• Relembre a carreira de Jordan Jovtchev


    O que dizer sobre Jordan Jovtchev? Foi, com certeza, o maior ginasta búlgaro de todos os tempos. E um dos melhores ginastas do mundo. Foram 5 edições dos Jogos Olímpicos (Atlanta 1996, Sidney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012) e 13 Campeonatos Mundiais. Só a participação já vale a carreira! Mas Jovtchev foi muito mais do que um personagem das competições internacionais...

    Jordan Jovtchev estreiou na categoria adulta aos 14 anos, no Mundial de 1994, em Brisbane. Ali, todos sabiam que o futuro dele seria brilhante! Foi para a final de argolas, impressionou o público, mas foi no Mundial de 1995, em Sabae, que viria sua primeira medalha: bronze nas argolas, com 9,575.

    No Mundial de 1996, em San Juan, Jovtchev não conseguiu o ouro, mas subiu um degrau no pódio: dessa vez ele ficou com a prata. Ainda em 1996, em Atlanta, ele competiu em sua primeira Olimpíada, e ficou em 6º por equipes, 17º no individual geral e passou perto de sua primeira medalha olímpica: ficou em 4º na final de argolas.

    Jovtchev não competiu o Mundial de 1997, em Lausanne, mas chegou melhor ainda em Tianjin, em 1999, e apesar de não ter medalhado no seu melhor aparelho, ficou com a medalha de bronze no individual geral. Como era um Mundial pré-olímpico, deu para ter uma noção de como ele se sairia nos Jogos de Sidney, em 2000, de onde vieram suas primeiras medalhas olímpicas: bronze no solo e nas argolas, além de ter sido 8º no individual geral.

    Em 2001, no Mundial de Ghent, Jovtchev fez a melhor competição de sua vida: foi ouro no solo, ouro nas argolas e bronze no individual geral. Perdi as contas de quantas vezes assisti a série de argolas que ele executou na final do aparelho...Uma das minhas preferidas até hoje!



    9,675 foi a nota que rendeu duas pratas para Jordan no Mundial de Debrecen, em 2002. Mais uma vez nos seus melhores aparelhos: solo e argolas.

    No Mundial Pré-olímpico de 2003, em Anaheim, vieram mais duas medalhas de ouro, novamente nas argolas e no solo. Ele não foi bem na final do individual geral, onde errou toda a série de barra fixa e nem chegou a saltar, mas isso não impediu que ele arrebentasse nas finais.

    Nas Olimpíadas de Atenas, o clime foi tenso. Tudo indicava Jordan Jovtchev como campeão. O ciclo olímpico tinha sido lindo, as medalhas nos Mundiais vieram e tudo estava em seu devido lugar. Ele estava lá para desempenhar o seu papel de campeão, pelo menos nas argolas. E foi nesse aparelho que a polêmica aconteceu: Jovtchev fez uma série excelente mas, mesmo assim, ficou com a prata. A nota foi 9,850 contra 9,862 do grego Dimosthenis Tampakos. O público vaiou. Aparentemente, a final de argolas havia sido uma competição comprada. Os fãs pediram inquérito, mas nada disso adiantou: Tampakos foi ouro e essa foi a única medalha da Grécia, que competia em casa. Na minha opinião Jovtchev mereceu o ouro, mas você pode assistir as duas séries e tirar suas próprias conclusões.






    No Mundial de Melbourne, em 2005, não aconteceu a esperada revanche entre Jovtchev e Tampakos: ambos competiram bem, mas não o suficiente para estarem na final de argolas. Em Aarhus, no Mundial de 2006, Jovtchev volta a conquistar uma medalha de prata (além do 5º lugar no solo), ficando atrás apenas de Chen Yibing, que conquistava seu primeiro ouro.

    A partir desse ano, Jordan abandonou as competições de solo. O código mudou, pedia exercícios e combinações que ginastas que tiveram sua formação nos anos 90 tinham dificuldades em realizar. Focando nas argolas, o Mundial de 2007, em Stuttgart, deu uma medalha de bronze para ele, que ficou atrás de Yuri Van Gelder e de Chen Yibing, que conquistou seu segundo ouro em Mundiais.

    Nos Jogos de Pequim, em 2008, Jordan se classificou para a final de argolas em 3º, mas foi mal na final e terminou na última colocação. Vale lembrar que a Bulgária, que teve seus momentos de glória na década de 90, agora tinha um único representante nessa edição dos Jogos Olímpicos. Surgiram dúvidas se Jovtchev pararia ou não, dada a idade avançada em que ele  já se encontrava e ao desempenho baixo na final...

    Fato é que ele não parou, e competiu no Mundial de Londres, em 2009, onde terminou com a prata; no Mundial de Roterdã, em 2010, onde terminou na 19º colocação; e no Mundial de Tóquio, em 2011, onde terminou na 17ª colocação. Jovtchev competiu em todos os aparelhos e conquistou a vaga para os Jogos Olímpicos de Londres.

    Jordan Jovtchev terminou sua carreira nos Jogos de Londres, no ano passado, sendo, novamente, o único ginasta búlgaro da competição. Foi para a final de argolas e ficou na 7ª colocação. Sua carreira brilhante terminou onde uma carreira começava a brilhar. O ginasta brasileiro Arthur Zanetti foi ouro na final de argolas e conquistou sua primeira medalha olímpica no mesmo aparelho onde Jovtchev se despedia da ginástica. Uma entrada e uma despedida emocionantes.
  • You might also like

    6 comentários:

    1. Nossa que carreira vitoriosa !!

      ResponderExcluir
    2. Ele é a prova que mesmo com a idade avançada ainda é possível competir na ginástica

      ResponderExcluir
    3. Alguem pode me explicar em q consiste o elemento de solo chamado silivas????

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. por causa da ginasta romena que o executou primeiro

        Excluir
      2. Já voiu que saiu a lista de participantes da american cup? Srgio Sasaki esta na lista

        Excluir
      3. Vc perguntou "em q consiste", ne?
        É o duplo mortal com dupla pirueta.

        Excluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.