-->
  • Brasil conquista inédita classificação para a final por equipes masculina no Mundial


    Pela segunda vez em 2014 o Brasil faz história na ginástica artística. Depois de Flávia Saraiva conquistar 3 medalhas inéditas nos Jogos Olímpicos da Juventude, a equipe masculina do Brasil acaba de conquistar a primeira final por equipes (de muitas) da história. Um marco importantíssimo, suado, merecido e conquistado. Enquanto muitos achavam cedo para uma final por equipes, o Brasil foi lá e fez. E com a presença Diego Hypólito.

    A equipe tinha como adversário, inicialmente, a sim mesma. O Brasil tinha séries para competir uma vaga na final. O Brasil também tinha ginastas de talento, mas precisava acertar. Competir na 2ª subdivisão, onde os juízes ainda estão aquecendo as canetas, ainda era um fator desfavorável. Mas, apesar dos erros, a equipe não se intimidou. Para quem acompanhou e acreditou na equipe, o objetivo era muito maior do que simplesmente classificar uma equipe para o Mundial Pré-Olímpico do ano que vem.

    Começaram no salto, um dos melhores aparelhos da equipe, já colocando a moral e a nota lá em cima. Com 3 notas acima dos 15 pontos, chegou perto dos 60 pontos nesse aparelho. Passaram bem na paralela, com Sasaki e Francisco pontuando muito bem, e foram para a barra fixa, onde os mesmo dois, que são os melhores nesse aparelho, erraram. Mesmo com os erros dos melhores, Arthur Nory e Lucas Bittencourt desempenharam seus papéis e somaram notas importantes. No solo, mais um erro de Sasaki e outro de Zanetti. Os dois ginastas poderiam ter notas em torno dos 15 pontos e que contassem ainda mais para a equipe, mas os erros foram compensados pela presença de Diego Hypólito e Nory, que passaram muito bem e contribuíram para outros "quase 60". No cavalo com alças, pior aparelho da equipe, tiveram vários erros e pontuaram um pouco acima dos 54 pontos. Nas argolas, mostraram que, apesar de Zanetti ser o melhor do mundo, a equipe tem pra si a responsabilidade de séries que contribuam, o que fez o Brasil fechar esse aparelho em quase 60 pontos novamente.

    Terminar a subdivisão em que competia à frente da Ucrânia, mesmo depois de erros importantes, foi uma coisa quase impossível de acreditar. Claro que a Ucrânia teve erros, mas erros por erros, o Brasil foi melhor. Dá para imaginar uma equipe forte para o Brasil, que a partir de agora continue se esforçando muito e se mantenha entre as 8 melhores equipes do Mundo. O Brasil se classificou em 7º, à frente de grandes equipes que costumavam deixá-lo para trás, e ainda pode melhorar essa classificação na final, podendo terminar entre os 5 melhores.

    Substituindo às pressas Caio Souza, que se poupou por uma lesão no pé, Diego mostrou o que fazia de melhor. Teve a melhor pontuação da equipe no solo, onde se classificou para a final, e ainda teve sua nota contada na paralela e no salto. Diego surpreendeu com a nota final de 15.900, bem perto dos 16.000 que o melhor ginasta da atualidade nesse aparelho, o japonês Kenzo Shirai, costuma tirar internacionalmente. O Brasil ainda se classificou para a final de argolas com Arthur Zanetti; para a final do individual geral, com Arthur Nory e Sérgio Sasaki; para a final de salto com Sérgio Sasaki.

    Não foi sorte. Foi competência, treinamento, trabalho duro. Se você ainda acha que foi sorte, vai torcer pela seleção de futebol! Você não entende nada de ginástica! Aqui na ginástica as coisas são muito mais complicadas. Confiar na sorte é só pra quem dá "chute" em bola!

    Foto: Ricardo Bufolin / CBG
  • You might also like

    10 comentários:

    1. Quais as outras esquipes classificadas?

      ResponderExcluir
    2. Cara to super hiper mega ultra feliz 0/

      ResponderExcluir
    3. Sambaram na cara da sociedade com essa classificação, Brasil ta caminhando pra ser um dos países que tem a equipe masculina como protagonista e a feminina como coadjuvante. Muito feliz por eles, e ainda 5 ginastas na final que coisa linda <3 Parabéns meninos.

      ResponderExcluir
    4. Fico imaginando a felicidade da nossa querida Tina Bel, uma das pessoas mais adoráveis entre os fãs de ginástica no Brasil, sempre muito prestativa, atenciosa e educada. Uma das maiores admiradoras dos meninos do Brasil.
      E sobre a classificação inédita só posso deixar os parabéns a toda a equipe!

      ResponderExcluir
    5. Amigos, vamos criar um grupo no whatsap para podermos comentar.

      ResponderExcluir
    6. Como era de se esperar o feminino não foi bem, eu acho errado parece que vamos ficar dependentes da rebeca e flavia, não e o certo todas tem que vir fortes.

      ResponderExcluir
    7. Parece que o alexander esta a passeio no brasil rebeca e flavia são destaques antes deles estarem aqui , chega ate quando iram ter certeza que tem que existir a SELEÇAO PERMANENTE

      ResponderExcluir
    8. Parabéns,e Diego Hipólito provou mais uma vez sua competência no solo ,podendo ser medalhista na Final de aparelhos.excelente!!!

      ResponderExcluir
    9. Resultado PARCIAL das finais por aparelho após o primeiro dia de competições femininas
      Paralelas:
      1 LOCKLEAR Ashton USA 15.233
      2 MUSTAFINA Aliya RUS 15.166
      3 SPIRIDONOVA Daria RUS 15.100
      4 ROSS Kyla USA 14.650
      5 ADLERTEG Jonna SWE 14.100
      6 POPA NEDELCU Roxana ESP 14.033
      7 PIHAN-KULESZA Marta POL 13.933
      8 ONYSHKO Isabela Maria CAN 13.933

      Trave:
      1 BILES Simone USA 15.133
      2 BLACK Elsabeth CAN 14.466
      3 ROSS Kyla USA 14.391
      4 MUSTAFINA Aliya RUS 14.308
      5 STEINGRUBER Giulia SUI 14.033
      6 WEVERS Sanne NED 13.933
      7 LARSSON Emma SWE 13.866
      8 WAGNER Veronica SWE 13.766
      8 PIHAN-KULESZA Marta POL 13.766

      Solo:
      1 BILES Simone USA 15.366
      2 SKINNER Mykayla USA 14.700
      3 MUSTAFINA Aliya RUS 14.500
      4 POPA NEDELCU Roxana ESP 14.166
      5 CROKET Julie BEL 13.900
      6 PIHAN-KULESZA Marta POL 13.900
      7 KHARENKOVA Maria RUS 13.666
      8 GARCIA Elsa MEX 13.633

      ResponderExcluir
    10. Resultado PARCIAL do Individual Geral feminino após o primeiro dia de competições
      1 BILES Simone USA 59.599 15.800 13.300 15.133 15.366
      2 MUSTAFINA Aliya RUS 58.874 14.900 15.166 14.308 14.500
      3 ROSS Kyla USA 57.941 15.100 14.650 14.391 13.800
      4 SOSNITSKAYA Alla RUS 56.740 15.133 14.408 13.666 13.533
      5 POPA NEDELCU Roxana ESP 56.398 14.833 14.033 13.366 14.166
      6 PIHAN-KULESZA Marta POL 55.665 14.066 13.933 13.766 13.900
      7 BLACK Elsabeth CAN 55.532 14.300 13.766 14.466 13.000
      8 STEINGRUBER Giulia SUI 54.966 15.300 13.500 14.033 12.133
      9 GARCIA Elsa MEX 54.833 14.100 13.600 13.500 13.633
      10 WAEM Laura BEL 54.241 13.800 13.908 13.433 13.100
      11 ONYSHKO Isabela Maria CAN 53.899 13.733 13.933 13.133 13.100
      12 VERSCHUEREN Lisa BEL 53.865 13.666 13.433 13.466 13.300
      13 VAN GERNER Celine NED 53.466 13.833 13.300 13.600 12.733
      14 HYPOLITO Daniele BRA 53.399 14.333 12.400 13.200 13.466
      15 MAKRA Noemi HUN 53.115 14.083 13.866 12.433 12.733
      16 MORENO Alexa MEX 52.998 14.800 12.666 13.166 12.366
      17 RUIKES Maartje NED 52.899 13.833 13.133 13.000 12.933
      18 GOMEZ PORRAS Ana Sofia GUA 52.898 14.566 13.000 12.566 12.766
      19 LARSSON Emma SWE 52.832 13.933 12.233 13.866 12.800
      20 OLIVEIRA Mariana BRA 52.632 14.300 12.866 13.066 12.400
      21 JURKOWSKA-KOWALSKA Katarzyna POL 52.066 13.733 13.000 12.600 12.733
      22 BOCZOGO Dorina HUN 51.799 13.666 13.100 11.733 13.300
      23 ABDUSALIMOVA Dilnoza UZB 51.798 13.466 12.533 13.133 12.666
      24 SINGMUANG Kim SWE 51.482 13.666 13.500 12.516 11.800

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.