• Nem tão complicado assim...


    Muitas pessoas queriam que, no novo código de pontuação, houvesse uma regra em que os ginastas que tivessem quedas ficassem automaticamente fora do pódio de uma final. Com o aumento da penalidade da queda de 0,8 para 1 ponto (do código 2006-2008 para 2009-2012), foi diminuído o número de ginastas que acabaram medalhando mesmo com queda. Entretanto, no salto sobre a mesa, o problema se manteve...

    No novo código de pontuação, o problema aparentemente foi resolvido. Estou acompanhando as postagens sobre as novas regras do salto, e muita gente tem achado a regra complicada. Com certeza ela será complicada para os meros telespectadores! Mas para nós, fãs de ginástica, a regra não é tão complicada assim...

    Vejamos:

    Código atual

    No código atual, a nota é dada da seguinte forma:

    (D salto 1 + E salto 1) + (D salto 2 + E salto 2) / 2 = NF

    O problema das quedas entrarem no pódio acontece porque vários ginastas executam saltos muito difíceis e, como os saltos são julgados separadamente, o ginasta consegue compensar um salto ruim com um salto bom, e acaba tendo a nota final mais alta do que um ginasta que executou um salto belíssimo, só que mais simples.

    Vou usar como exemplo o que aconteceu com a nota de McKayla Maroney nos Jogos de Londres. Ela realizou um amanar (6,5) no primeiro salto e um mustafina (6,1) no segundo. Ela teve uma penalidade de 0,3 no primeiro salto, já foi inclusa na nota de execução (9,666- 0,3 = 9,333). Vale lembrar que no segundo salto ela teve uma queda.

    (6,5 + 9,366) + ( 6,1 + 8,2) / 2
    15,866 + 14,300 /2
    30,166/2
    15,083 = medalha de prata na final

    Código novo

    No novo código, a nota será dada da seguinte forma:

    [(D salto 1 + D salto 2) / 2 + 10 - (deduções do salto 1 + deduções do salto 2)] = NF

    Note que, agora, os saltos não são julgados separadamente. A dificuldade já era somada anteriormente e ela não muda, mas somar as deduções, e diminuir dos dois saltos de uma só vez, fará toda diferença! Confira!

    Usando a nova fórmula com as mesmas notas de Maroney nos Jogos, a nota final ficaria assim:

    [(6,5 + 6,1) / 2 + 10 - (0,634 + 1,8)] =
    [12,6 / 2 + 10 - (2,434)] =
    6,3 + 10 - 2,434 =
    13,866 = fora do pódio

    O site Double Layout fez o mesmo cálculo com todas as notas das finalistas dos Jogos de Londres, e o ranking ficou assim:


    1. Sandra Izbasa 14.433
    2. Maria Paseka 14.050
    3. Janine Berger 13.884
    4. McKayla Maroney 13.867
    5. Oksana Chusovitina 13.360
    6. Britanny Rogers 12.960
    7. Yamilet Peña 12.583
    8. Ellie Black 0

    Bem melhor e mais justo! Será que o problema de medalhistas com quedas ficou completamente solucionado? Deixe sua opinião. Ano que vem a gente confere!
  • You might also like

    31 comentários:

    1. Bem melhor, até entendo ela ter ficado com o pódio mesmo com a queda porque era uma média dos dois saltos. Mas é injusto, porque digamos que em todos os eventos as ginastas pudessem executar duas vezes, duas rotinas de solo por exemplo..com certeza aquele pódio final teria mudado e Izbasa e Afanasyeva poderiam ter levado uma medalha pois possuem solos belissimos mas caíram, se pudessem ter executado o solo duas vezes (é só um exemplo, lógico que os outros eventos duram mais tempo e não teria lógica executar duas vezes) elas poderiam com uma média aritmética ter brigado por medalha. Acho que com esse novo cálculo fica bem mais justa a pontuação do salto se comparada com os outros aparelhos. E a gente que entende, mesmo que pouco alguns, de ginástica entende que a Maroney ficou no pódio pela execução de um dos saltos e por ter duas dificuldades maior que as outras mas eu imagino que pro expectador leigo deve ser um momento WTF? como assim ela cai de bunda no chão e ainda leva prata enquanto outras chegaram de pé e nem levaram uma medalha? Vai fazer mais sentido...

      ResponderExcluir
    2. Basicamente, a nota de execução agora vai ter descontos acumulados, e não a média dos descontos. Quer dizer, as notas finais do salto irão lá embaixo. Notas acima de 15 ficarão raras agora.

      Na prática, quem é bom em um salto só vai pro AA com um notão nesse salto. Quem pega final no salto, sempre será com uma nota baixa, bem menor do que os que pulam com um só salto.

      ResponderExcluir
    3. A Maroney mereceu sim estar no pódio mesmo com a queda, na minha opnião, e olhem que não sou fã das americanas.
      A execução corporal da Maroney foi muito correta ,o problema foi apenas na altura ,o que levou-a a cair.
      A nota de execução 8,200 foi um pouco alta sim ,mas ela não merecia estar fora do pódio.
      Quem não deveria estar no pódio era a Maria Paseka ,apesar de ser muito fã da Rússia eu vejo dessa forma.
      Janine Berger foi a única atleta injustiçada, deveria ter sido prata .
      Esse novo código será um pouco injusto com as atletas que arriscam saltos mas difíceis !

      YURI

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. vc acha justo a maroney ganhar a prata, então vamos concordar que a Komova deveria ter ganho a prata na trave também, até pq a "execucção corporal dela é muito boa", ela só teve uma queda...

        pra mim, quem cai do aparelho, nao deve ser medalhado!

        Excluir
      2. Nada a ver oq esse anonimo falou. A prova do salto a ginasta realiza dois saltos. Se ela acertou o primeiro salto que foi dificílimo e bem realizável e caiu no segundo com alto grau de dificuldade, qual o problema de te-la no podio? A prova de salto realmente vai ser injusta pras ginastas que arriscam saltos difíceis. Essa nova regra vai intimidar a ginasta de dificultar seus saltos temendo a queda. Elas vão pensar: antes colocar um salto como a dupla pirueta que eu realizo bem do que a dupla e meia que eu realizo mal ou tenho insegurança de acertar. O salto já tem um nível fraco e vai ficar mais ainda. A graça da prova de salto é ver as ginastas arriscando saltos difíceis e nao um simples salto com meia volta. Nao gostei da nova regra. Se são dois saltos, vamos julgar separados.

        Excluir
      3. Eu falei :
        " Janine Berger foi a única atleta injustiçada, deveria ter sido prata "

        Leia novamente lá !

        Maroney merecia sim pelo menos bronze ,pois sua posição corporal foi muito correta.A Fei Cheng em 2008 ??
        Não sou fã das ginastas americanas ,mas sou justo quando devo !


        YURI

        Excluir
      4. Eu nao falei de vc yuri!! falei desse anonimo aí que nao se identificou. Concordo plenamente com tudo que vc disse!

        Excluir
    4. Não sei porque mas tenho problemas com notas baixas
      e com essa nova regra as ginastas vão ter notinha pequenas. Ah e uma dúvida com o novo código as notas de dificuldade das ginastas vão subir ou diminuir?

      ResponderExcluir
    5. Gostei!
      Mas agora as notas 'ótimas' não serão mais na casa dos 16... vai ser bem mais baixo!

      ResponderExcluir
    6. muito bom o post. achei mais justo, talvez o salto que ajudava muitos ginastas num aa por exemplo, agora se nao bem executado, nao faça mais diferença na soma geral. correto isso professor?

      ResponderExcluir
    7. bem justo. otimo post do blog. sera q agora a nota de salto deixara de fazer tanta diferença na soma geral em um aa por exemplo? o salto sempre ajudou os ginastas a melhorarem sua colocacao graças a notas bem mais altas, salvo se bem executado. correto esse pensamento professor?

      ResponderExcluir
    8. Agora sim!! Acho também um absurdo alguém que cai e ainda pega medalha, maria paseka por merito deveria ter ganhado a prata, mesmo que o salto da maroney seja melhor mas uma fatalidade do destino ou castigo (será?) ela caiu, dane-se caiu. Maria não caiu e Janine também não.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. hahahaha castigo foi boa! tomara que ela continue sendo castigada nos mundiais então pra linda da Sandra levar um ouro em um mundial, só o que ta faltando pra ela.

        Excluir
    9. As notas ficaram muito baixas assim,tudo isso só para estragar as olimpíadas do Rio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. só saltar 2 saltos excelentes que as notas continuam as mesmas rs

        Excluir
    10. Olha FIG acertando de vez em quando!! rs

      ResponderExcluir
    11. Não gostei muito dessa regra não..., acho que pra garantir que uma ginasta com queda ficasse fora do pódio deveriam descontar algo tipo, 3 pontos por queda, inclusive nos outros aparelhos.

      Carlos Ferreira.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Concordo tbm!

        Acredito que se aumentasse o desconto da queda na nota E de 1,0 para 2,0 ou 3,0 ficaria MELHOR! (mas somente no salto, pfvr, magine uma ub nivel brasil com queda? çocorr) por 2 motivos :
        1 - nota do AA vai ser muito maior do que pelo aparelho
        2 - As ginastas não vão arriscar saltos mais difíceis, pois vai supervalorizar a execução sobre a dificuldade.

        É uma pena, pois a final de London foi bem abaixo do nivel de Beijing...
        ....sdds Cheng e coreanas :S

        Excluir
    12. Cedrick, primeiramente, muito obrigado pela forma simplificada e exemplificada de me esclarecer algo que aprecia, inicialmente, incompreensível.
      Eu achei mais justo essa nova fórmula para calcular a nota final. Se a ginástica sempre almejou a perfeição, não pode deixar espaços abertos para que quedas levem ao pódio.

      ResponderExcluir
    13. Yamilet Peña esta ferrada, em muitas competições ela pegava final por causa da dificuldade do salto, mas com esse novo codigo ela não tera chances!!! que pena!!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Agora acho que ela vai parar de tentar o produnova, pq a execução dela vai empurrar pra baixo, e fazia mais sentido no código passado que contava mais o salto de valor que a execução. O negócio agora é que vai haver uma proliferação de Mustafinas, ZAMOs e Chusos para "garantir" a nota de partida 6 ou mais e uma execução melhorzinha, isso pra quem quer competir no EF VT, mas para AA é Amanar, Tsuk 2,5 que vale mais, ou Cheng que ta valendo mais que amanar. As americanas conseguiram banalizar o salto de Simona Amanar.

        Excluir
    14. Melhor sim, porém que baque! As notas em geral diminuirão muito!!! Ainda nem me acostumei com 13,9 sendo uma nota dada pra provas boas e já tão querendo diminuir mais?

      ResponderExcluir
    15. não entendi completamente..mas parece interessante mesmo...agora nessa final ae por mim so subia no podio sandra izbasa!

      ResponderExcluir
    16. Winicius Damasceno

      As notas ficaram bem baixas, parece competição de nível baixo como etapas de copa do mundo categoria B. Sem graça isso, odeio esses 14, 13 amo os 15,16 rsrs

      ResponderExcluir
    17. Dá pra perceber que mesmo assim, a Mc Kayla quaseeee pegaria o bronze. Mas tb se dá pelo fato da final de salto ter sido tão fraca...

      ResponderExcluir
    18. Excelente Post. Agora sim eu entendi essa nova regra tão comentada pelos sites de ginastica do mundo afora...
      Uma solução satisfatória pra mim é impossível, mas nessa nova fórmula, a competição será muito mais democrática. O único problema, é que essa regra será muito desafiada daqui pra frente.

      ResponderExcluir
    19. Isso vai ser muito ruin para a Yamilet Pena!!! Sinto muito por ela...

      ResponderExcluir
    20. Por gentileza, alguém que conheça o novo código e possa calcular isso aqui:

      balance beam
      Press handstand; standing Arabian (F) + flip flop (B); split leap + wolf jump; flip flop (B) + flip flop two feet (B) + back layout 1/1 (G); switch ring leap (E); Onodi (D) + front aerial (D) + sheep jump (D); 1/1 turn (A); switch side leap 1/2 (D); roundoff + full-in dismount (G)

      uneven bars
      KCH on low bar + toe-shoot to high bar; KCH + piked stalder 1/1 to handstand (E) + reverse hecht (D); piked stalder 1/2 to handstand (D) + front giant in L grip (C) + endo in L grip to handstand (D) + piked Jaegar (D); KCH + overshoot to handstand (D) + stalder shoot to high bar (C); KCH + giant + giant + double-double dismount (F)

      ResponderExcluir
    21. Achei ótimo isso porque execução deve sim influenciar mais do que a dificuldade. Não adianta um salto dificílimo e uma execução toda cagada. Se for um salto difícil e uma bonita execução, ótimo! Mas se o salto for mais fácil com uma bela execução contra um salto de maior dificuldade e uma execução que chega a doer de ver, que vença o "fácil" porém bem executado.

      ResponderExcluir
    22. Na minha opinião o novo código favoreceu as ginastas que executam saltos com valor de dificuldade mais baixos, tornando até um pouco injusto para aquelas que realizam saltos mais difíceis, como a Yamilet Peña. Não gostei muito, pois como consequência, saltos como amanares provavelmente serão mais raros em finais de competições importantes como mundiais.
      Perdeu um pouco da graça !
      Mas que venha o Próximo Ciclo !!

      ResponderExcluir
    23. Ai, que idiotice essa história de não querer que alguém com queda medalhe.
      É apenas a recompensa pelo esforço da dificuldade.

      Vocês ficam de mimimi mas tenho certeza que todo mundo odiaria se todo mundo voltasse a saltar uma pirueta e meia no salto, só para garantir a boa execução. Bullshit!

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.