• O que a ginástica reserva para 2013? - Parte 6


    ALEMANHA


    Sophie Scheder
    bateu as russas, favoritas ao título europeu nas assimétricas em 2012 com uma execução limpa e uma série original. Sophie será de grande ajuda ao time Alemāo nas competições Seniors em 2013.

    Sophie na série que lhe garantiu o ouro em Bruxelas
     
     
    Elizabeth Seitz, especialista nas paralelas onde foi a sexta colocada nos últimos Jogos, mostrou que tem trabalhado duro no ginásio para se tornar uma atleta completa. Não fosse por erros bobos, a ginasta alemã poderia ter melhorado ainda mais  sua décima colocação, obtida na final individual geral de 2012. A atleta que ainda sofre deduções relativamente altas na parte de execuçāo de suas séries, poderá almejar mais alto se voltar ao ginásio e corrigir pequenas falhas técnicas que a tem mantido fora do pódium nas maiores competições internacionais. 

    Seitz nas assimétricas
     
     
    Janine Berger, que muitos dizem foi "roubada" da medalha de bronze no salto sobre a mesa nas últimas olimpíadas, tem levantado grandes expectativas no aparelho. Esperamos que em 2013 ela tenha mais sorte com a arbitragem e volte a subir ao pódium.

    Berger no salto
     
     
    HOLANDA

    Chantysha Netteb, campeã Junior Européia de salto em 2012 executa um yurchenko com uma pirueta e meia com visível facilidade. Em 2013, ela se tornará Senior e poderá ajudar o time Holandês a trazer bons resultados para casa.

    Os dois saltos de Chantysha na final do Campeonato Europeu
     
     
    Celine Van Gerner que ganhou na justiça o direito de representar seu país nas últimas olimpíadas, poderá voltar às competições em 2013. A atleta que é completa nos quatro aparelhos e que se destaca nas paralelas, obteve a excelente 12° colocação na final do individual geral em Londres com nenhuma nota abaixo dos 14 pontos (chegou pertíssimo dos 15 nas assimétricas). Com certeza um ótimo feito para seu país.

    Van Gerner nas assimétricas em Londres, onde não entrou para as finais por menos de dois décimos!
     
     
    Wyomi Massela viveu o outro lado da moeda. Foi escolhida para representar a Holanda nas olimpíadas pelo comitê técnico do seu país, mas após o caso ter sido levado às cortes, perdeu o direito da vaga para Van Gerner. Seu foco agora está no Rio 2016, mas a estrada é longa, e começa com o mundial do ano que vem.

    Massela nas finais por aparelho do Campeonato Europeu, onde ficou com a sexta colocação no salto
     
     
    BÉLGICA

    Julie Crocket que é apontada como a melhor ginasta Belga dos últimos tempos, viveu uma esperança frustrada em 2012. Pouco antes dos jogos olímpicos, se lesionou e teve que ser substituída por Gaelle Mys nos tablados. Julie é conhecida pelo seu carisma e habilidades artísticas principalmente no solo, onde combina tudo isso com acrobacias limpas e boa nota de dificuldade.

    Crocket no solo - ótima coreografia!
     
     
    HUNGRIA

    A pequena Noemi Makra traz o foco de volta à ginástica húngara, que vem esperando por um novo talento emergente desde Henrietta Onodi. A atleta, que competiu na categoria júnior em 2012, participou do Campeonato Europeu e atingiu a nona colocação na final do individual geral e uma final no salto (apesar deste nao ser seu melhor evento) se mostrando uma ginasta limpa e promissora. Ainda em 2012, Makra conseguiu resultados expressivos em competições domésticas e internacionais, conquistando o título do campeonato “Olimpic Hopes Cup”, na República Checa, e da copa “Eva Kanyo Memorial”, na Hungria.

    Em 2013, a longilínea Noemi voltará a competir, e esperamos vê-la atingir resultados expressivos. Há rumores de que novos elementos estão sendo trabalhados por ela, e deverão ser apresentados já na próxima temporada.


    Noemi na trave em 2012.
     
     
    CANADÁ

    Victoria Moors vem se destacando nos últimos anos como uma das melhores especialistas que o Canadá já produziu. Sua série de solo figura entre as mais difíceis do mundo na atualidade e se estivesse em um dia melhor, Moors poderia facilmente ter se classificado para as finais do evento em Londres. Ela é treinada pela famosa Elvira Saadi, que quando atleta foi bi-campeã olímpica com o time soviético em 72 e 76. Em 2013, Victoria levanta altas expectativas. O Canadá, como um todo, vem superando projeções após a quinta colocação inédita do time nas finais por equipes nos Jogos Olímpicos… Para se ter uma ideia, o Canadá perdeu somente para os quatro países "intocáveis" e mais dominantes das últimas décadas na ginástica artística - Estados Unidos, Rússia, Romênia e China. 
     
    Esperamos que boas coisas estejam por vir do Canadá já que ele também conta com a pequena prodígio Shallon Olsen, que se tornará sênior a tempo das Olimpíadas do Rio 2016.
     
    Victoria no solo
     
     
    Kristina Vaculik é a principal "all arounder" canadense da atualidade. Kirstina nāo conseguiu a vaga para o time nacional nas olimpíadas de Pequim, mas persistiu e chegou a Londres em ótima forma. A ginasta que tirou um ano de "férias" da universidade para se dedicar exclusivamente aos treinos e aos planos de ser parte do time olímpico, ainda levanta dúvidas sobre suas reais intenções de continuar em sua carreira de Elite pós-olímpica, porém, acreditamos que essa ginasta ainda tem muito para conquistar!

    Vaculik nas assimétricas no Test Event em Londres - um de seus pontos fortes.
     
     
    Sabrina Gill começou a atrair a atenção dos seguidores da ginástica quando aos 14 anos levou o título Junior do individual geral no campeonato Canadense em British Columbia. Na mesma competição, Sabrina também ficou com o título nas assimétricas e solo. Dona de um estilo inconfundível, Gill levantou grandes esperanças para o time Canadense de 2012, porém não alcançou a vaga por lesōes fora de hora. Em 2013 ela estará de volta na disputa, e o time do Canadá poderá contar com mais um reforço para iniciar bem o próximo quadrênio, já que as expectativas e exigências subiram bastante depois dos excelentes resultados do país em 2012.

    Sabrina mostra originalidade na sua série de solo.  


     
     
     
  • You might also like

    12 comentários:

    1. Faltou outras canadenses...

      ResponderExcluir
    2. ótimo post parabéns ..
      pessoal eu gostaria se saber noticias sobre a japonesa Natsumi sassada, alguem sabe ? ela continua na ativa ??

      ResponderExcluir
    3. Excelente post, mas não vejo a hora de saber "O que a ginástica reserva para 2013? - BRASIL". No aguardo. Já sei que vc vai dizer q existe várias notícias no site sobre isso, mas eu queria um só do Brasil. Abraço e sucesso.

      ResponderExcluir
    4. em stuttgart, Janine Berger levou o ouro no salto. É seu aparelho favorito.

      ResponderExcluir
    5. E muito bom ver o progresso dos outros países, o Brasil tambem vai progredir mas não agora! e sim em 2016...2020
      quais ginastas iram representar o país ano que vem? sera que a Jade atualizou as suas series? na minha opinião ela e a unica que pode fazer bonito no Mundial 2013

      ResponderExcluir
    6. Ótimo texto. =)
      Mas a Vaculik voltou pra universidade e vai disputar o NCAA pela Universidade de Stanford. Pelo menos ela consta como parte do time pra 2013 season no site dos Cardinalds :)

      ResponderExcluir
    7. Gente o site Gimnasia Latina está fazendo uma enquete para saber qual é o melhor Ginasta masculino e feminino da América Latina.

      http://gimnasialatina.com/el-mejor-gimnasta-latino-2012/


      Esse é o Link.... Vamos votar porque os ginastas brasileiros estão injustamente perdendo. Não é uma eleição muito justa e nem tem muita importância, mas vamos apoiar os nossos ginastas.

      ReiArthuro

      ResponderExcluir
    8. Canadá está com tudo !!

      Estava vendo uns vídeos da Shallon Olsen, ginasta que até então nunca havia ouvido falar, ela é muito boa !!

      Tem tudo pra despontar internacionalmente no AA !!

      E pensando que o Brasil chegou a ultrapassar o Canadá no ciclo passado [......]

      ResponderExcluir
    9. essa é pra quem gostaria de ver um time feminino de ginastica misto em ação no Brasil:
      http://soccermt.com.br/?p=2321

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Se esses páises da europa ganhassem pelo menos da Russia e da romenia,eu acreditaria nessas meninas aí.
        Mas nem em campeonato europeu,elas prestam pra alguma coisa;o fato é que nós sempre,vamos ver os mesmos países no pódio:russia,romenia,china e estados unidos.
        Se mudar alguma coisa,só se for em mundial mesmo,porque em olimpiada,só da isso mesmo!

        Excluir
      2. Se bem que todos estão falando que sem Catalina Ponor e Izbasa, a Romenia vai ficar em uma situação meio crítica né. A única que está no nível delas, se não superior até é a Iordache. As junior deles são boazinhas, pelo o que eu vi, mas não creio que elas passem do nível de uma Chelaru.

        Excluir
    10. Julie Crocket deve ter o mesmo coreógrafo da esquipe belga de acrobática, série com a mesma musica e trechos de coreografia do trio junior belga http://www.youtube.com/watch?v=q3KiMuSG8tE&feature=context-chv , apesar da parte artística ser muito boa, na minha opinião ainda não está como as originais do trio!

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.