• O melhor das classificatórias em Doha!


    Além das classificações do Brasil para as finais em Doha, muita coisa interessante aconteceu nessa tradicional etapa da Copa do Mundo de Ginástica Artística. Confira!

    Brasil

    Vamos começar falando sobre o Brasil, que mostrou muita coisa legal hoje. Diego Hypólito apresentou uma série de solo com nota de partida 6,8, com grandes chances da nota subir na final. Diego se encontra muito competitivo nesse aparelho e também no salto, onde se classificou em 3º lugar com 14,900. Dessa forma, acaba ficando à frente de Ângelo Assumpção na busca da vaga olímpica, já que praticamente disputam a mesma vaga e Ângelo ainda não conseguiu competir mostrando todo seu potencial e eficiência. Fellipe Arakawa é considerado o melhor atleta de cavalo com alças do país, e apesar de ter se classificado para a final de barra fixa (14,600), o interessante seria que tivesse mostrado mais serviço no cavalo (13,750), se colocando numa briga direta na equipe olímpica como especialista nesse aparelho, que é o único aparelho onde o Brasil apresenta chances praticamente nulas de conseguir uma final. Mesmo assim, conseguiu notas boas nos outros aparelhos (14,100 nas argolas, 14,500 na paralela) e que poderão ser usadas no futuro, já que o foco da equipe atual é medalhas. Henrique Medina surpreendeu e teve a maior nota D da competição nas argolas (6.9), mas acabou conseguindo apenas 14,800 de nota final, provavelmente ocasionada por uma queda. Se cravar a série amanhã, pode ser ouro na final, o que o colocaria mais forte dentro de uma disputa interna para competir os Jogos Olímpicos.

    No feminino, Rebeca Andrade mostrou mais uma nota consistente nas barras assimétricas e repetiu o acerto em Jesolo: 14,500 no único aparelho que competiu. Thauany Lee competiu ao lado de Rebeca e não foi bem nesse aparelho, mas na trave conseguiu 14,200 na série que tem nota de partida 6,1, a mais alta entre as competidoras.

    Catalina Ponor

    Ponor retornou às competições em grande estilo, com boa nota de partida na trave (6.0) e se classificando em primeiro com 14,650. Ponor pode ser a força que a Romênia precisa para assegurar a vaga olímpica no Evento Teste. Uma boa líder que conseguirá segurar as pontas mesmo com a ausência de Larisa Iordache. Ainda sobre a Romênia, Dora Vulcan foi bem consistente em sua primeira competição importante, e mesmo sem grandes experiências competitivas será de suma importância em abril.

    Manrique Larduet

    Muito consistente, o cubano se classificou para duas finais nos dois aparelhos que competiu: argolas e barras paralelas. Com 15,200 no primeiro e 15,600 no segundo, essa é a nota que ele precisa regularizar nos demais aparelhos para bater de frente com o japonês Kohei Uchimura no individual geral. Hoje, Larduet e o ucraniano Oleg Verniaiev são os que apresentam séries com dificuldades suficientes para possivelmente vencer o japonês, mas entre os dois Larduet se destaca mais devido à sua consistência.

    Zsofia Kovacs

    Essa ginasta está recolocando a Hungria no topo. Kovacs é estreante na categoria adulta e fez uma excelente competição hoje, e ofuscou a participação de Noemi Makra. Tem grandes chances de ser a representante do seu país nos Jogos Olímpicos. Hoje, se classificou para todas as finais e teve um somatório de finalista no individual geral: 56,900.

    Azerbaijão

    Mesmo importando grandes ginastas de outros países, o Azerbaijão ainda não conseguiu destaque na ginástica feminina. Entretanto, no masculino a estratégia tem dando certo. Dada as notas conquistadas por Oleg Stepko e Petro Pakhnyuk (conquistaram vagas em todas as finais, exceto argolas e barra fixa), pode ser que uma grande equipe esteja em ascensão.

    Suíça

    Giulia Steingruber, Stefanie Siegenthaler e Ilaria Kaeslin fizeram uma competição muito consistente e, mesmo com chances remotas, as 3 ginastas compõe a equipe suíça que tem nas mãos a maior chance de classificação olímpica dos últimos tempos. Com notas parecidas e, claro, com destaque para Giulia Steingruber, a equipe virá para o Evento Teste em abril e não vai fazer feio. Depois de hoje não dá para simplesmente descartar a Suíça. Afinal, alguém contava com a Holanda no top 8 em Glasgow? Se a Holanda conseguiu, por que as suíças não conseguiriam?

    Jonna Adlerteg

    Com uma grande série, dá vontade de ver essa ginasta brilhar, e hoje ela conseguiu: primeira classificada para a final de barras assimétricas com 15.000 pontos! Nota de finalista olímpica... Será Jonna uma pioneira da Suécia em bons resultados nos Jogos Olímpicos? Torcida é o que não falta!

    Mingqi Huang

    Tem apenas 19 anos o primeiro classificado para a final de salto. Com dois saltos de nota de partida 6.0 e excelente execução, Huang tem grandes chances de ser finalista olímpico. Conseguiu 15,325 hoje e com a ausência do coreano Hak Yang Seon nas Olimpíadas, o ouro no Rio fica meio que "em aberto". Resta saber se  Huang é bom o suficiente para integrar a equipe chinesa que competirá nos Jogos.

    Resultados completos

    Masculino: solo, cavalo com alças, argolas, salto, paralela e barra fixa.
    Feminino: salto, barras assimétricas, trave e solo.

    Post de Cedrick Willian
  • You might also like

    2 comentários:

    1. EU sou Roberto Bispo trabalho com Ginastica na Suecia. A Jonna Adlerberg é nossa Atleta. Esperamos que ela conquiste mais uma medalha. Roberto Brasileiro Aracajuano. Obrigado!!!

      ResponderExcluir
    2. Eu esperando resultados das finais...

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.