• European Youth Olympic Festival 2013 - Individual geral


    Aconteceram hoje as finais do individual geral, masculino e feminino, no European Youth Olympic Festival 2013.

    No masculino, a Grã-Bretanha dominou o pódio, ficando com os dois primeiros lugares. Brinn Bevan conseguiu a pontuação mais alta, 85,200, com uma nota muito boa na paralela (14,550), e com a maior nota do dia no cavalo com alças (14,050) e solo (14,300). Nile Wilson conseguiu 83,700 para a prata, tendo sua maior nota também na paralela (14,650). O russo Ivan Stretovicth fechou o pódio com 82,000 pontos, com mais um destaque na paralela (14,300).

    Na final feminina, a decisão confirmou novamente a superioridade russa no continente, sendo liderada por Maria Kharenkova, uma das maiores promessas do país para os Jogos Olímpicos de 2016. Sem quedas, a ginasta de 15 anos passou tranquilidade em suas três primeiras apresentações, e fechou na trave (14,000) sua participação de hoje.

    Segunda colocada após um empate com a russa, Kim Janas, da Alemanha, também competiu sem quedas e se mostrou uma forte candidata para os próximos Jogos Olímpicos da Juventude, que acontecem em 2014, na China.

    Líder do primeiro dia, a britânica Tyesha Mattis completou o pódio, apenas um décimo atrás das 2 primeiras colocadas. Tyesha provou mais uma vez ser um dos nomes do ciclo. apresentando séries seguras e elementos de altíssima dificuldade (DTY, Khorkina nas barras, Silivas no solo).

    Interessante ressaltar que Rebeca Andrade, nossa juvenil mais promissora, conseguiu 55,800 no individual geral em um amistoso contra a Inglaterra na cidade de Ipswich. Na ocasião ela venceu a britânica Tyesha Mattis com mais de um ponto de diferença.

    Confira os resultados completos do individual geral do EYOF: masculino e feminino.

    Bernardo Abdo colaborou com o texto.
  • You might also like

    20 comentários:

    1. Nooossa Maria Kharenkova está muiito atrás das juvenis norte americanas, Isso é Fato !! Sem comparação !!

      Gente cadê as juvenis romenas ?? Está crítica as coisas por lá, seria Romênia uma futura Ucrânia ?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Uma atleta só pode competir "pra valer" com 16 anos. Qual é a moral de gastar todo o potencial de uma atleta antes disso?
        Não entendi, tá querendo novas Rebecca Bross, pronta antes do tempo e olha que fim teve? A própria Tatiana Nabieva, super estrela na categoria junior, depois quando virou senior teve vários problemas, lesões e peso... Atletas tem que ficar prontas na idade certa.

        Excluir
      2. Maria Kharenkova não deu seu tudo! Em competições importantes ela faz as outras comerem poeira ela fazendo tudo o que sabe!
        Americanas que se preparem pois ganhar a Maria Kharenkova não será fácil!!!!
        Atrás das americanas? kkkkkkkkkk. Vês as competições dela no inicio do ano! Ela apenas se poupou nessa !!

        Excluir
    2. Cássio de Sá18 julho, 2013 17:19

      http://www.youtube.com/watch?v=IJkJc4UmBe0 Gnt olhem este vídeo! Uma juvenil sueca muito boa nas barras, com música " Ai se eu te pego" de fundo e depois a música de solo da Ethiene

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Execelente sua observação Cássio, a Kim Singmuang tem uma série muito evoluída pra idade dela...
        fico muito feliz da Suécia estar crescendo nesse aparelho.
        Uma jogada muito inteligente que a Confederação fez foi contratar a ex-ginasta e finalista olímpica nas barras em Pequim, a ucraniana Darya Zgoba para ser a técnica exclusiva no aparelho, e agora os resultados começaram a aparecer.
        Outro exemplo de evolução do país foi o fato da Jonna Adertleg, que foi prata no europeu e é uma forte candidata pra final em Atuérpia.
        Enfim, fico feliz pois estamos vivendo uma fase interessante, pois a américa latina tem se destacado, os países do norte europeu vem fazendo um trabalho muito bom, e espero que a ginástica seja mais democrática e que não fique com USA e Rússia nos centros das atenções.

        Excluir
      2. Cássio de Sá21 julho, 2013 17:26

        Sério que a Darya Zgoba é técnica? Fico feliz de saber!

        Excluir
      3. O atual time nacional fica em Eskildstuna, onde treinam Adlerteg, Ida Gustafson, Emma Larsson e as irmãs Haavisto. Já estão se preparando para 2016, 2020 e 2024. Além disso, o time faz centro de treinamento para se adaptar ao nosso clima(sul da França, como o time russo está fazendo em Chipre) e fazendo intercambio(esta semana com time holandes, Noel Van Klaveren à frente). Fora o fato de importarem muitos técnicos do Leste Europeu(não só Suecia, mas Noruega e Finlandia). Hoje na Europa, existem os vikings ganhando competições no Leste e os celtas ganhando competições no oeste europeu(em arenas tão diversas como França e Eslovenia). Se Adlerteg é favorita para as barras, bem, ficar apenas 3 décimos atrás da Mustafina nao é pra qualquer uma. E Zgoba e Adlerteg já se tornaram inseparaveis desde o primeiro workshop que a ucraniana fez por lá no fim do ano passado. Em suma, nao existe mais time ingenuo na ginastica e o Brasil nao pode ficar pra trás.

        Excluir
      4. Na verdade a Kim já é quase adulta.

        Excluir
      5. Pra 2024?! 2020 tudo bem, mas ginastas nascidas em 2005 sendo treinadas com a equipe nacional não faz sentido.

        Excluir
    3. Embora Stephanie Siegenthaler nao tenha obtido bons resultados em Utrecht, a ginástica na Suiça vai bem obrigado. Sétimo evento do ano na área, em agosto acontece o St.Gallen Turnshow 2013, lar da campeã europeia Giulia Steingruber.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A diferença das atuais juvenis suíças e das anteriores é que as de hoje não saltam. Não sei se algumas delas vão vingar (Siegenthaler entre elas).

        Excluir
    4. Maria Kharenkova se firmando como uma das ginastas favoritas para o Rio 2016.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. bloguista e galera , me desculpe mas vi videos dessas ginastas elas tao bem superiores que a rebeca(por enquanto pq ela nao esta fazendo seus exercicios mais dificeis tbm )asinglesas sao umas feras veem os videos , maria krarenkova vai dificultar muita coisa ainda ,mas naoserá uma komova da vida

        Excluir
    5. Fazer mais de 61 pontos no AA sendo ginasta juvenil...só a Komova pra conseguir essa proeza! hahahaha

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. procure resultados de Margrit Lea, ela fez 62,000 no ano passado. Detalhe - só tem 11 anos.

        Excluir
      2. Inflando neee!! É muito fácil!! kkkkkkkk

        Excluir
      3. Procure se informar. Existem sistemas de bônus em muitos países para pré-júniors.

        Excluir
    6. De encher os olhos as apresentações desta competição!

      As séries de todas as ginastas foram muito bem montadas, não só das russas.

      Competição de alto nível e com poucas falhas.

      ResponderExcluir
    7. Não tem a ver com o post, mas achei interessante avisar. o usagym divulgou as competidoras do U.S. Classic
      http://usagym.org/pages/events/classic/participants.html

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.