• Arthur Nory é um ser humano em construção


    Mesmo depois de uma medalha olímpica, jornalistas desinformados e pessoas inconformadas continuam associando a imagem de Arthur Nory com o famoso episódio racista contra um dos colegas de equipe da seleção. Um ano depois da situação esclarecida e solucionada, qual resposta as pessoas esperam ao remexer e relembrar essa história?

    As pessoas não "são", as pessoas "estão". Nory teve um episódio racista, Nory não é um racista. As atitudes daquele péssimo dia não foram repetidas, o que deixa claro a lição aprendida. O que tinha para ser feito, foi feito: o ginasta foi afastado da seleção, se arrependeu, pediu desculpas e seguiu em frente. O que mais ele poderia fazer? Abandonar a ginástica e continuar vivendo no erro do passado?

    A nova exposição dos fatos ocorridos está sendo mostrada como uma grande novidade, sendo que a novidade é uma medalha olímpica e um enorme feito para a ginástica e o esporte brasileiro. Tentar queimar a imagem dele usando até suas fotos com Simone Biles (eles são amigos desde o Mundial de 2013) por algo que ele já pagou e se arrependeu beira o ridículo.

    Os brasileiros deveriam se orgulhar do feito ao invés de remexer um passado desnecessário e já resolvido. A comunidade negra deveria ser orgulhar de Simone Biles, que já conquistou 3 medalhas de ouro nos Jogos do Rio e ainda tem chances de conquistar mais dois ouros. Orgulhar de uma ginasta que está mudando a história da ginástica assim como Nadia Comaneci fez em 1976. Orgulhar da equipe americana, que foi campeã olímpica com duas integrantes negras, uma judia e uma latino-americana. Ao invés de buscarem Nory nas redes sociais para atacá-lo mais uma vez, não seria mais interessante lotar a caixa de Simone Biles com mensagens de orgulho? O que é mais importante?

    Essa forma de pensamento, que ao invés de fortalecer o positivo acaba reforçando o negativo, é completamente desnecessária. Continuar enxergando apenas o ruim, o feio, o errado, o preconceituoso, não é uma forma inteligente de vencer o preconceito. Tem muito mais orgulho negro envolvido nas conquistas de Simone Biles nessa competição do que nesse episódio isolado de racismo.

    Esse texto não tem a intenção de diminuir os erros que Nory cometeu no ano passado. Esse texto reconhece sua falha e seu momento ruim, mas também reconhece e reforça o feito de Nory para o esporte brasileiro. Um atleta medalhista olímpico que errou como tantas outras pessoas já erraram, mas que com 22 anos ainda é um ser humano em construção.

    Texto de Cedrick Willian

    Foto: Ivan Ferreira / Gym Blog Brazil
  • You might also like

    11 comentários:

    1. Acho que as pessoas tem que aprender a perdoar, se o proprio Angelo o perdoou não vejo motivo pra tanto escandalo, não estou dizendo que o que ele fez não foi errado, claro que foi errado, mais pessoas comentem erros e acredito que ele se arrepende do que fez. Então envez de denigrir a imagem do nosso atleta pelo que ele fez no passado, acho melhor o parabenizar pelo seu feito inédito que é motivo de muita comemoração no pais ;) !!!

      ResponderExcluir
    2. Concordo quando você diz que ele fez tudo o possível. Afinal, ele não pararia a carreira por causa disso. O que acontece é que ele, apesar de ser muito novo na época, já era uma pessoa pública. Um atleta que representava o país e por isso já 'carregava o fardo' de pensar bem nas atitudes. Nossos atletas são exemplos para as crianças e até para os adultos. Sim, ele pagou pelo que fez, mas não há como apagar a memória das pessoas. Principalmente de um povo tão hostilizado quanto o povo preto.
      Eu não desejo que o Nory seja sempre lembrado por este episódio. Mas dar a volta por cima e mudar a maneira como as pessoas o veem, só depende dele. Está tudo muito recente, faz muito pouco tempo...
      O arrependimento dele é extremamente válido, mas não muda a história. Pense bem, foi um episódio lamentável, racista e que ofendeu não só o companheiro de equipe dele.
      Eu espero que ele realmente tenha aprendido com tudo o que passou e desejo muitas outras vitórias para a carreira dele. Mas, infelizmente, não dá pra esquecer um episódio tão doloroso e fatídico como aquele. E lembrar os erros dele, o crime que ele cometeu não beira o ridículo, não. Mostra que além de um bom atleta é preciso ser um bom ser humano.
      Talvez o problema, como eu já disse, tenha sido o pouco tempo. A mudança na maneira como o vemos depende apenas dele. Inclusive não dar ouvidos aos comentários e seguir em frente. Afinal, ele não deve nada a ninguém.
      Eu entendi perfeitamente o seu posicionamento no texto, mas não dá pra esquecer assim tão facilmente.

      ResponderExcluir
    3. Parabens pelo texto Cedrick! Disse tudo e mais um pouco! "As pessoas não são, elas estão"; é justamente esse conceito que parece não existir para a maioria dos comentários que vejo contra o Nory...o fato de tentar queimar a sua imagem ao lado da Biles me parece muito mais uma cruficação do que uma luta contra o racismo. Alias, acredito que reforçar o negativo (como você citou) só aumenta a polêmica em torno do racismo ao invés de ajudar a enfretá-lo; ja que casos não só como esse, mas como muitos que acontecem no futebol sempre voltam a tona e assim o "estar" e não "ser" fica cada vez mais longe da nossa realidade.

      ResponderExcluir
    4. Parabens pelo texto Cedrick! Disse tudo e mais um pouco! "As pessoas não são, elas estão"; é justamente esse conceito que parece não existir para a maioria dos comentários que vejo contra o Nory...o fato de tentar queimar a sua imagem ao lado da Biles me parece muito mais uma cruficação do que uma luta contra o racismo. Alias, acredito que reforçar o negativo (como você citou) só aumenta a polêmica em torno do racismo ao invés de ajudar a enfretá-lo; ja que casos não só como esse, mas como muitos que acontecem no futebol sempre voltam a tona e assim o "estar" e não "ser" fica cada vez mais longe da nossa realidade.

      ResponderExcluir
    5. 22 anos, ainda é um ser humano em construção? Burguês safado! Com os veículos de comunicação que temos acesso, com tantos exemplos e ainda tá em construção?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. "Burguês sadado" também conota preconceito. Essa é mais uma prova que, assim como o Nory, todos erramos. Mas, qual a cura para o preconceito? Por que errou uma vez, Nory está fadado a ser errado sempre?

        Excluir
    6. Matheus Henrique16 agosto, 2016 12:28

      Um branco querendo dizer como os negros devem ou não se sentir.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Se enganou amigo, não me conhece, não sabe a minha história de vida e muito menos a cor da minha pele.

        Excluir
    7. Se formos pesquisar as coisas, o Nory (Mariano, ja que mudou o sobrenome para não ser associado com o fato negativo), nem merecia estar nas olimpiadas porque tem notoriedade baixa em competições, quase nunca conseguindo nem estar entre os 5 primeiros.
      Enquanto isso, Angelo detem vários primeiros lugares, alem de ser o atual campeão da Copa de São Paulo, deixando Diego Hypólito em terceiro.
      Quem foi convocado para seleção?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Ângelo é muito talentoso, mas as séries dele ainda estão um tanto cruas. Contribuiria pouco com as atuais séries dele, sendo que na atual conjuntura poderia apenas entrar no lugar do Diego, já que tem solo e salto como melhores provas. Arthur Mariano compete em todos os aparelhos, o que tornou-o fundamental pra equipe.

        Excluir
      2. Ele ganhou a medalha de prata...

        acho bom fechar bem o bico antes de tentar prever o futuro...

        único fator negativo que conheço é violência de qualquer tipo

        busque se informar em relação ao que realmente aconteceu antes de vomitar os seus achismos garimpados da ''mídia'' marrom.

        Excluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.