• Dividindo opiniões, Diego vai competir no Rio



    Foram anunciados pela Confederação Brasileira de Ginástica os nomes dos ginastas que vão compor a seleção olímpica nos Jogos do Rio. Enquanto era do senso comum que as ginastas selecionadas para a equipe feminina realmente deveriam ser as indicadas, a equipe masculina ainda dividia opiniões. A questão era simples: Diego Hypólito ainda tem chances de medalha? Sua série ainda é competitiva? Mas outra questão maior pairava entre os fãs de ginástica: colocar Diego na equipe prejudica as chances da equipe se classificar para a final? Agora a questão ficou complicada. Vamos por partes!

    A divisão de opiniões sobre a participação de Diego era maior por conta da equipe, mesmo a comissão técnica deixando bem claro que o foco do Brasil no Rio é conquistar o maior número de medalhas. Entenda: com Diego nos Jogos, as chances do Brasil se classificar para a final por equipes realmente diminuem; sem Diego, que possui um histórico de duas quedas olímpicas, uma equipe que se classificasse para a final renderia mais 18 apresentações para o Brasil além das 24 apresentações nas classificatórias. O medo é que, com Diego, o Brasil perca suas 18 possíveis apresentações e ele nem se classifique para a final. O risco de perder apresentações do Brasil realmente é menor, mas as chances de medalhas aumentam ou diminuem?

    A seleção masculina que o Brasil possui hoje é a melhor de todos os tempos, mas as chances de medalha numa final por equipes são muito pequenas, e ainda menores que as chances de Diego Hypólito conquistar uma medalha numa final de solo. Cortar Diego dos Jogos Olímpicos justificando que ele não possui chances de medalhas é algo injusto, porque, mesmo depois de tantos anos e depois de duas quedas olímpicas (é bom frisar isso novamente), Diego não é mais um favorito à medalha, mas continua entre os melhores do mundo. Se Diego estiver na final, tudo pode acontecer.

    Muitos acreditam e citam alguns ginastas melhores e com mais chances de medalhas que Diego, com potencial de nota acima de 15,600: os japoneses Kenzo Shirai – claro –, Kohei Uchimura e até Ryohei Kato; o russo Dennis Ablyazin; o britânico Max Whitlock e algum outro britânico; os americanos; algum chinês que poderia surpreender. Mas vamos aos resultados das competições: no último Campeonato Mundial, Max Whitlock conquistou a prata com 15,566 e o espanhol Rayderley Zapata conquistou o bronze com 15,200; no mesmo Mundial, Diego conseguiu 15,250 na final por equipes, nota que teria dado o bronze para ele na final. No Campeonato Europeu, Dennis Ablyazin nem se classificou para a final, que teve como campeão outro russo nunca citado, Nikita Nagornyy, que conquistou o ouro com 15,566. No Campeonato Americano, Jake Dalton foi ouro com inflados 15,525 e 15,825, maior nota de solo da competição.

    Desde o princípio, a comissão técnica masculina já tinha deixado bem claro que a escolha da equipe seria em torno das maiores chances de medalhas e uma medalha por equipes é, de longe, mais difícil que uma medalha para Diego no solo. Não é surpresa alguma que Diego esteja entre os selecionados. Em 2014 e 2015, quando foi cortado da seleção que competiria o Mundial, alegaram que o foco era a equipe; portanto, a decisão de cortar Diego foi correta. Para uma final por equipes temos notas que cobrem os melhores aparelhos de Diego enquanto o contrário não acontece. Mas, como o foco é medalhas, mesmo que Diego ainda não seja o favorito como sempre foi durante muitos anos, ainda há uma chance que ele consiga. Pequena? Sim, mas existe.

    Mesmo com Diego na equipe ainda é possível que o Brasil se classifique para a final. Seria lindo e emocionante ver uma equipe completa numa final olímpica, tanto quanto seria ver Diego se classificando e, quem sabe, medalhando na final de solo. Fica uma torcida bem grande para que Diego saia satisfeito dessa competição e exorcize de vez esse fantasma da queda. E, se uma medalha vier, que seja motivo de muita comemoração! No Brasil, como tudo é inverso, mais medalhas significa mais investimento e apoio. E assim, quem sabe, o esporte continue evoluindo e não caia no esquecimento depois dos Jogos terminarem.

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Ivan Ferreira / Gym Blog Brazil
  • You might also like

    8 comentários:

    1. Infelizmente, as chances de uma medalha de ouro para Diego ficaram lá em 2008; Mas ele tem condições de alguma medalha, né, um bronze, talvez... Eu, particularmente, teria priorizado o desempenho do país como Equipe [mesmo que o objetivo da comissão técnica seja "angariar o maior número de medalhas possíveis], porque assim seriam mais apresentações, maior participação do país nos Jogos, mais gente assistindo e torcendo; Afinal, torcer pela Seleção, pela equipe, parece ser mais forte do que torcer por um único atleta, mesmo que esse representa a nação.

      Espero que o Brasil consiga essa vaga pra Final e o Diego consiga a medalha, já que, afinal, é por causa dessa [possibilidade de] medalha que ele tá na equipe ;)

      ResponderExcluir
    2. Sei lá, Diego pode até surpreender e conseguir uma final de solo, mas medalha... Infelizmente só se ginastas favoritos errarem, assim como aconteceu com ele em Pequim.
      Não sei se foi a melhor opção enfraquecer a equipe para levar Diego, ele já teve duas chances e errou, ele tem que deixar um pouco esse egoísmo de lado e pensar em uma inédita final por equipes masculina em Olimpíadas, que ao meu ver seria muito mais possível com Caio Souza. Um ginasta que compete nos seis aparelhos é muito melhor aproveitado. Além do mais Diego nem conseguiu alcançar o objetivo imposto a ele, referente à nota de solo. Não julgo e nem duvido da capacidade de Diego, mas acredito que ginastas "especialistas" não contribuem muito com a equipe, e mesmo assim Arthur Zanetti está em melhor forma e soube aproveitar sua chance em Londres conquistando o ouro e parece estar mais perto de uma medalha agora.

      ResponderExcluir
    3. Sonhar não custa nada...

      ResponderExcluir
    4. Mesmo que o Diego não ganhe medalha no solo, se ao menos, ele acertar sua série, já vai estar ajudando muito a equipe. Acho que ele deve se apresentar apenas no solo e no salto. Mas eu acho, que a pior escolha foi o Francisco Barreto, ele foi um desastre no cavalo com alças no último mundial, que fez o Brasil ficar em 8º lugar na final. Para mim, essa vaga deveria ser do Caio Souza que é mais consistente.

      ResponderExcluir
    5. Seleção de Ginástica Artística faz último treino aberto antes da Rio 2016
      https://www.youtube.com/watch?v=zEDZ1st6O4Q

      ResponderExcluir
    6. Entrevista com o ginasta Diego Hypólito na reta final da preparação para os Jogos
      https://www.youtube.com/watch?v=BiSAsAHqZNg

      Saiba mais sobre a Ginástica Artística
      https://www.youtube.com/watch?v=wVbTRMYZt-k

      ResponderExcluir
    7. A questão principal é: existe algum atleta melhor que ele, isto é, que é imprescindível para a equipe sonhar com medalhas e que foi prejudicado por causa desta decisão***

      Se não, então não vejo problema algum.

      ResponderExcluir
    8. E aí pessoal???? Diego deveria ter desistido então? O que me dizem agora sobre a medalha de prata que Ele conseguiu? Que ele mesmo com pessoas criticando ele como vcs... Não desistiu e nos orgulhou!!!

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.