• Resultados do Campeonato Europeu Masculino - Classificatória juvenil


    Classificatória do individual geral e finais por aparelhos. Só uma comparação rápida: o ano passado foi o último ano juvenil do ginasta Arthur Nory. Ele foi campeão brasileiro no individual geral com 85,650! Comparando a nota de Arthur com as notas dos classificados no Europeu, vejo que o Brasil está acompanhando os índices mundiais no masculino! Muito bom, né?
  • You might also like

    14 comentários:

    1. Então, eu estava olhando as notas e comparando com o junior team cup que o Brasil participou. No TF o Brasil fez 240.800 , ficaria em 8º lugar , o Lucas Bitencourt , no AA fez 82.450 ficaria em 8º , O Felipe Arakawa pegaria final no solo e acho que o Ângelo tb, não posso afirmar pq ele caiu na apresentação mas tem solo o suficiente para pegar uma ótima colocação.

      Acho que o Brasil está muito bem de juniores , o futuro da MAG está garantido

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Tina gostaria de se saber suas opiniões sobre a competição de equipes do adulto.
        Eu acho voce bem coerente.

        Abraço ;

        Iuri

        Excluir
      2. Fellipe Arakawa**

        Excluir
    2. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 05:08

      Cedrick, é o seguinte: nós temos talentos, mas às vezes deixamos um pouco a desejar... Nos Sul-Americanos Juvenis, por exemplo; outra coisa é que acho as notas do Brasileiro, assim como o Juvenil, um pouco infladas... Vejo especialmente pelo Juvenil Feminino; a Rebeca venceu o Juvenil Sub 13 ano passado com uma paralela de nota 13, se não me engano... Até onde eu sei, ela ainda não tinha uma paralela completa (também não sei se tem agora)... Outra coisa; o Arthur é mais velho que os Juvenis europeus deste ano (provavelmente). Compará-lo com os europeus com base nas notas "infladas" do Brasileiro e do Sula acho q não é muito justo... Além disso, vi algumas séries de 2010 do Junior Team Cup, quando o Brasil foi terceiro por equipe, e lembro que as séries dos adversários pareciam mais simples, e eles pareciam mais novos... Não sei, mas acho que numa mesma competição, sob a mesma rigidez da arbitragem, seria mais real pra gente comparar; só minha opinião, gente, respeito a de vcs...

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Tenho que discordar...sabe por quê? Quando Arthur Nory competiu em 2010, ele foi terceiro colocado no individual geral. Não importa a idade, se é mais velho ou mais novo. Idade juvenil é idade juvenil! E outra: as notas do brasileiro, pelo menos no masculino, não são infladas! Tem muita gente que acha que são, mas eu posso afirmar que não são. Inclusive, essa é uma discussão antiga entre árbitros brasileiros e técnicos dos clubes: enquanto uns são a favor de inflar notas (pra passar medo no resto do mundo, exatamente como os EUA fazem) outros não são. A maior parcela dos que não são a favor de inflar, é exatamente a parcela da arbitragem! Esse foi o motivo de discussão do Diego Hypólito, no Troféu Brasil do ano passado, com a arbitragem. Ele discutiu com os árbitros a não validação de um salto novo que ele fez, o yurchenko com tripla pirueta. Os árbitros não consideraram e ele queria que considerassem, mas eles não deram o braço a torcer e foi aquele rolo que todo mundo viu.

        Em uma coisa você está correto: a Rebecca não tinha a série de paralela completa, ou seja, com todas as exigências. Eu ACHO que a única junvenil com série completa é a Dani Santana, de Barueri. Por isso que ela acabou ficando com a melhor nota de paralela na seletiva no CT no início do mês! Ela faz saída D, elemento de vôo na mesma barra, duas empunhaduras diferentes + giro próximo a barra, um giro de 360º e tem as trocas de barra (da BI para a BS e vice-versa) validadas!

        Excluir
      2. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 08:49

        ...Mas o Pan tá vindo aí; mesmo sem o Arthur no Juvenil, nossa equipe pode ir bem, por que não? Bom, no Feminino espero ser grandemente surpreendido (no bom sentido); se meninas fortes ficaram de fora da Seleção, é por que o nível das demais tá ainda mais alto (crossed fingers!)...
        Uma coisa que acho interessante no nosso continente quanto às categorias de base, pelo menos na Feminina, é que, na Ásia e na Europa, as ginastas mais novas (de 12 anos, por exemplo) normalmente não são integradas às seleções nacionais, por não haver continentais pra sua categoria, mas aqui, meninas de 12 pra 13 já são Juvenis (lá, apenas de 13 para 14 são consideradas)... Nossas meninas mais novas já possuem certa experiência internacional e treinam, pro nível técnico do Brasil, algumas rotinas já bastante expressivas; isso por que normalmente não visamos à dificuldade, mas sim à execução (não que seja preconceituoso, mas juízes de fora costumam achar erro e pôr defeito em "tudo" nas séries de sul-americanos não (tão) tradicionais)...
        Penso o seguinte quanto à categoria Infantil (Espoir, Hopes, Youth): no nosso país, o sistema de avaliação dos nacionais não me parece muito eficaz, mesmo revelando muitos talentos até aqui (talvez somente por causa do Rio-2016, mas espero que o trabalho continue com as não elegíveis também - de 2000 por diante); acho que dar tamanho peso à etapa obrigatória do Brasileiro não é o melhor caminho... A base contribui muito, mas garimpar talentos por exercícios simplérrimos, "iguais" e que para ginastas com mais força e explosão por estarem bastante acima desse nível se torna muito pouco favorável a elas, por pedirem menos força e mais controle para "atingir a perfeição", dando notas finais altíssimas, mais altas até que suas avaliações de dificuldade pelo código da FIG, o que, pra mim, é meio que dar um tiro no próprio pé; pois nem o Sul-Americano, que costuma ter ginastas mais fracas nos outros países, adota esse sistema completamente alheio à realidade... Sim, elas são meninas muito pequenas, mas já estão nos representando, com idade elegível pela CONSUGI...

        Excluir
      3. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 08:53

        Dani tá com tudo... Queria ver essa paralela dela, assim como os demais upgrades nos outros aparelhos!
        Assim, vc sabe que n disse por mal, só tentei expressar minha opinião; espero que n tenha t ofendido...

        Excluir
      4. Acredito que não existe mas esse " passar medo " ,como os americanos continuam fazendo.
        Hoje isso já está bem escancarado para o mundo Cedrick.E é até ruim para a ginástica que os americanos continuem insistindo com isso e os brasileiros pensem em copiar.
        A ginástica do Brasil ainda está em desenvolvimento ,é mas legal que sigamos a metodologia rigida e tradicional nos critérios de julgamentos e aplicação de notas.
        Porque em competições como mundias ,jogos olimpicos não se vê isso.
        Agora eu não concordo que os americanos utilizem esses metodos só pra meter medo e sim para incentivo a seus atletas.

        IURI

        Excluir
      5. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 09:41

        Dar notas altas injustamente não incentiva a melhorar; "esconde" as fragilidades, como um paliativo, não resolve o problema, o atleta se acomoda, pois sabe que vai receber boas notas, acaba regredindo e quando chega a uma competição de rigor a nível internacional se decepciona; ou seja, imparcialidade ajuda muito, como disciplina e rigidez ("choque de realidade")... Notas de graça não ajudam a crescer, muito pelo contrário... Talvez o ginasta se encoraje com boas avaliações e continue tentando, evoluindo; mas o que realmente acontece é o contrário... Nós somos humanos, queremos o mais fácil, obviamente...

        Excluir
      6. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 15:41

        Tem lugar que até as notas D são infladas ("oi?!")... Nacionais Juvenis da Austrália, Canadá, Romênia, Áustria, Suécia, Espanha; todos cheios de "categorias extras", com notas "maquiadas", inclusive D! É um absurdo isso; aqui, ninguém sabe de notas D oficiais, mas as finais são geralmente bastante expressivas... No Infantil "Livre", também acontece isso; especialmente na paralela. Séries Obrigatórias então ("nota D estimada = 1.2/ nota final = 14.3" - :O Incrível! Ou dão bônus pra toda meia pirueta, ou giro na cubital, ou oitava REALMENTE à parada; ou usam um "código paralelo" :S)...
        Bom, de qualquer forma, só considero quando faço cálculos e comparações notas "livres", mas mesmo assim só acredito mesmo nas coisas aparentemente incríveis na Ginástica que eu veja; afinal, nem resultados oficiais e calculados por árbitros profissionais dizem toda a verdade...

        Excluir
      7. Anônimo das Juvenis26 maio, 2012 06:10

        *...porque... (Desculpa!)

        Excluir
    3. Isso mesmo Tina ,apesar do preconceito de muitos a ginástica masculina brasileira já é uma das melhores do mundo nos dias de hoje.
      Essa cultura de preconceito em relação ao masculino infelizmente vem dos ocidentais.
      No oriente como no Japão ,China ,Coreia ,Coreia do norte ,Kazaquistão e até mesmo na Ucrânia a ginástica masculina é tratada de forma igual a feminina em termo de popularidade.
      Uma pena que os ocidentais não pensem dessa forma.

      Iuri

      ResponderExcluir
    4. Gente que triste ,Zonderland apesar dos erros não economizou nas dificuldades ele merece sim o um título em Londres apesar dos chineses serem favoritos na Barra Fixa .

      http://www.youtube.com/watch?v=qqkGMXHlweg&feature=relmfu

      IURI

      ResponderExcluir
    5. Anônimo das Juvenis24 maio, 2012 08:57

      Ah, Cedrick, cê viu meu pedido no post da Ju sobre as infantis e juvenis sub 15 (incluindo as novas seniores)? Me responde lá, vai! *.*

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.