• Viktoria Komova volta a competir


    A vice-campeã olímpica Viktoria Komova retornou às competições internacionais com resultado bastante satisfatório. A ginasta russa de 19 anos de idade, saiu do Csanýi Cup, competição que rolou em Budapeste, na Hungria, com o ouro no individual geral somando 55.900 pontos, outro ouro na final de barras (15.150), ouro na trave (13.300) e uma medalha de prata no solo (13.400).

    No primeiro dia de competição, onde foi disputado apenas a final do individual geral, Komova começou em sua especialidade, as barras, com uma ótima execução nos voos e pequenas falhas nas piruetas e lançamentos, alcançando um 14.600 (6.3 de D). Na trave, passou sem grandes problemas, com apenas um desequilíbrio considerável na aterrissagem de seu giro com perna a 180 graus, e onde optou por terminar a série de forma segura e sem riscos de lesão, com um mortal esticado vindo de dois flic flacs. Os únicos elementos da série olimpica de trave que ela não arriscou foram a saída de Patterson e o twist grupado (ou arabian), ambos elementos de alto grau de dificuldade e que podem forçar muito o tornozelo, local onde a ginasta passou por uma cirurgia no começo do ano. No entanto, sua série de trave teve uma novidade em relação às Olimpíadas: a volta do duplo giro ao invés da cortada simples. Com essa série, Viktoria arrancou um 13.600 da arbitragem (4.9 de D). A maior surpresa veio no solo, onde a ginasta apareceu com uma série simples, mas muito bem executada e com todas as exigências cumpridas, com apenas uma falha considerável no final da série: pisou com um pé fora do tablado na saída de duplo carpado. Viktoria mesmo assim obteve a segunda maior nota do solo da competição com um 13.400 (4.9 de D). No salto ela novamente optou por se poupar e não arriscar muito, saltando um excelente Yurchenko com uma pirueta com aterrissagem cravada e apenas sete décimos de descontos (14.300 de nota final).

    A atleta contrariou as previsões de Valentina Rodionenko, que aguardava o retorno de Komova às competições internacionais apenas em 2015, mais provavelmente no Campeonato Europeu. Komova chegou a correr atrás da vaga de especialista para a equipe russa no Mundial desse ano, mas sua participação foi vetada pelos médicos, porque, segundo Andrei e Valentina Rodionenko, apesar da ginasta ter sido campeã nacional nas barras isso não era suficiente pra colocá-la na equipe. Viktoria não pôde participar do Mundial porque precisaria recuperar seu salto competitivo (um Yurchenko com dupla pirueta no mínimo) e sua série de trave com todas as exigências, sendo que a ginasta havia começado a treinar trave a apenas duas semanas antes do nacional, que aconteceu em agosto.

    Confira os vídeos das séries de Komova nesse Campeonato!

    Salto


    Barras assimétricas


    Trave


    Solo


    Texto de Stephan Nogueira.
  • You might also like

    7 comentários:

    1. Salto: Bom.
      Barras: verticais péssimas
      Trave: Bom
      Solo: coreografia monótona, sem sincronia com a música.

      ResponderExcluir
    2. A única coisa que prestou da chorona foi só as barras mesmo,ela nem chega perto da feiosa da Biles!
      mas quem sabe daqui pro final do ano que vem ela melhore ou talvez piore,nem chega nem perto da larissa também,próximo ano romenia passa as russas e as americanas,vcs vão ver!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Anônimo, Komova esta voltando agora, não tem como voltar arrebentando, com series difíceis e totalmente bem executadas, acredito que em 2015, ela estará muito bem, brigando por medalha nas arras apenas, e pode ser que brilhe na trave, Komova não e explosiva, podemos esquecer do Amanar, e o solo sua nota não passar de 6,0.

        Biles e a atleta do momento, muito forte, solo dificílimo, salto também , sendo que no solo a previsão de atualização para o ano que vem, ela postou no instagran executando um duplo esticado com pirueta, sua serie de barras também serão dificultadas deve passar de 6.3, ela passa bem pelas barra.

        Em 2013 onde estava livre de lesões ela executou muito bem esse aparelho, e ainda pegou final, nesse ano ouve um regresso tanto na nota E (execução) como na nota D (dificuldade), tudo isso devido a lesão no ombro que a mesma enfrentou antes do mundial, a trave esta ótima, fluida, difícil, e com uma execução boa, a tendência e que sua confiança só aumentar nesse aparelho .

        As Romenas precisam atualizar o salto , se fizerem isso e possível passar as Russas, agora as Americanas creio que viram ainda mais forte, e um time muito forte e difícil de ser batido, acredito que a hegemonia continuara por enquanto que os outros países não atualizaram VT e FX, mas sei que atualizar e muito difícil, nem toda ginasta e explosiva, nem toda ginasta consegue executar um Amanar sorrindo como Maroney, ou realizar um duplo com dupla potente igual Biles, sendo assim......a hegemonia continuara

        Excluir
    3. Komova cresceu muito, posso estar enganado, mas não acho ela mais forte para o AA.

      Atualmente a ginasta pra brigar pelo ouro no AA precisa de um Amanar, e eu não acredito que komova volte a realizar esse salto.

      ResponderExcluir
    4. Que execução maravilhosa !!!

      O retorno de "Komova Komovente" (JOÃO, Andreia; 2012)

      ResponderExcluir
    5. O solo da Komova tá uma breguice,pra quem fala do balé russo,horrível de se ver,só se salvou um pouco as acrobacias!

      ResponderExcluir
    6. Só falta para Komova um pouco da manha da Liukin (http://imgur.com/gallery/7zObf9e)
      Mas estou animado com o retorno dela. Vindo fortíssima, ou não como parece ser o caso, isso fará bem a ginástica.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.