• Construindo uma campeã


    No último fim de semana, na etapa de Osijek da Copa do Mundo de Ginástica Artística, uma ginasta se destacou mais que as outras. A britânica Ellie Downie aproveitou todas as chances que tinha e foi campeã de todas as finais disputadas na Croácia.

    Vencendo russas de renome e destaque, Downie não só foi a melhor como conquistou notas excelentes, chamando a atenção em vários momentos. Teve uma nota de execução excelente no salto e na trave, e foi muito correta nas assimétricas e solo. Enquanto outras erraram, ou não conseguiram exatamente o melhor que podiam, foi impecável. Para ganhar destaque, é assim que tem que ser.

    Somando suas pontuações em cada aparelho, a britânica aparece com chances de pontuar acima de 59 no individual geral em uma competição feita no único dia.

    Salto - 14,975 (DTY)



    Barras - 14,650



    Trave - 14,950



    Solo - 14,575



    Individual geral - 59,150

    Com essas notas, Downie aparece com chances de ser um destaque no Campeonato Europeu que acontece dentro de um mês, além de várias chances de finais e medalhas por aparelhos. Também fortalece bastante a equipe que se destacou de forma surpreendente no último mundial.

    E assim se constrói uma campeã: abraçando todas as chances de ser um destaque, independente de qual competição esteja. Indo além da conquista de uma medalha, mas melhorando as performances e dificuldades dos exercícios. Dando o seu melhor, seja numa Copa do Mundo Categoria B, num campeonato nacional ou numa final olímpica.

    Foi isso que Downie fez, deu o melhor de si. Não dá para lembrar a última vez que uma mesma ginasta foi campeã de todas as finais em uma Copa do Mundo. Mas agora, por esse feito, a britânica está sendo lembrada e mencionada de forma positiva. E pode ter certeza que no Campeonato Europeu a ginasta vai chegar com mais confiança e os árbitros com a memória fresca. Grandes chances de obter mais sucesso.

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Sports Visuals
  • You might also like

    3 comentários:

    1. Grande ginasta. E novissima. So young.

      As brasileiras terão que crescer muito na dificuldade para conseguirem pelo menos final olímpica em aparelhos. A briga será muito forte, não haverá espaço para arroz com feijão na final.

      ResponderExcluir
    2. Para mim só foi um dia espirado para ela e ela não foi com preçao só tinha duas ginastas que poderia concorrer diretamente as duas russas .então acho difícil que isso aconteça novamente.

      ResponderExcluir
    3. Acho q não foi apenas um dia inspirado não. Desde que entrou pra categoria Sênior, ela vem demonstrando evolução e garra. Essa menina tem futuro. Torcendo pra ela brigar pelo bronze nas olimpíadas (lógico que torcendo pra Flávia e Rebeca também estarem nessa briga). Já que o ouro e a prata vão ser difíceis de tirar das americanas.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.