• Mundial de Ginástica Artística 2013 - Análise da final individual geral feminina


    Depois da final individual geral masculina, aconteceu hoje a final feminina, que foi também emocionante. Ponto a ponto a final foi disputada até o fim, que teve como campeã a americana Simone Biles, seguida por Kyla Ross e Aliya Mustafina. Diferente de quem achava que esse Mundial já tinha uma campeã garantida (Simone Biles), a disputa estava entre quem errasse menos. Qualquer uma das tops classificadas poderia ser a campeã e, no caso, Simone foi a que menos errou.

    Simone Biles repetiu o feito da classificatória, mantendo sua posição de primeiro lugar. Começou no salto, onde pontua muitíssimo bem; passou sem erros pela paralela e trave e fechou no solo, seu melhor aparelho, onde apresenta mais dificuldade. Palmas para Biles! Solo dificílimo e bem executado, solo que coloca seu nome no código de pontuação.

    Kyla Ross também manteve a segunda colocação, repetindo suas performances limpíssimas. Seu DTY foi o de valor mais alto, mas merecido. Ela executa muito bem mesmo. Sua paralela também foi boa, mas alguns lançamentos á parada creio que não foram considerados. Teve a maior nota de trave, que foi uma série ótima, mas que só foi a melhor da competição porque Iordache caiu. Terminou no solo, sem erros graves.

    Aliya Mustafina chegou para essa competição parecendo outra pessoa. Concentrada, com cara de quem veio competir. Começou no salto, com um DTY bem executado. Foi para a paralela, com sua série mais difícil, e muito bem executada. Teve apenas um passo na saída, que acredito ter lhe custado 3 décimos, o que a teria colocado, nesse aparelho, com a melhor nota. Na trave apresentou uma série bem mais segura que na classificatória, sem grandes erros. Aliya se concentrou muito antes de subir na trave. Todos esperaram uma nota maior para Mustafina, mas não podemos nos esquecer que os juízes são trocados a cada dia de competição por meio de sorteio, ou seja: ela não foi julgada pelos mesmos juízes das classificatórias. Não dá para ficarmos comparando as notas de uma competição com outra! No solo, Mustafina mostrou toda a elegância que poderia. Linda e expressiva, fez a série com vontade. A Mustafina que competiu hoje em nada se parece com a Mustafina das classificatórias. A Mustafina que competiu hoje entrou para a arena com a vontade e postura de quem sabe o valor que tem. Linda, linda e linda.

    Larisa Iordache saltou muito bem, fez a paralela certinha e foi pra a trave, seu melhor aparelho. Era a hora de tirar a diferença de pontos das séries anteriores, mas Iordache cai na sequência de rondada com mortal esticado. Decepção geral no ginásio. Essa série era crucial para uma possível medalha para Iordache na competição. Finalizou bem no solo, mas não o suficiente. Terminou em 4º lugar, mesmo com a queda.

    Yao Jinnan executou bem o salto, que foi muito bom para uma chinesa. Teve a melhor nota de paralela, onde fez o Mo! Quanto emoção no ginásio nesse momento. Depois foi para a trave, onde poderia cravar mais uma nota alta e tentar terminar no pódio da competição, mas caiu logo no primeiro exercício, uma pirueta para trás. No solo ela não teve nenhum erro, mas não consegue uma grande nota porque não tem grandes dificuldades. A chance de Jinnan foi na trave, e ela errou.

    Shang Chunsong fez um FTY no salto, que é um salto bem simples, ainda mais para uma chinesa. Depois foi para a paralela, onde poderia tirar uma boa nota, mas que não aconteceu. Errou muito na paralela e depois errou muito na trave, terminando no solo, onde também poderia ter tirado uma boa nota, mas nem passou dos 14 pontos.
    Vanessa Ferrari e Giulia Steingruber foram muito bem na competição. Não erraram nada, fizeram o que puderam, mas as séries, no geral, não eram suficientes para deixá-las numa colocação de medalhista. Terminaram em 6º e 7º lugar, respectivamente, ótimas colocações. Steingruber evoluiu muito, teve a quinta melhor nota de solo e a terceira melhor nota de salto. Vai para as finais desses aparelhos com uma certa moral.

    Victoria Moors acertou o duplo com dupla esticado que agora pode ser validado com o seu nome.

    Decepções

    Jessica Lopez fora da final (motivo até agora desconhecido), Larisa Iordache e Yao Jinnan caindo da trave e Noel Van Klaveren errando a paralela inteira e caindo da trave.

    Resultados completos

  • You might also like

    31 comentários:

    1. Foi mesmo decepcionante ver a Jinnan e a Iordache caindo nos melhores aparelhos delas...ainda meio que não acredito...e teve um errinho da Mustafina no bb que custou uns pontinhos :(

      ResponderExcluir
    2. Ocorreu tudo conforme o esperado. Biles sem sombra de dúvidas era a ginasta a ser batida e só perdia se errasse, o que raramente acontece com as americanas. A Ross foi perfeita nem tenho o que comentar.
      Fiquei super chateado com a queda da larisa, a trave dela é muito boa, espero que ela acerte na final e corra pro abraço :D .
      P.s - Pra quem não gosta das americanas as coisas só tendem a piorar, já que ano que vem teremos a volta da Raisman, Gabi e Wieber :D .
      Marcos Vianna "

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A piorar pras russas e romenas,nem sempre a volta das veteranas que dizer que elas voltem bem!

        Excluir
      2. kkkkkk pra piorar ainda tem a Katelyn Ohashi, as novas que virão e as veteranas que voltarão sem ser essas que vc citou kkkkkk

        Excluir
    3. achei o DTY da mustafina muito bom, mas o que me aparentou foi que os juízes deduziram muito da chegada !

      ResponderExcluir
    4. Concordo com tudo que o GBB escreveu,o mais engraçado é que eu sonhei com a dobradinha americana,elas vestindo exatamente rosa,de forma que eu acho que não foi surpresa e mais uma vez a sempre diva Mustafina salvando a Rússia.

      ResponderExcluir
    5. "Aliya vai lutar pelo ouro no individual geral. Sua rival é a romena Larisa Iordache, que tem uma série de trave muito forte. A técnica dela é muito original. No solo, Aliya e Larisa tem o mesmo nível. Aliya é melhor no salto, e claro, na paralela. Sua série é mais difícil que a apresentada nos Jogos de Londres. Por exemplo, ela faz o shaposhnikova com giro completo. Poucas ginastas que executaram esse elemento estarão na Antuérpia. Então vamos esperar..."

      Realmente ela ganhou da Iordache. Só que não.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Dica: Não leve Valentina Rodionenko a sério.

        Excluir
      2. essa mulher é uma nojenta, não foi ela que disse que aliya nao teria chances nas olimpiadas, salvo as barras? hai ai viu...

        Excluir
    6. Mustafina ressurgindo como uma Fênix nesta final,e mostrando aos réles mortais que quem é rainha jamáis perde sua majestade. Medalha de bronze mais ouro da competição LINDA ,SOBERANA,INIGUALÁVEL ,LOVEMUSTA!!!!!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. sorte dela ter conseguido o bronze,pois se ñ fosse a queda da musa lordache,tinha que se contentar com o quarto!

        Excluir
    7. E teve boatos que Alya estava na pior,se isso é estar na pior HOOOOORAAAA oque quer dizer tá bem né?????

      ResponderExcluir
    8. recadinho para um anônimo recalcado:
      Tem que ter muita moral para fazer piruetas tortas e conquistar tudo que Alya conquistou,trazendo uma nação em declínio no esporte nas costas,então antes de falar que ela sairá voando do tablado aceite o fato de que oque ela conquistou em um dia vç não consiguirá conquistar na sua vidinha inteira ,Tá amor!!!!!!!!

      ResponderExcluir
    9. fiquei muito feliz pela vitoria de biles, por outro lado queria que iordache ficasse com broze.

      ResponderExcluir
    10. o ano para Steingruber nem terminou - ainda tem o Swiss Cup, que leva o nome dela. Só um ouro hoje ou amanhã.

      ResponderExcluir
    11. Mustafina foi a campeã para mim! Por mais, que ela tivesse problemas nas qualificatórias, esses a impulsionaram, como sempre, a lutar a cada movimento. E com certeza ela buscou mesmo o ouro, que infelizmente não veio. Espero, que ela continue nessa jornada. Agora é preciso, que ela aumente um pouco mais a dificuldade de algumas séries, para bater de frente no próximo mundial com as americanas. Ainda acredito no potencial da Aliya de se tornar campeã olímpica novamente. Homero

      ResponderExcluir
    12. o mesmo resultado de 2009 e se brincar o ano que vem vai dar eua por equipe e no individual de novo,é uma lastima!

      ResponderExcluir
    13. http://wogymnastike.blogspot.com.br/2013/10/victoria-moors-with-aliya-mustafina-at.html?spref=tw

      Isso mostra que a Aliya não precisa mais buscar nada. O nome dela já está na história!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Amo as duas, ambas com elementos no código, ou seja, estão na historia da ginastica.

        Excluir
    14. Enquanto assistia a final, lembrei-me do pronunciamento da Valentina Rodionenko ao dizer que a única rival de Mustafina seria a Iordache, mas ela esqueceu de acrescentar que essa disputa seria para a medalha de bronze, kkkkk

      ResponderExcluir
    15. Sem surpresas na final. Quase parei de assistir quando Shang, Iordache e Yao caíram seguidas. Mas né, insisti pra ver Simone Biles ganhar e Kyla em segundo, QUANTA SURPRESA. Por favor, emocionante não é a palavra, foi frustrante. E não vou discutir se Biles mereceu ou não ganhar, mas olha, ela foi bem overscored. Principalmente no solo. Eu prefiro discutir outra coisa.

      Ela precisa ter deduções pela sua artistry. Não é porque é uma americana, ou porque ela é a própria Simone Biles. Ela tem uma ótima expressão, mas os jurados precisam ser mais rigorosos com a coreografia, personalidade e originalidade nas performances e não ter medo de sentar o dedo nos descontos. Eles fizeram isso com 95% das atletas. Eles tinham que fazer com 99% delas.
      Eu pensei que o ponto dessas novas deductions era trazer a memorabilidade e aquele "boom" de volta, mas não teve nada disso. O que eu vi foram "swings" com o braço, um sorriso, uma extensão bonita, mas ninguém realmente dançou, ninguém realmente fez uma coreografia que fluiu bem e que foi 100% de acordo com o que a música pediu.
      Das que não merecem essas deductions, em minha opinião somente Aliya fez o que realmente deveria ser feito no solo. Não que seja por muito. Iordache e Izbasa talvez poderiam ser isentas disso ou não, eu daria a elas o benefício da dúvida por enquanto, mas ainda assim tem o que melhorar. Kyla Ross está na direção correta, mas ainda não chegou lá. McKayla Maroney também está indo numa direção certa, mas precisa dançar de acordo com a música, ela se perde na mudança de tempo. A rotina de Simone Biles precisa ser mais coesiva e fazer uma coreografia mais trabalhada, a expressão e a personalidade estão ali. As que sobraram - e que eu me lembro - deveriam ter essas penalidades.
      Seria ótimo se em 2016 a gente realmente assistisse ao retorno da beleza, que não aconteceu com Nastia Liukin ganhando em 2008 e também não aconteceu com o novo código. Ao invés de ganharmos a arte, ganhamos os traços dela. Os jurados e a FIG precisam parar de se conformar com mediocridade e realmente pedir o melhor das ginastas, dar ênfase nos descontos e insistir até que a graça do esporte retorne.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. sei como é, ou não se mustafina ganhasse seu comentario seria totalmente diferente. recalque

        Excluir
      2. Aplausdos por favor!!!

        Excluir
      3. "sei como é, ou não se mustafina ganhasse seu comentario seria totalmente diferente. recalque"

        Meu comentário foi imparcial, pelo menos quando eu falei sobre artisty (porque o primeiro parágrafo não foi mesmo). Nem fã de Aliya sou, gosto da Iordache cuja rotina critiquei também. OBRIGADA.

        Excluir
    16. Saudades da Voktoria komova, estou torcendo pra ano que vem ela venha pros Jogos Olímpicos!

      ResponderExcluir
    17. Continua sendo uma lástima ler comentários de alguns maus perdedores...
      Ginástica 101 - Acertou? Cravou? Teve um bom equilibrio entre dificuldade, execução e limpeza? Ganhou. Contra mérito nada se discute.

      Se a Iordache der um up no VT e UB, e também melhorar em termos de consistência, vai bater de frente sim. Já a Mustafina precisa realmente melhorar as chegadas e limpar as séries dela em termos de execução, pq eu não acredito que a dificuldade vá continuar crescendo exponencialmente com o passar dos anos. A maior prova que limpeza ganha medalha é a Kyla... somados os D scores do AA dela chegam em 23,8 no total. Menor que a Aliya, Iordache, Yao e até a Giulia. Ta aí, execução e perfeição mostrando pra que servem.

      Por esse começo de ciclo tudo que eu pude sentir foi que o gap entre os EUA e o resto do mundo só aumentou. Pessoal vai ter que apertar o passo e correr pra chegar bem até 2016. Tenho que dar uma olhada nas juniores Russas antes, mas vou cantar a bola aqui e posso pagar pela minha língua, acho que no Rio vai dar EUA mais uma vez e Bailie Key no AA.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Concordo com vc Bailie Key tem tudo pra ser o nome do AA dos EUA. Ela é boa em tudo !!

        Excluir
      2. Ela teve boa execução sim,concordo,mas o fato de ser americana influenciou,eu duvido se kyla fosse brasileira ou de qualquer outro país que não tenha tradição na ginastica ela teria ganhado alguma medalha, e isso não é recalque,é um fato.

        Excluir
    18. Venceu a halterofilista da Biles, ginasta de muita força e músculos e nada de elegância e graciosidade! Infelizmente é isso o que conta hoje na ginástica!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Me desculpe quem é fã da Biles,mas isso sim é que é solo!!!

        http://www.youtube.com/watch?v=QHWf_sm9CAc

        Excluir
      2. e oque adianta ter beleza corporal e balé se os saltos ñ ajudarem!
        Mas uma vez a feiura musculoza ganhou,aceite!

        Excluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.