• Por dentro do ginásio Geddert's Twistars Gymnastics - Parte 1


    Esse post é a tradução do primeiro vídeo de um projeto do Blog Triple Twist Gym, e apresenta uma análise do que se passa por dentro do ginásio Geddert’s Twistars Gymnastics, casa da ginasta Jordyn Wieber e do seu técnico John Geddert. A tradução é de Marina Aleixo, colaboradora do Gym Blog Brazil.

    Entrevista com John Geddert.
    Você imaginou ter um ginásio que alcançasse tamanho sucesso?
    "Na verdade, eu nunca imaginei que a ginástica iria alcançar este nível quando comecei a dar treinos. Eu apenas o fazia porque amava ser um treinador, amo crianças, e isso meio que evoluiu à medida que o tempo passou. “Ok, bem, serei um treinador, agora também posso abrir meu próprio clube… Hum, agora estou tendo um bom retorno, o ginásio está sensacional, vamos ter dois ginásios”. Isso simplesmente cresceu, passo a passo, eu não poderia pedir uma profissão melhor, é exatamente o que eu gosto de fazer. Eu amo trabalhar com crianças, amo exercícios, amo construir ginastas, então eu vivo meu sonho todos os dias quando entro no ginásio, e poucas pessoas alcançam este tipo de satisfação no trabalho."
    Como você se descreve como treinador?
    "Como eu me auto-descreveria como treinador…? Eu sei como os outros me descrevem, mas eu acho que eles têm uma impressão errada. Bem, sou bastante intenso, mas não um treinador com despropósito, sou bastante cuidadoso com minhas atletas, mas não sou carinhoso e sentimental quando não é necessário. Vou dar às crianças o reconhecimento quando elas merecem, mas não direi desnecessariamente o quão maravilhosas elas são, se elas não estiverem sendo maravilhosas. Eu acredito em puxões de orelha, eu acredito em estabelecer exemplos de vida, porque a vida depois da ginástica, será bem mais difícil. Então, é melhor você levar algo deste esporte que você possa ter consigo pelo resto da sua vida que não seja uma estrela, ou um flick. É melhor você ter outras coisas, como saber estabelecer metas, administrar o tempo, todas estas coisas farão de você pessoas melhores mais tarde na vida, e eu acho que é desta maneira que procuro direcionar minhas atletas."
    Como você descreveria sua temporada no nível 10? (A ginástica nos Estados Unidos é dividida por níveis. A pergunta se refere às ginastas do ginásio que competem nesse nível). 
    "Considerando todos os fatores, eu acho que nos saímos bem melhor do que o que era previsto. Vindos do ano passado, nós tivemos um ano fenomenal no J.O, (categoria a qual atletas no nível 10 que não são elites, competem) agora obviamente as olimpíadas (pois a tradução de J.O se dá em “Junior Olympics”), mas saindo de uma temporada onde você tem 34 campeãs regionais no individual geral ou por aparelho, é difícil melhorar, então eu acho que nos saímos bem. Tivemos algumas lesões-chave em algumas das nossas melhores atletas. Grace Williams e Kamerin Moore, ambas ficaram do lado de fora das competições. Houveram 3 ginastas de calibre nacional que não chegaram a ver o fim da temporada. Elas estão bem agora, mas a periodização não esteve do lado delas neste ano."
    Você poderia nos falar mais sobre suas novas atletas do nível 10?
    "Bem, em relação à nossa temporada, tivemos algumas atletas de nível 10 que se apresentaram muito bem, especialmente no final do ano. Carly Preston, que grande “trooper” ela é (no significado de alguém que consegue lidar com adversidades muito bem)!!! Ela é uma atleta nova no nível 10. Bem, na verdade ela estava no nível 10 ano passado, mas teve uma jornada difícil com algumas lesões na perna... Voltou muito bem no fim deste ano, se classificou para o campeonato nacional, atingiu sua melhor pontuação no individual geral e conquistou medalhas em alguns aparelhos, então estamos ansiosos por um ótimo verão para ela. E Lauren Bankrough finalmente mostrou do que ela é capaz, atingindo a sétima colocação no campeonato nacional e conquistando medalhas em alguns aparelhos, então estamos bem satisfeitos com ambas. Recebemos uma atleta chamada Taylor Livingston, uma daquelas atletas que trabalham como um cavalo de batalha. Ela veio até nós bem "crua", mas tudo entrou no lugar ao final do ano, quando ela acabou conseguindo uma bolsa integral para a universidade e obteve sua melhor pontuação nu,m campeonato nacional este ano. Essas três realmente fizeram um bom trabalho ao fim do ano."
    Você tem alguma atleta treinando para o Elite, ou que tenha o potencial para tal?
    "Bem, “elite” no nosso ginásio é uma meta bem nobre. Acho que a razão pela qual tivemos um número baixo de atletas competindo elite foi porque nossos padrões e critérios são muito altos. Nós simplesmente não iremos para este nível se a atleta não demonstrar comprometimento total, todas as peças, todas as ferramentas; só assim iremos brigar com cachorros grandes. Fazer isso com crianças que não são completamente comprometidas, ou tenham uma área de fraqueza, tornará essa uma experiência negativa para elas. Não irei colocar minhas atletas numa situação onde elas não estarão felizes e não irão se divertir. Temos uma trupe de crianças chegando, temos 15 ou 16 meninas que estão indo nesta direção. Duas que realmente estão se destacando são Autumn Blaney e Delaney Harkness. Estão indo muito, muito bem, e foram selecionadas para o acampamento de desenvolvimento de elite em junho, quando estarão indo para o rancho (dos Karoly). E temos algumas outras: Jori Jackard, que está se desenvolvendo bem, Kai Rivers… E outras atletas muito, muito boas chegando."
    Quais são alguns de seus novos objetivos como técnico?
    "Bem, quando você já escalou a montanha mais alta, ou você continua no topo e espera por um tempo até que alguém tome seu lugar, ou você desce e escala outra montanha. Basicamente, neste momento estamos no processo de alcançar o topo de alguma outra montanha. Esperamos que ela nos leve ao Rio, mas veremos. Agora vamos tomar um passo de cada vez, é uma escalada longa e dura, dia e noite, mas ainda assim eu penso que temos o time, a estrutura, o suporte para fazer disto possível… E temos boas atletas também! Vamos ver o que acontece."
    Como você se sentiu quando Jordyn disse que queria continuar?
    "Para mim, neste momento, o que importa é o que ela quer. Sabe, estarei aqui para apoiá-la, não importa o que ela queira fazer. Se ela quiser se aposentar, eu a apoiarei; se ela quiser continuar na ginástica, serei “100% e mais ¼”. Ela já me deu tanto durante este tempo! Ela me deu tudo que eu poderia jamais pedir a uma atleta, então, independente do que ela queira, eu a ajudarei a chegar lá. Se eu quero estar nos holofotes de novo, e ter outra ginasta indo ao campeonato mundial ou olimpíadas? Com certeza, seria maravilhoso! Mas tem que ser mais baseado no que ela quer do que no que eu quero."
    Como está o treinamento da Jordyn no momento?
    "No momento ela está treinando e tentando se manter em forma. Ela tem vários compromissos neste verão, então estamos meio que adiando a preparação para uma competição, apenas tentando continuar em forma. Ela tem vários compromissos por vir: ela estará graduando, sua irmã irá se casar, sua irmã também irá se formar na escola de medicina, ela tem vários compromissos no camp, ela acabou de conquistar o prêmio do “hall of fame”, mais outros prêmios como esportista, ela estará fazendo apresentações... Simplesmente uma temporada muito, muito agitada, e então ela tomou uma decisão de adulta (a de adiar a temporada competitiva). Jordyn simplesmente não conseguia aliar treinos suficientes para se sentir preparada para o campeonato nacional. Por isso colocaremos tudo no modo de espera, treinaremos duro, e tomaremos uma decisão no outono, para onde iremos prosseguir."
  • You might also like

    Um comentário:

    1. Que pena Jordyn não irá participar mais do mundial né?

      Acho que os EUA não vão vir forte pra esse mundial, até agora as ginastas que estão sendo apontadas como AA, estão com as series "fraças".

      Ass:Eduardo Soares

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.