• Exclusiva GBB - Entrevista com a seleção masculina


    Depois da apresentação nas classificatórias, a equipe masculina do Brasil conversou com o GBB na zona mista de imprensa. Confira!

    GBB - Péricles, você entrou na equipe no lugar do Diego e muitas pessoas criticam você por ser inconsistente. Hoje você acertou tudo e contou todas as notas. Sai daqui de alma lavada?

    Péricles - Competição é competição, só que está lá dentro sabe como é. Treinamos o ano inteiro para apresentarmos uma vez e nem sempre as coisas saem como nos treinos. Todo mundo sempre entra para dar o máximo de si. Hoje, antes de entrar, pedi para todo mundo fazer tudo com garra e ficar cima, lutar! Acho que isso aconteceu aqui, saio daqui muito feliz, dei o meu máximo, hoje foi o meu máximo e o máximo de todos eles. Estou confiante nessa classificação.

    GBB - Você acha que essa foi a melhor competição que você fez?

    Péricles - Não foi as minhas melhores notas. Mas levando em consideração a quantidade de aparelhos que eu fiz e o tempo que fiquei parado depois do cavalo com alças... Ainda fui o primeiro na paralela... Acredito que foi o esperado, mas não foi a minha melhor competição fomo não foi a melhor competição da equipe também.

    GBB - Na final por equipes que ainda pode acontecer aqui em Glasgow, você tem alguma ideia se você pode fazer algum aparelho? Pelo fato de você ter acertado tudo hoje, isso é possível?

    Péricles - Nada foi dito pra gente ainda. Talvez a comissão pegue as notas que entraram, as 3 melhores. Perguntei pro meu técnico e ele disse que talvez eu faça cavalo. Quem sabe paralela... Ainda não foi dito nada mesmo.

    GBB - Lucas, surgiu alguma pressão em cima de você depois que o Francisco saiu do São Caetano? A melhora que você teve depois foi muito boa, isso pode ter influenciado?

    Lucas - Não, acho que não. O Francisco sempre ajudava a gente com a experiência dele, ele tem mais mundiais, mais competições internacionais. Depois que ele saiu eu continuei a mesma coisa, focado nos meus treinos, e mesmo que ele tenha saído, sempre estamos juntos nos treinos da seleção. A melhora que eu tive foi porque eu treinei muito.

    GBB - Parabéns, a sua evolução é muito notória e você foi o segundo melhor hoje. Provavelmente vai ser usado na final por equipes.

    Lucas - Tem que ver como eles vão montar a final, né? Se vamos classificar, se vai dar tudo certo... Vai dar tudo certo! Pode ser que usem as melhores notas de hoje, como o Péricles falou, mas eu nem sei quais notas foram, na hora estava focado e não consegui prestar muita atenção...

    GBB - Francisco, o que aconteceu com você na barra? Você acertou o kovacs com pirueta, que era a parte mais complicada, e errou algo que costuma acertar...

    Francisco - Não sei explicar (emocionado)... Era o aparelho que eu mais estava tranquilo e o que eu menos errei nas avaliações. Estava muito confiante, por mais que a minha dificuldade estivesse alta. Tinha grandes chances de estar na final, que é meu segundo sonho. Meu primeiro sonho era ajudar a equipe a se classificar para as Olimpíadas e meu segundo sonho era estar numa final mundial. E eu treinei! Infelizmente hoje não foi o dia...

    GBB - A emoção que você está sentindo agora foi por ter errado a série de barra?

    Francisco - Sim. Como a minha nota está com dificuldade alta, quando acerto ajudo muito a equipe. É um aparelho que eu sou especialista e tenho que acertar. A responsabilidade em ser o último a competir e ter uma nota dessa é grande. Estou um pouco triste por causa disso, porque poderia ter ajudado mais a equipe.

    GBB - Sem as duas quedas, a nota passaria dos 15 pontos fácil...

    Francisco - Em treino eu vim fazendo notas boas e constantes. Isso que estava me deixando confiante, a consistência da série. No treino de pódio eu acertei e o erro que eu tive não acontece nos treinos. Quando erro, tenho erros diferentes dos que aconteceram hoje, isso me fez pensar: " por quê hoje?". São detalhes... Atrasei o chute do tkachev e não consegui voltar o ombro. Talvez por querer fazer perfeito e pegar bem alongado, já que tinha o tkatchev com meia volta que vinha logo depois, e pode ter sido longe demais. Mas no contexto geral, a equipe está de parabéns. De todos os mundiais e competições que participei, essa foi a que senti mais pressão.

    GBB - Talvez porque essa seja a competição por equipes mais importante que o Brasil já participou, justamente pela chance real de classificação.

    Francisco - É a competição mais importante que a seleção masculina já participou. Hoje eu senti pressão!

    GBB - Na final por equipes, que acredito que vamos conseguir, você tem uma nova chance de acertar tudo. Por mais que você tenha errado hoje, suas séries continuam sendo importantes e melhores.

    Francisco - Se Deus quiser vamos conseguir! (risos) Tenho mais dois dias pra treinar aí. Essa pressão aqui é pra todo mundo. O aparelho é igual e a arbitragem é igual. Só achei a nota da Grã-Bretanha mais alta que a nossa no salto... Mas nosso foco não é eles, nosso foco é quem vem pela frente. Mas competição é competição. O treino de pódio dos britânicos, por exemplo, foi muito ruim.

    Caio Souza - A notícia que temos da imprensa é que, no treino de pódio, ficaram impressionados com a nossa seleção, a seleção da China, Japão e Grã-Bretanha.

    GBB - Sim, muitos vieram falar com a gente sobre vocês. Vamos torcer pra essa classificação entrar! Nory, de acordo com o que você estava fazendo nos treinos, o que aconteceu com você aqui hoje era esperado?

    Nory - Era. Eu estava treinando bem, só precisava subir lá e fazer o que estava fazendo no treino.

    GBB - Você consegui 15.300 na barra fixa hoje. Nas avaliações do CT em algum momento você consegui essa nota?

    Nory - Não, o máximo que consegui foi 15.000.

    Marcos Goto - Você não tirou 15.300 na Croácia?

    Nory - Não, foi 14.900.

    GBB - Pelas avaliações e treinos vocês pensavam que Lucas e Nory estariam na final do individual geral e o Caio fora?

    Marcos Goto - Competição é competição. Tinha 4 ginastas fazendo individual geral. Era de quem acertar mais, quem for melhor.

    Nory - Os quatro tinham chances de entrar, estavam bem próximos.

    Marcos - Não tem como perguntar "quem vocês esperavam". Se você entra na competição esperando quem vai pegar final, você meio que dá prioridade pra esse. Aí você não colocaria um como primeiro de argolas, ou como terceiro no cavalo e assim por todos os aparelhos. A prioridade aqui era a equipe.

    GBB - Sim, entendo. Mas de acordo com os treinos e avaliações, você está me dizendo que todos os atletas que competiram individual geral estavam iguais mesmo?

    Marcos Goto - Não, quem estava melhor era o Caio mesmo.

    Nory - O Caio ganhou todas as avaliações que fizemos. Eu oscilava muito na avaliação. Eu e o Bisteca (Lucas) sempre errávamos alguma coisa. Uma hora ele ganhava, outra hora eu ganhava...

    Marcos Goto - Hoje quem não oscilava, oscilou! (risos). Aconteceu aqui o contrário.

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Ivan Ferreira / Gym Blog Brazil
  • You might also like

    3 comentários:

    1. Gostei da apresentação. Eles não "se pouparam" deram tudo que podiam, arriscaram, erraram e acertaram, e estão de parabéns. Orgulhosa de vocês meninos!!!

      ResponderExcluir
    2. Men's Qualifications: Advantage JAPAN
      https://www.youtube.com/watch?v=83BUtErhgVM

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.