• Diego Hypólito e a falácia do perdedor


    Diego Hypólito caiu de novo. Dessa vez, de cara. Repetiu em Londres 2012 a falha que o desconsagrou quatro anos antes em Pequim e foi desclassificado antes da final nos Jogos Olímpicos.

    Na saída do ginásio londrino, os olhos marejados e a fala embargada mostraram um atordoamento impressionante do ginasta brasileiro: “Caí de novo, decepcionei de novo. Quero pedir desculpa de novo por esse fracasso e essa competição horrorosa. Não sei o que aconteceu comigo. Tantas pessoas me deram apoio e me incentivaram. Cheguei aqui e caí, caí de cara. Estou decepcionado e bravo comigo.”

    A entrevista dá dimensão de quanto Hypólito se cobra na carreira, que agora já entra na reta final (dificilmente chegará até o Rio 2016). Mas ele acaba sendo injusto consigo mesmo ao se vender como um perdedor. Não é.

    Diego Hypólito desbravou a ginástica artística masculina no Brasil, onde tínhamos zero tradição na modalidade. Levou o ouro 17 vezes no Mundial da categoria. Em Pequim 2008, mesmo com o erro, ficou na sexta colocação. Os futuros ginastas olímpicos brasileiros já saberão melhor o que fazer e que erros não cometer ao preparerem-se para uma olimpíada. Basta perguntarem a Hypólito, basta estudar seus erros, que foram decisivos, e seus acertos, que foram muitos.

    A má fama de Diego Hypólito hoje em dia faz parte de uma certa cultura brasileira que exige ídolos fenomenais e atira pedras em quem rasteiramente julga perdedor, mesmo que não seja. É preto ou branco, embora o mundo seja quase sempre cinza.

    Talvez o primeiro grande nome dessa leva de atletas tenha sido o goleiro Moacir Barbosa, um dos ícones do Vasco chamado de Expresso da Vitória no fim dos anos 1940. Acusado de “frangar” no gol uruguaio que derrotou o Brasil na final da Copa de 1950, só deixou de ser vilão quando idoso. Repetia nas entrevistas antes de morrer: “No Brasil, a maior pena é de trinta anos, por homicídio. Eu já cumpri mais de quarenta por um erro que não cometi.”


    Rubens Barrichello é um outro exemplo. Revelação do automobilismo brasileiro quando Ayrton Senna morreu, foi alçado pela tevê e grande parte da mídia ao novo Senna, coisa que ele não era — sobretudo porque foi contemporâneo e parceiro de equipe do alemão Michael Schumacher, o maior campeão da história da Fórmula 1. Barrichello foi melhor talvez que 80% dos pilotos da história. Competiu por 19 anos, recorde na modalidade, e chegou a ser vice-campeão. Não é pouca coisa. Mas a expectativa que a mídia colocou sobre ele, a de ser o novo Senna, transformou-se em frustração — em parte, por culpa dele, que vestia essa carapuça mesmo quando todo mundo sabia que não superaria Michael Schumacher. Virou sinônimo de perdedor, o que não reflete o que foi sua carreira na maior categoria do automobilismo.

    Hypólito entra nessa lista. Inflado pela mídia esportiva, sobretudo no rádio e na televisão, por muito tempo exigiram dele nada menos que o ouro olímpico. Queriam fazer dele o novo Gustavo Küerten. Ele teve músculos para isso, teve elasticidade, teve a técnica, só não teve os nervos, que o derrubaram duas vezes em olimpíadas. É seu ponto fraco como atleta. Acontece. Seguirá como um dos bons nomes do esporte brasileiro, um desbravador de uma categoria olímpica que no futuro tem tudo para nos render medalhas.

    Chamar Hypólito de perdedor é não entender absolutamente nada de esporte e, mais que isso, descontar no atleta as próprias frustações na vida.

    Texto de Fernando Vives postado em http://www.cartacapital.com.br/sociedade/diego-hypolito-e-a-falacia-do-perdedor/ .
  • You might also like

    11 comentários:

    1. Belo texto, realmente o Diego fez muito pela ginástica masculina, foi fundamental para levar a equipe ao test event e tentar conseguir uma vaga, assim como pesou muito a sua falta nesta competição.

      Perdedor o Diego não é, pode ser tudo menos perdedor, agora eu só gostaria de entender oq acontece com ele nestes momentos, talvez nem ele mesmo saiba explicar, pode não haver uma causa específica e ser só uma coincidência ruim.

      ResponderExcluir
    2. Parabens Diego!!! O Brasil tem muito orgulho de vc, mesmo que seu povo nao tenha!!Vc sempre teve compromisso conosco e, por isso, merece a adimiração de todos nós!!!vc e sua irmã nos deram muitas alegrias que não serão ofuscadas por seus erros!

      ResponderExcluir
    3. Chamar Hypólito de perdedor é não entender absolutamente nada de esporte e, mais que isso, descontar no atleta as próprias frustações na vida [2]. Concordo plenamente. Nao precisava ele pedir desculpa nenhuma. Diego é um vitorioso por tudo que ele fez. Nao é uma medalha olimpica que vai fazer dele uma pessoa vitoriosa. Só porq daiane saiu sem medalha olimpica ela é uma fracassada? me poupe viu... O pessoal aqui no Brasil fala muito e pouco faz. Em vez de investir no esporte, investe no bolso. E depois que investe no bolso, vem abrir boca pra falar merda. Haiai viu. Vai lá e faz melhor então garanhão

      ResponderExcluir
    4. Essa narração aqui tb ta boa Cedrick: http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/redacao/2012/08/02/ginasta-americana-bate-compatriota-e-russas-e-e-1-negra-campea-individual-geral.htm

      A parte de que uma a uma foi errando, deu um ar de que gabby foi aniquiladora rsrsrsrsrs

      ResponderExcluir
    5. outra atleta que tbm foi jugada assim foi a mari do volei.em atenas ela deu o ultimo saque e jogou a bola pra fora dando adeus a final olimpica.em 2008 conseguiu reverter essa situaçao com o ouro olimpico.mas hj em dia voltou a ser julgada como perdedora por nao esta em um bom momento da carreira e por nao ter sido convocada pra londres.

      ResponderExcluir
    6. Diego e um ótimo ginasta, ele tem mania de perfeição ele quer chegar cravado ele se contralo o maximo nas competições, mas se ele erra uma passada ou não coloca a força o suficiente ele acaba caindo pq ele treina pra cravar!!! e infelismente ele não conseguiu novamente, ele fez esse dicurso pq ele tinha cabado de competir estava chateado,com a cabeça a mil, e acabou falando o que veio na cabeça!!! mas ele e ótimo deve levantar a cabeça, se ele vai ou não chegar até 2016 não sabemos, mas ele ai tentar eu tneho certeza, daniele hypolito que deveria parar, eu sei que ela fez muito para o brasil, mas já deu!!! ele ñao vai render mais, ela esta envelhecendo mesmo que a cabeça continue boa, mas o corpo não e o mesmo e resistencia não e o mesmo!!!

      ResponderExcluir
    7. O povo brasileiro é muito ignorante e não merece vc nem nossa equipe feminina!! Não são capazes de entender que nem todos os dias é o nosso...vcs dão o melhor de si e merecem o reconhecimento!

      ResponderExcluir
    8. Se eu fosse ele, eu nem tentava Rio 2016. Se ele cair lá, corre o risco de ser esquartejado pela população. Que vá um ruim mesmo que já seja certo que irá errar.

      ResponderExcluir
    9. Se fossem brasileiras, a mega favorita Maroney seria perdedora vacilona porque perdeu o ouro no salto e a festejada Wieber seria uma fracassada amarelona porque ficou fora da final do AA. Daiane e Diego são campeões mundiais no solo e mesmo assim são massacrados pela mídia e pelos telespectadores cabeças de ameba. Daniele, mesmo com sua prata no mundial de Ghent no solo, idem. Ô povo derrotado e ingrato com seus atletas. A história lembrará de seus feitos.

      ResponderExcluir
    10. Se Diego vier a cair no RIO, o povo gado lincha o coitado. FATO.

      ResponderExcluir
    11. Falou tudo o que penso e, mais ainda, me deu a explicação de por que perdoo vários esportistas mas não consigo gostar do boquirroto Barrichelo: "em parte, por culpa dele, que vestia essa carapuça mesmo quando todo mundo sabia que não superaria Michael Schumacher".

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.