• Finais olímpicas: solo masculino, cavalo com alças, salto feminino e barras assimétricas


    O dia foi de sucesso e história para o Brasil, mas também foi para vários outros atletas. Nas finais de hoje, recordes foram superados e ginastas tiveram seus melhores desempenhos como também de seus países. Muita emoção define o primeiro dia de finais por aparelhos dos Jogos do Rio.

    Max Whitlock foi o ginasta do dia, conquistando duas medalhas de ouro: uma no solo e outra no cavalo com alças. Louis Smith, seu compatriota, repetiu a prata olímpica nesse último aparelho enquanto o americano Alexander Naddour conquistou o bronze.

    No solo, o japoneses Kenzo Shirai e Kohei Uchimura eram os favoritos ou ouro e prata olímpicos, e lutariam contra o americano Sam Mikulak que havia se classificado na primeira posição. Todos os ginastas erraram e acabou que o Brasil escreveu seu nome na história conquistando duas medalhas na final: prata e bronze para Diego Hypólito e Arthur Nory.

    Simone Biles conquistou seu terceirou ouro olímpico dentre os cinco possíveis: a ginasta foi a melhor no salto e ainda é favorita ao ouro nas finais de trave e solo. Aliya Mustafina se igualou à Svetlana Khorkina e se tornou bicampeã olímpica nas barras assimétricas. Madison Kocian merecidamente terminou com a prata e a alemã Sophie Schedder finalizou com o bronze.

    No salto, duas ginastas tiveram os melhores resultados de seus países e carreiras: Giulia Steingruber conquistou o bronze, primeira medalha olímpica da Suíça na ginástica artística. A indiana Dipa Karmakar terminou em 4° com o melhor salto produnova da atualidade e um resultado surpreendente para o país.

    A venezuelana Jessica Lopez, que se tornou aqui no Rio de Janeiro a sul-americana melhor colocada no individual geral olímpico (7ª colocação), esteve na final de barras assimétricas e terminou sem falhas graves na 6ª colocação com 15,333.

    Dentre os ginastas que defendiam seus títulos olímpicos hoje, apenas Aliya Mustafina conseguiu repetir o feito sendo campeã nas assimétricas e finalizou sua participação olímpica somando 3 medalhas nessa edição dos Jogos: ouro nas assimétricas, prata por equipes e bronze no individual geral.

    A competição continua amanhã com as finais de argolas, trave e salto masculino. Confira os resultados do primeiro dia de finais clicando aqui.

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Divulgação Rio 2016 - Ryan Pierse
  • You might also like

    4 comentários:

    1. Acompanhei a cobertura que o blog fez no mundial, achei muito melhor que a cobertura dos jogos olímpicos. Achei os comentários sobre as finais por aparelhos, em geral, muito rasos, faltou a descrição do que os atletas executaram, a análise da prova atleta por atleta. É nisso que o GBB mostra porque é o melhor site especializado em ginástica do país, dizem apenas quem venceu é muito pouco. Adoro o blog, por isso reclamo!

      ResponderExcluir
    2. Em Glasgow, estávamos em 4 pessoas dividindo todo o trabalho. No Rio, conseguimos apenas uma credencial. Acho que você não sabe o quanto é difícil conseguir uma credencial olímpica...

      Gostaríamos muito ter conseguido mais credenciais para podermos ir todos, mas infelizmente não foi possível. Torce aí para uma próxima! Obrigado por acompanhar.

      ResponderExcluir
    3. Realmente não sei dificuldade. Certamente estarei torcendo sim!!! E obrigada por me esclarecer.

      ResponderExcluir
    4. Para você ter noção, 11 mil pedidos de credenciais foram negados. Nenhum blog internacional esteve por lá, nem FLOG, nem Gymnastics Coaching, nem Gymternet, nada! Pelo menos não vimos. Foi uma benção termos conseguido essa única e especial credencial.

      De nada!

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.