1 min de matéria. EI, é um programa de ESPORTES e não de FUTEBOL, temos outros atletas lutando pelo país.
      Enfim, a Ginástica Brasileira teve uma alta poucos anos atrás e é difícil ver que não se manteve.
      Muita coisa precisa mudar, vamos esperar e torcer muito.
      Graças a Deus, os meninos foram melhor e trouxe alegria pra gente!
      Boa sorte aos que se classificaram pras finais.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.