• Campeonato Mineiro de Ginástica Artística 2011



    Finalmente terminei de postar os vídeos do Campeonato Mineiro de Ginástica. Estive presente no campeonato esse ano e trouxe vídeos e meu parecer sobre o campeonato. Dei liberdade à todos os que acompanham o blog, e que pudessem acompanhar os campeonatos estaduais, para que me mandassem o parecer sobre o campeonato estadual do estado em que esteve presente, incluindo vídeos, fotos, etc. Um leitor já fez isso, e foi bem interessante. Sempre que eu puder eu farei isso também, e deixo claro mais uma vez que, se alguém tiver o interesse e puder fazer isso, será completamente bem-vindo.

    O Campeonato Mineiro aconteceu no ginásio do Minas Tênis Clube, em setembro. A estrutura física do ginásio do Minas me fez acreditar que o clube possui um dos melhores ginásios do Brasil. O ginásio possui aparelhos importados e um bom fosso, além de ser climatizado. Por motivos pessoais, a presidente da Federação Mineira não esteve presente no campeonato. Apesar da idade já avançada, Therezinha Bonfim é muito dedicada e sempre está presente em todos os campeonatos. É uma das presidentes mais antigas da CBG, senão a mais. Achei o campeonato bem interessante, principalmente nas categorias de base. A ginástica de Minas é uma ginástica que será bem vista daqui a alguns anos. Ainda faltam investimento e parcerias, até mesmo da FMG com a CBG. Sediar grandes campeonatos seria interessante para colaborar com a expansão do interesse pelo esporte no estado e, consequentemente, aumentar o número de crianças praticantes e possíveis patrocinadores. Participaram do campeonato as entidades: Minas Tênis Clube, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), FUTEL e Projeto Caixa. Abaixo o meu parecer sobre cada um dos representados.

    MINAS TÊNIS CLUBE



    Feminino

    Recentemente, o Minas Tênis deu um grande passo no sentido de melhorar a ginástica feminina do clube: contratou o ex-técnico da Academina Yashi, Alexandre Canton. Mais ou menos na época da chegada da seleção permanente, Alexandre deixou o Brasil e passou alguns anos nos EUA, trabalhando com a ginástica. Ao voltar, acertou contrato com o Minas e já faz mais ou menos um ano que está por lá. Ale fez parte da história de ginastas como: Marília Gomes, Stefani Salani e Milena Megumi. O Minas contratou, também, a técnica Cynthia Fernandes, que também é muito boa e já passou pelo Centro Olímpico de São Paulo. Infelizmente (e mundando um pouquinho o assunto), um pouco depois do campeonato, Cynthia sofreu uma grande perda: a mãe dela e o filho faleceram em um acidente de carro. Aproveito a oportunidade para solidarizar os meus sinceros votos de superação para uma dor que eu desconheço. Muita força e fé pra ela!

    Apesar de contar com renovações na equipe técnica, o Minas ainda não possui um atleta expressivo no feminino. Penso que a intenção dos técnicos é trabalhar a base com as pequenas, para que daqui a alguns anos essas mesmas representem bem o clube. As atletas que tem idade juvenil/adulta pra competir, apresentam uma ginástica de boa, mas longe de suficiente para a elite. Abaixo, vídeos da melhor ginasta juvenil do Minas, Emily Andrade, que também foi campeã do campeonato.





    Masculino

    O Minas também investiu na ginástica artística masculina, contratando o famoso técnico cubano Antonio Gonzalo Perez Lameira. Entre outras coisas, Gonzalo já treinou a seleção brasileira de ginástica, e isso fala por si só. Ele é muito bom treinador, já tive aula com ele e sei que ele entende muito de ginástica. De acordo com o que vi no campeonato, tenho o mesmo parecer do feminino para o masculino do Minas: o investimento está nas categorias de base. O campeão infantil foi Bernardo Actos, que já foi medalhista em campeonatos brasileiros da categoria. Esse com certeza não dá pra esquecer! Se o trabalho com Bernardo continuar como está sendo feito, arrisco dizer que ele é um futuro componente da seleção brasileira. O ginasta possui uma linha impecável! É impossível não chamar a atenção de quem está no ginásio assistindo. Comprove!







    O clube também competiu no juvenil. Competiram com dois ginastas, que foram os únicos da competição. Os ginastas são bons, mas ainda falta muito para o nível de elite. Confira!





    UFMG



    Feminino

    Fiquei bastante impressionado com o trabalho desenvolvido pela UFMG. Impressionado com todas as letras. Pude assistir o treino dos atletas um dia antes do campeonato no ginásio da universiadade, e logo percebi que as condições de treino não são boas. O ginásio é apertado, a pista de salto é pequena (nem sei como as meninas conseguem saltar correndo tão pouco!), não possuem um tablado oficial e nem um fosso. Os aparelhos são bem razoáveis, e a cama elástica, por exemplo, estava estragada. Fiquei sabendo que o pessoal teve um projeto aprovado pelo governo no valor de 2 milhões de reais, o suficiente para dar um jeito em tudo isso. Mas, infelizmente, não conseguiram quem patrocinasse o projeto. Soube que das centenas de projetos aprovados no ano passado, uma média de 70 conseguiram patrocinadores, sendo que uma média de 25 conseguiram o valor integral do projeto. É uma pena as empresas não conheceram essa lei governamental, que dá o aval para as empresas utilizarem os valores dos impostos para financiamento dos projetos.

    Independente das condições de treino, o que vi para todo lado foi muita perna esticada e uma preocupação constante com postura e encaixe corporal. E a consequência disso? Tkatchevs, jaegers, endos e trocos para todo lado! Isso porque a ginasta mais velha tinha, se não me engano, 12 anos, sendo que treinou ginástica apenas nos últimos 2. Vi treinos de sequências como: endo + endo com 1/2 volta + tkatchev, ou stalder + giro com troco + tkatchev, giro com meio troco + jaeger, trocas de barra, saídas em duplo...Pensei que as meninas ia "muer" no campeonato do dia seguinte, o que não aconteceu. As garotas ainda tem um psicológico um pouco abalado para competição. Não fizeram metade do que fizeram no treino que assisti, salvo algumas séries e exceções. O destaque ficou por conta de Yowska Yolanda (a multi medalhista da foto), campeã da categoria pré-infantil e prata na categoria infantil.

    Yowska na paralela



    Yowska no solo (coreografia bem expressiva)



    A ginasta do vídeo abaixo foi uma das que teve a performance mais decepcionante. O nome dela é Beatriz e ela tem 12 anos. Vi ela treinando no dia anterior, facilmente, as largadas jaeger e tkatchev, além de outros exercícios em treino, como passagem de mortal esticado para a barra baixa, além da saída em duplo esticado. Na hora da competição a série foi muito ruim, como vocês mesmo vão verificar. A série foi bem simplificada pelo técnico, porque já no aquecimento ela estava "amarelando". Se atentem ao que ela acertou e vejam a importância desse vídeo: mostrar que é possível ter exercícios difíceis em uma série de paralela, mesmo treinando num ginásio eom condições ruins!



    Eu gostei demais das pequenininhas, as menorzinhas mesmo, as que tem muita água pra remar. Infelizmente não filmei nada, mas tem muitas fotos legais delas aqui. Confiram!

    Olha a altura desse salto wolf!



    Linha de pernas muito linda!



    Pose inicial!



    Fofinhas, não??? Adicionem o profile da Ginástica da UFMG no Facebook. Direto são postados vídeos de treino das ginastas e vocês podem conferir tudo que eu falei aqui. Aqui vai o link: http://www.facebook.com/profile.php?id=100003209317301

    Masculino

    Os pequenos ginastas da UFMG também estão sendo bem cuidados. Ainda não existem ginastas na categoria juvenil e adulta, mas os pequenos estão sendo muito bem preparados para isso. O técnico é Francisco Azra, que já fez o curso nível 2 da FIG e está partindo para o 3º e último. Francisco tem uma dedicação notável pelos pequenos e está plantando um ótimo trabalho para futuramente colher ótimos frutos. Assista abaixo a série de solo do ginasta Mateus Camilo (o campeão pré-infantil multi medalhista da foto) e a série de barra de Gustavo Moreira (vice-campeão pré-infantil).





    Mateus e Yowska, campeões pré-infantil. Mateus é, também, campeão brasileiro pré-infantil 2011.



    Mateus na paralela





    Um vídeo de treino do pequeno Mateus, postado recentemente!



    PROJETO CAIXA



    Masculino e feminino

    Se a intenção da CBG com os Centros de Excelência da Caixa é garantir uma popularização do esporte, uma prática esportiva saudável, um maior número de praticantes da ginástica artística, uma boa socialização, uma possível detecção de talentos e, por fim, envio de ginastas aos grandes clubes, parabéns! O objetivo é completamente cumprido e realizado. Agora, se a intenção do projeto é realizar algo maior que isso, os objetivos estão bem longe e praticamente impossíveis de acontecer. Os aparelhos usados nesses centros são bem fraquinhos! Muito difícil aprender um exercício de alta dificuldade. Fiquei feliz e achei legal a participação do Projeto Caixa no campeonato, mas a performance dos atletas na competição não puderam ser nada mais além disso: uma participação.

    O garotinho abaixo, nem um técnico homem tinha...Percebi que as técnicas treinam o feminino e o masculino.



    Essa garotinha era a melhor da equipe...



    FUTEL



    E equipe da FUTEL contou com a participação de algumas ginastas no feminino e apenas um ginasta no masculino. Não possuo vídeos do ginasta em questão, mas posso dizer que o ginasta em nada atraiu minha atenção. A equipe da FUTEL apresenta uma ginástica intermediária e, como não percebi um trabalho de base bem feito nas pequenas, penso que é nesse nível que ela vai continuar por um bom tempo. Apesar de ser intermediária, as ginastas da categoria juvenil (as melhores do clube em questão) aprensentaram bons exercícios isolados, como a reversão sem mãos na trave, da ginasta Bruna Oliveira. A outra ginasta, Luisa Rodrigues, apresentou uma coreografia de solo bem expressiva.

    Bruna na trave









    ARBITRAGEM



    Fiquei decepcionado com a foto em questão. Reparem na setinha preta. A juíza me pareceu relaxada demais para estar arbitrando um campeonato de ginástica. A atitude, para mim, foi um pouco desrespeitosa com as ginastas e com o campeonato em si. Não estou querendo julgar, mas quem vê um juiz arbitrando assim e consegue sentir total segurança e credibilidade? Ocorreram dois erros no campeonato por conta da arbitragem: foram dados 30 segundos de aquecimento na paralela feminina, ao invés de 50 e, aparentemente, o salto cadete com meia volta (???) da ginasta Emily Andrade na trave, foi considerado. Assistam ao vídeo, na parte do post em que falo do Minas Tênis, e confiram se vocês validariam o salto).

    O Campeonato Mineiro de Ginástica Artística ocorreu de forma bastante tranquila. Estou no aguardo da edição do ano que vem. Quero continuar acompanhando essa ginástica de perto. Acho que os pequenos ginastas ainda podem crescer muito. E vão dar o que falar!
  • You might also like

    17 comentários:

    1. nossa que super post!eu nao li ainda mas ja vi que ta muito bom.

      ResponderExcluir
    2. Muito bom o Post , quem sabe um dia vamos ver essas ginastas nas olìmpiadas já^^, essa menina tem o tkatchev mais alto do Brasil.... Espero que cuidem bem dela e evoluam ela cada vez mais.... não só ela como as outras tbm.

      ResponderExcluir
    3. Dois meses depois desta competição, o ginasta Mateus Camilo da UFMG foi campeão brasileiro pré-infantil em Goiânia.

      ResponderExcluir
    4. Muito legal a matéria! Já que estão sendo espalhados centros de excelência caixa pelo Brasil, eles podiam no mínimo fazer uma boa base! Ia ajudar muito! Por mais que os aparelhos sejam ruins, eu acho que dá pra fazer uma boa base... Conheço gente que dá treino em lugar que só tem sarnege, não tinha nem parelela, nem mesa de salto, era tudo improvisado, e a base das meninas era maravilhosa!

      ResponderExcluir
    5. Gostei muito do post, Cedrick! É bom saber que nossa ginástica artística não está totalmente perdida, levando-se em conta que nosso estado ainda não é visto como um dos celeiros de talentos do esporte nacional, embora acredite que esse paradigma será em breve posto abaixo. Fiquei muito contente ao ver que o nível da nova geração mineira está em bom nível e apresenta-se bastante promissora, além de muito bonita!
      P.S.: Adorei saber que o trabalho na paralela da GAF está talvez melhor que o feito pelos grandes clubes de SP, RJ, PR e RS, principalmente por se tratar de um aparelho tão técnico e exigente!

      ResponderExcluir
    6. Não consigo entender por que a ginastas juvenis e infantis do Flamengo, do GNU, do Cegin, da Yashi, do Pinheiros e do Serc não treinam exercícios difíceis assim nas paralelas como as ginastas de MG... Sinceramente, é até confuso, porque a seleção de base é formada integralmente por ginastas desses e de outros clubes dos 4 estados.

      ResponderExcluir
    7. Queria saber onde posso encontrar os resultados completos do estadual de MG.
      Obrigado pelo post e pela atenção!

      ResponderExcluir
    8. Quanto desrespeito não -.- mais na questão de valer ou não elementos em sc é muitooo pior infelizmente ... temg ente um alto grau de dificuldade de salto como yber duplo e etc.. que cai direto de bunda e mesmo assim é considerado =x

      ResponderExcluir
    9. Excelente post!! achei legal a força que os ginastas davam para os seu amigim!! uahuahuahha

      ResponderExcluir
    10. A única trave um pouco melhor foi a da menina que no solo usa a música da Shawn, o resto...
      Elas vão representar o Brasil em 2016???

      ResponderExcluir
    11. Minas comecou uma renovacao agora em 3,4 anos atras apenas, ainda vaid emorar mais uns 3 para eles voltarem para o alto nivel novamente.

      Depois que o trio demitido dos irmaos K&K e o gordo do Eduardo, puxaram o caixa dois e secaram com o esporte, conseguiram brincar de fazer trampolim e deu certo. Mas no fim acabaram nao so com o trampolim como com a ginastica. tanto que contrataram atletas para o trampolim e nao levaram a equipe feminina no mundial. ENFIM!

      ResponderExcluir
    12. Nossa Muito bom o Post...
      É bom ver a ginastica crescendo em todos os estados do Brasil.
      E quanto a a arbitra descalça foi um pouco estranho, nunca vi isso...hehe, mais vamos ressaltar também que foi falha da organização nao fornecer as bancas que geralmente vem com as toalhas longas até o chão e pelo certo nem apareceria dai.

      ResponderExcluir
    13. Bem leal esse poster.

      Acho que o nervosismo pesa muito para tão pouca idade as mais velhas ja sentem o peso da ginastica enquanto os mais novos ainda fazem ginastica só por diversão tomara que algum deles participem de campeonatos internacionais e consigam ajudar o Brasil na ginastica

      ResponderExcluir
    14. post muito bom!
      espero ver esses pequenos um dia levando o brasil ao topo de novo.

      ResponderExcluir
    15. Antes de tudo parabéns pelo Blog, particularmente tem contribuído significativamente para eu conhecer melhor a ginástica artística no país. Queria comentar sobre a arbitragem, muito bom este cuidado, porém, nossa situação aqui no Pará é catastrófica, nossos árbitros não têm cursos de arbitragem e muitos deles sem nenhum aprofundamento técnico, geralmente a escolha é baseada no conhecimento de ex-atleta da ginástica e o pior é que não vejo nenhuma iniciativa da federação para solucionar esta situação.
      Saudações
      João Guilherme


      Foto dos árbitros da 1ª etapa do paraense, neste final de semana dia 17/12 será a 2ª etapa vamos ver os escalados.

      Não conseguir postar a foto, porém pode ser acessada em meu Fabebook: http://www.facebook.com/JPassosginado

      ResponderExcluir
    16. Ctuz credo aquela que falou que era a melhor da equipe e horrivel
      Critica:Bernada

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.