• Análise do Campeonato Brasileiro 2014. Quem deve fazer parte das equipes brasileiras que competirão no Mundial?


    Depois das finais do Campeonato Brasileiro 2014 pudemos ter uma noção de como andam as séries e rendimento dos ginastas da seleção brasileira. Os ginastas da seleção masculina continuam traçando o caminho correto e que é claramente demonstrado nos atuais resultados, tanto nacionais como internacionais. As ginastas da seleção feminina começaram a sentir os efeitos do treinamento russo de Alexandrov. Mas como realmente a seleção se encontra como equipe no cenário internacional?

    Ainda não foi postado no blog os resultados das finais do Campeonato Brasileiro, mas quem acompanha a ginástica mais de perto soube onde encontrar. Quem ainda não viu os resultados, aqui está a lista dos três primeiros colocados em cada aparelho:

    Masculino

    Solo

    1º Ângelo Assumpção, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,650
    2º Arthur Nory Mariano, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,400
    3º Lucas Bitencourt, do Serc Santa Maria (SP), com 14,300
    3º Renato Oliveira, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,300
    Cavalo com alças

    1º Fellipe Ferreira, do Minas Tênis Clube (MG), com 14,050
    2º Henrique Flores, do Serc Santa Maria (SP), com 14,000
    3º Francisco Barretto Júnior, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 13,300
    3º Lucas Bitencourt, do Serc Santa Maria (SP), com 13,300

    Argolas

    1º Arthur Zanetti, do Serc Santa Maria (SP), com 15,850
    2º Henrique Flores, do Serc Santa Maria (SP), com 15,250
    3º Francisco Barretto Júnior, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,300

    Salto

    1º Hudson Miguel, do Serc Santa Maria (SP), com 14,975
    2º Diego Hypolito, do Asa/Mesc/São Bernardo (SP), com 14,850
    3º Ângelo Assumpção, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,800

    Paralelas

    1º Caio Souza, do Asa/Mesc/São Bernardo (SP), com 14,950
    2º Lucas Bitencourt, do Serc Santa Maria (SP), com 14,750
    3º Francisco Barretto Júnior, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 14,700

    Barra fixa

    1º Francisco Barretto Júnior, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 15,100
    2º Lucas Bitencourt, do Serc Santa Maria (SP), com 14,600
    3º Caio Souza, do Asa/Mesc/São Bernardo (SP), com 14,250

    Feminino

    Salto

    1º Jade Barbosa, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 14,875
    2º Daniele Hypolito, do Cegin (PR), com 14,350
    3º Joselane Santos, do Esporte Clube Pinheiros (SP), com 13,725

    Barras assimétricas

    1º Letícia Costa, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 13,200
    2º Jade Barbosa, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 13,150
    3º Maria Cecília Oliveira, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 12,250

    Trave*

    1º Daniele Hypolito, do Cegin (PR), com 14,050
    2º Julie Kim Sinmon, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 13,800
    3º Flávia Saraiva, do Sesi/Qualivida (RJ), com 13,600

    Solo*

    1º Daniele Hypolito, do Cegin (PR), com 13,450
    2º Mariana Valentin, do Cegin (PR), com 12,900
    3º Julie Kim Sinmon, do Clube de Regatas do Flamengo (RJ), com 12,850

    Confira os resultados completos clicando aqui.

    *Jade estava classificada para as finais de trave e solo, mas uma lesão/susto no fim da prova de paralela deixou a ginasta opcionalmente fora dessas finais.

    Analisando as melhores notas masculinas, os melhores desempenhos e, consequentemente, os melhores ginastas, chegamos a um senso comum. Hoje temos 4 ginastas que praticamente são a base da equipe masculina: Sérgio Sasaki, que apesar de não ter competido no Brasileiro é o melhor "all-arounder" do Brasil; Arthur Nory, que com base em seus resultados atuais e anteriores é o segundo melhor "all-arounder" do Brasil (Nory está se recuperando de uma lesão no dedo da mão e não competiu todos os aparelhos no Brasileiro); Francisco Barreto, terceiro melhor "all-arounder" do Brasil, com excelente contribuição na paralela e barra fixa; Arthur Zanetti, que além de ser o melhor do mundo nas argolas, contribui bem no salto e solo e está trabalhando para melhorar sua série de paralela.

    Fora esses quatro, temos uma lista com grandes ginastas que podem contribuir muito com a equipe: Diego Hypólito, Petrix Barbosa, Péricles Silva, Ângelo Assumpção, Hudson Miguel e Henrique Medina eram os nomes mais prováveis. Até agora. Caio Souza, que foi despedido do Flamengo e agora treina ao lado de Diego no ASA-MESC, mostrou todo seu potencial nesse brasileiro. Quem também surpreendeu foi Lucas Bittencourt do São Caetano, que garantiu 6 notas acima de 14 no individual geral.

    Abandonando todo favoritismo e conquistas do passado e pensando numa final por equipes no Mundial da China, a escolha mais inteligente para finalizar a equipe seria Caio Souza e Lucas Bittencourt. Analise o quadro abaixo, feito com notas do Sul-Americano, Copas do Mundo e do Brasileiro.



    No somatório de 4 notas, o nosso querido Brasil teria realizado o sonho de uma equipe completa nas Olimpíadas já em 2012. A nota 356.614 teria classificado o Brasil em 4º lugar para a final por equipes no Mundial pré-olímpico de 2011. E isso porque na época estava em vigor o antigo código de pontuação, onde todos os saltos sobre a mesa tinham o valor de um ponto a mais. Somando mais quatro pontos a essa nota a equipe teria um total de 360.614 e classificaria em 3º lugar, na frente da China (359.126). Um sonho, não? Na final, onde contam apenas 3 notas, com 269.114 a equipe ficaria em 4º lugar. Somando os 3 pontos do salto continuariam em 4º lugar com 272.114, mas poucos décimos atrás dos Estados Unidos (273.086) e 3 pontos na frente da Rússia (269.045). Resumindo, essa equipe, com essas notas, colocaria o Brasil entre os 4 primeiros do Mundo.
    No feminino, Jade Barbosa e Daniele Hypólito são a base da equipe. Apesar de serem veteranas, continuam sendo as melhores contribuintes com notas e resultados. A diferença nesse ano é que, ao contrário de 2011, onde a equipe era completamente veterana, é bem provável que Jade e Daniele sejam as únicas veteranas a fazerem parte da equipe. Hoje existem juvenis que chegaram á categoria adulta e estão competindo bem, além de que a antiga geração de ginastas não estão competindo mais. Juliana Santos e Adrian Gomes parecem não ser mais opções para a seleção.

    As ginastas que hoje tem condições e idade para integrar a equipe adulta são: Julie Kim, Mariana Oliveira, Lorrane dos Santos, Letícia Costa, Mariana Valentim, Maria Cecília, Daniela Santana, Isabelle Retamiro e Rebecca Mariah. Dessas, Lorrane dos Santos e Daniela Santana estão se recuperando de lesão e Rebecca Mariah sofreu uma lesão durante o treino de pódio do Campeonato Brasileiro. 

    Tendo como seletiva o Campeonato Brasileiro e excluindo as lesionadas, as melhores opções para as 4 vagas restantes são: Julie Kim, Maria Cecília, Mariana Oliveira e Letícia Costa. Analise esse outro quadro, formado apenas com as melhores notas do Campeonato Brasileiro das ginastas em questão.


    Com 221.250, a equipe feminina do Brasil teria ficado em 7º lugar nas classificatórias do Mundial pré-olímpico de 2011, entre a Austrália (221.846) e Alemanha (221.163). A equipe empurraria as britânicas para fora da final por equipes (220.553) e da classificação olímpica, evitando os transtornos da repescagem no Evento Teste. Quem não se lembra daquele sufoco que o Brasil passou em janeiro de 2012?

    Já a nota 167.800 deixaria o Brasil em 6º lugar, atrás da Alemanha (168.479) e na frente do Japão (167.122). Esse só não seria o melhor resultado do Brasil porque em 2007, ano em que Jade debutou na categoria adulta, a equipe feminina terminou o Mundial em 5º lugar.

    O que você pensa sobre essa análise? As equipes funcionariam assim? Serão esses os ginastas integrantes das equipes principais do Brasil esse ano? As coisas podem mudar até o fim de setembro ou os nomes realmente serão esses? Deixe sua opinião.

    Foto: Ricardo Bufolin

    Os quadros de análise desse post foram feitos por Rafael Margatto e Daniel Fernandes, com quem compartilho minha opinião.
  • You might also like

    22 comentários:

    1. Se jade acertar todas as provas, ela ira contribuir muito pra equipe, ela pode se classificar pra final do Individual geral, se fossemos analisar ela tem mais chances de medalha na trave do que no salto, claro que no salto a nota dela e maior, porém as Americanas entre outras executam alto mais difíceis e por isso saem na frente.

      Daniele ainda e o pilar, e a ancora da equipe, gostei da atuação da Julie , se ela acertar acredito que ela vá ao mundial, as outras ginastas estão com um nível de dificuldade baixo, e as notas estão muito baixas.

      Tinha expectativa em relação a Leticia, contudo, ela mostrou o de sempre.

      ResponderExcluir
    2. Acho muito difícil não levarem o diego, ao menos esse ano, mesmo tendo outros com melhores notas

      ResponderExcluir
    3. Gostei da análise, a Julie pra mim no começo do ano era muito franca, agora ela está se destacando muito, parabéns Julie, vc melhorou demais, hj sou seu fã e torço pra vc ir, fazer bonito, dificultar as séries e cravar sempre! Sua linda!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. De que adianta, pra numa final arregar mais que o Ceará do pânico, pra mim essa daí nunca vai superar, espero pagar com a língua, mas até agora nunca errei.

        Excluir
    4. Na minha humilde opinião é que se pode usar como base essas notas que não são da arbitragem internacional e que de 2012 pra cá as outras equipes evoluíram muito como a Grã Bretanha e a Rússia no masculino.Quanto ao feminino ,muito me preocupa depender das veteranas Daniele e Jade que não tem controle emocional e as notas das novatas estão muito baixas.

      ResponderExcluir
    5. Em santos Jade, competiu apenas no VT ( onde ela se lesionou) e na UB, em Aracaju, ela competiu no VT e na UB( ela também se lesionou.

      O blog postou uma linda foto de Jade, onde ela aparece com o abdômen trincado, em ótima forma, porém na TV não e o que parece, Jade ainda esta fora do peso, talvez seja isso que tenha atrapalhando ela de competir em todos os aparelhos nas finais em que se classificou.

      com relação e equipe, Dani, e Jade realmente ainda são base, Julie surpreendeu positivamente, será que ela se sairá bem em próximas competições? tomara que sim, precisamos da series dela, esperava mais da Leticia costa.

      ResponderExcluir
    6. Só queria dizer que vocês são f****. Post bom por demais. Parabéns ao blog.
      Falando de equipe, eu acho que vai ficar isso ai mesmo. Só que não acredito de uma final feminina, muito menos um 6° lugar. Mas espero que as suas previsões estejam corretas.
      Gostaria muito que a Mariana Oliveira conseguisse uma final de Individual geral, mas do jeito que vai será bem difícil. Parece que ela anda com muitos problemas :/

      ResponderExcluir
    7. A equipe feminina teve uma excelente evolução com relação ao último ciclo, onde as séries ficaram estagnadas enquanto países como Canadá, Itália, França, Grã-Bretanha etc só evoluíram. Mesmo assim, ainda acredito que não temos uma equipe para entrar no TOP 5, nem no TOP 8. Elas precisam usar mais o código. Ex: do que adianta executar um DTG e não fazer também um DG ligado a um salto de dança.

      ResponderExcluir
    8. Bom, ñ sei como a Ginástica da Adrian está.
      Porém, naquela entrevista q o GBB fez com ela no começo do ano, ela disse q o objetivo desse ano era voltar a competir pela seleção e na minha opinião se até o final de Setembro ela voltasse como estava antes da lesão, ela iria para o Mundial!!!

      Igor

      ResponderExcluir
    9. Ótimo Post !!

      Realmente vou deixar as respostas para as perguntas finais para os tecnicos das seleções !!

      Rs...

      ResponderExcluir
    10. Muito bom o post.
      Essas análises de competição é o que eu mais gosto desse blog, vcs estão de parabéns, traz esperanças para nós torcedores da ginástica brasileira.

      Acredito um top 10 para essa equipe feminina, e o masculino não acompanho de perto mas acho essa a equipe ideal.

      ResponderExcluir
    11. Infelizmente a ginástica brasileira ainda vai depender muito de Daniele Hypólito principalmente na competição por equipes. O que não vai acontecer na seleção masculina que tem ginasta talentoso sobrando e estão numa excelente fase. Acho que vai ser difícil para a seleção feminina conseguir algum bom resultado no mundial desse ano.

      ResponderExcluir
    12. Realmente esse post é mais uma prova de que não precisamos do Petrix na seleção! Já deu !!!

      ResponderExcluir
    13. Se as meninas acertarem as séries e não tiverem quedas ou grandes falhas, podem sim conseguir um possível TF. Já a equipe masculina tem tudo para estar na final por equipes.

      ResponderExcluir
    14. Parabéns pelo post!
      Acho muito difícil o Diego não ir ao mundial, temos hoje ginastas que podem contribuir mais do que ele, mas parece que o Brasil vive de resultados passados.
      Acredito que a equipe feminina não terá chances de um top 8, mas acredito em boas performances da Jade. Daniele não sai da mesma, Julie está surpreendendo e Letícia me decepciona, tem muita potência mas não sabe aproveitar. Espero que continuem a evoluir, estão no caminho certo para em 2015 brilharem com as juvenis.

      ResponderExcluir
    15. Fabiano Araújo07 agosto, 2014 19:52

      Nossa, que análise completa! Muito bom, adorei.
      Eu concordo com essa composição das equipes. É lógico que um deslize sempre acontece, nunca há a competição perfeita para as equipes. Mas os outros também erram e eu tenho certeza que a equipe masculina vai arrasar no mundial esse ano.
      Com relação à feminina, não espero nada de estrondoso ainda. Mas torço para que elas façam o melhor e deem uma volta por cima pra tirar os fantasmas do ciclo passado.

      ResponderExcluir
    16. Não querendo ser pessimista mas sim realista cada competição é uma,torço muito pra que o Brasil acerte tudo tanto no masculino quanto no feminino mas especialmente no segundo caso sabemos que é pouco provável. Porém de qualquer forma fica evidente a evolução no masculino e acho extramente possível um top 12 nesse mundial.O Nory se recuperando de lesão assume o lugar cativo de Diego na seleção e então a equipe está consolidada.Isso se a CBG permitir,mas ao meu ver Nory é infinitamente superior ao Diego e agrega mais a mesma.

      Quanto ao feminino há dúvidas,ainda dependemos muito dos dias abençoados da inconstante Jade e Dani! Sem contar da arbitragem que é totalmente tendenciosa. Não acredito que a Dani chegue a casa dos 14 na trave mesmo acertando a série,não por falta de mérito,mas sim pela ''mãozinha'' dos juízes; no solo nem precisa dizer né?! Tem prova pra 13,5 sendo bem generoso. Quero deixar claro que apesar das críticas torço pela seleção e ficaria muito feliz se eu estivesse errado com elas. Acho que um 11° lugar no FEM já seria um bom resultado.

      Será que Dani pega final no AA? E Jade final AA,VT?

      ResponderExcluir
    17. flavia saraiva me faz lembra maria kharenkova na trave tão noja e cheia d ligamentos e uma serie bem rapida adorei, eu espero uma boa evolução na barra o tecnico russo mostre as armas das russas nesse aparelho, a leveza, vi muito a melhora das meninas na trave e no salto, mais as paralelas precarias acharia bem q nesse ciclo eles treinassem mais as barras ja q a barra a ginasta ganha altura alinhamento e melhor tecnica em seus movimentos.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Pra mim ela é a UNICA a dar orgulho pro Brasil, crava fácil a trave e tira mais de 14xxx enquanto outras sem queda sofre pra passar de 13xxx lamentável

        Excluir
    18. Parabéns pela análise..... incrivelmente entusiástica...
      Acredito bastante no potencial dos técnicos de GAF E GAM do Brasil!! surpresas irão acontecer....... Acredito fortemente em uma medalha olímpica para Rebeca Andrade , Lorrane dos Santos e nossa querida Jade Barbosa ( nossa pedra pecisosa!!), certamente o Brasil esta se tornando um local celeiro de ginastas. Enfatizo bastante a leveza e graciosidade de Flávia Sarayva, é lindo ver o desenvolver desta ginásta ( linda de mais)....

      ResponderExcluir
    19. Jade, mais uma vez, infelizmente lesionada.
      Isso faz nos recorrer a mais uma ginasta: Mariana Valentin ou Isabelle Cruz.

      Na lógica, Mariana Valentin salta FTY, tem uma barra de valor 5.000, mas de péssima execução, nunca vi a barra dela sair da casa dos 11... A trave dela é linda.... quando acerta.... e o solo é regular também, mas o que deixa nos nervos é aquela dupla como terceira passada.

      Isabelle Cruz falta 5.300, muito boa a execução... barras regulares, quase no nível da Maria Cecília, depois da Jade, a melhor atleta adulta nas barras, e a trave e solo com dificuldades baixas, sem importância para a equipe.

      Ou seja, mandem somente 5 pro Mundial, todas competindo AA.

      ResponderExcluir
    20. Depois deste mundial fica comprovado que a Jade precisa de reserva nas competições.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.