• Mariana Bitang e Octavian Bellu deixam a seleção romena


    Mariana Bitang e Octavian Bellu, dois dos melhores treinadores do mundo, deixaram a seleção romena mais uma vez. Mas, dessa vez, é por uma boa causa: os treinadores decidiram por em prática um projeto de busca por novos talentos, com a intenção de preencher essa grande lacuna pelo qual passa a ginástica romena.

    A ginástica, que é o principal esporte na Romênia, está tendo dificuldades em apresentar novos talentos ao mundo. Nos Jogos de Londres, a equipe romena foi composta por duas ginastas veteranas, Catalina Ponor e Sandra Izbasa, sendo que Ponor estava aposentada e voltou às competições bem próximo das Olimpíadas acontecerem. Se não fosse o desempenho das veteranas, provavelmente a Romênia voltaria para casa sem medalhas.

    Apesar de muito interessante, o projeto tem dificuldades para se concretizar. Octavian Bellu disse que o dinheiro oferecido pelo governo não será suficiente para financiar o projeto. Entretanto, existe um patrocinador em mente. Bellu garante que ele e Bitang ainda voltarão a liderar a ginástica romena. Agora é esperar para ver.

    Enquanto isso, Larisa Iordache participa de várias competições internacionais acompanhada do técnico Lucian Sandu. Diana Bulimar se recuperou da lesão e está treinando com as ginastas juvenis.

    Fonte: http://www.olimpiazzurra.com/2013/11/ginnastica-bellu-via-dalla-romania-progetto-rivoluzionario/
  • You might also like

    12 comentários:

    1. nossa aí é que é decadencia total da ginastica romena!

      ResponderExcluir
    2. É uma pena mesmo, os treinadores principais, que em tese deveriam apenas lapidar as ginastas, tem que sair pelo país a procura de futuros talentos, tarefa quem também em tese, deveria ser dos clubes.

      A Romênia sofre com a crise econômica, colocando os esportes em 2º, 3º, 4º plano.

      Não sei mas acho que a Confederação irá tentar de tudo para Izbasa ( e quem sabe até Ponor) competir em 2016, eles não possuem muitas escolhas.

      Aliás quais são as júniores promissoras (a lá Bailie Key,Maria Kharenkova) da Romênia...Só ouvi falar da Andreea Munteanu, mas e as restantes ?

      ResponderExcluir
    3. Uma pena mesmo !! As romenas aliam explosão com graciosidade, diferentemente das americanas.

      Não vejo a Romênia brigar pelo ouro em equipes nas próximas décadas...

      ResponderExcluir
    4. Essa notícia está errada. Eles não abandonaram a equipe.
      O que aconteceu foi que um ''sabidinho'' repórter soube que eles não estavam em Izvorani e fez e um ENORME ARTIGO só para dizer o quanto eles são covardes por deixarem a equipe nesse momento... Como sempre, vocês sabem como é a imprensa de lá...
      O que eles estão fazendo fora de Izvorani é buscar apoio e patrocinadores para realização de projetos na seleção principal.

      ResponderExcluir
    5. Respostas
      1. " Todas as vezes que comemos deste pão... e bebemos deste cálice.... anunciamos senhor a vossa morte, enquanto esperamos vossa voltaaa"

        Excluir
    6. Por mais que dificuldades possam surgir, se Bellu e Bitang fizeram essa escolha, foi por analisar muita coisa MESMO, e ver que isso realmente seria preciso, e que estariam deixando esse 'legado' em outras boas mãos. Não acredito de Izbasa e Ponor retomem os treinos, foi uma sorte e orgulho tê-las em 2011/12/13, mas chegou a hora delas, e que mesmo assim acho uma pena, mas tem-se que respeitar a escolha delas, além de terem outros objetivos para suas vidas daqui para a frente. Há décadas a Romênia é elite mundial, fazendo parte do TOP 3 em praticamente todo ciclo olímpico, o que já estamos acostumados a ver. Crises, dificuldades, assombram o período pós olímpico, mas a Romênia tem um capacidade incrível de se reerguer. Iordache e Bulimar ainda tem muito potencial a serem explorados, e QUEM SABE Stanila, porém sem muito acreditar, pela idade já em fase e pela performance apresentada no WC da Bélgica, que não foi nada satisfatório. Duas grandes figuras, e com certeza serão peças chave para 2016, são as juvenis Laura Jurca e Andreea Iridion, que no European Youth Olympic Festival deste ano de 2013 tiveram um excelente desempenho, com uma boa dificuldade e execução em todos os aparelhos, chamando-nos atenção também nas paralelas, com o uso dos protetores palmares que estão ajudando e muito o país na melhoria deste aparelho 'decadente', melhoria notada também em Iordache, que na última Swiss Cup arrancou um 14.700 dos árbitros, fantástico. O jeito agora é pensar no melhor, e esperar pelo próximo calendário, a fim de ver quais serão as escolhas da Romênia nas copas do mundo, e mundial, que em 2014 terá competição por equipes, e será um desafio e tanto para preencher pelo menos 4 vagas para formar uma equipe que sonhe com pódio. Que Deus livre e guarde Iordache e Bulimar de lesões, para que possam segurar as pontas desse grande desafio que vão enfrentar neste ciclo, até que as coisas se acertem e drenem com tranquilidade o sangue romeno que correm em suas veias.

      ResponderExcluir
    7. Geeeente, todo esse bafafá é obra de um repórter sensacionalista! Na verdade eles saíram para solucionar uma pendência com a confederação romena de ginástica e também aproveitaram para ter umas "férias" como a própria Bitang disse. E sei que nesse momento que estão fora, a Bulimar está treinando com as juniores.

      Carlos Ferreira.

      ResponderExcluir
    8. Não acho que a romenia esteja em seu pior momento, acho que a situação em 2008 por exemplo era bem pior, digo na tecnica das ginastas.

      ResponderExcluir
    9. ainda sonho com o retorno de ANA PORGRAS!

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.