• Previsão olímpica: conheça os possíveis medalhistas e finalistas dos Jogos do Rio


    Quem serão os medalhistas olímpicos? Quais os principais candidatos ao ouro e medalhas? A disputa pelo título mais importante do mundo começa amanhã com as classificatórias masculinas. Para conseguir uma medalha, os ginastas precisam, antes, conseguir entrar na final. Para ser campeão tem que acertar duas vezes! Confira as apostas do Gym Blog Brazil.

    MASCULINO

    Equipes

    Kohei Uchimura já anunciou sua prioridade no Rio: conquistar o ouro por equipes. Os japoneses vão lutar forte contra Grã-Bretanha, China e Rússia, principais concorrentes à medalhas. Apesar de ter priorizado a equipe, os Estados Unidos ainda não se mostra forte o suficiente para conquistar uma medalha no Rio, mas um bronze num dia inspirado é possível. Ainda entram nessa final: Suíça, Alemanha e, competindo de forma arriscada, Brasil.

    1 - Japão
    2 - Grã-Bretanha
    3 - China

    Individual geral

    Mais uma vez favorito ao ouro, Kohei Uchimura vai ter que suar um pouquinho mais dessa vez. Agora ele não tem apenas Oleg Verniaiev (UKR) na sua cola: Manrique Larduet (CUB) é muito consistente e aumentou o grau de dificuldade de suas séries. Além dele, o britânico Max Whitlock compete sob pressão com uma certa facilidade, sendo essa característica seu ponto forte. Correndo por fora, Sam Mikulak (USA) pode finalmente acertar um individual geral importante. Deng Shudi (CHN), Ryohei Kato (JPN) e David Belyavskiy (RUS) também podem figurar no primeiro grupo. Sérgio Sasaki está com séries de dificuldade altíssima, mas ainda sem ritmo competitivo. Entretanto, pode surpreender.

    1 - Kohei Uchimura (JPN)
    2 - Max Whitlock (GBR)
    3 - Manrique Larduet (CUB)

    Solo

    Kenzo Shirai, talvez a aposta mais fácil para um candidato ao ouro. O japonês possui nota de dificuldade excelente e que segura erros de execução que ainda o mantém longe do segundo colocado. Concorrem por medalhas: Kohei Uchimura (JPN), Jake Dalton (USA), Max Whitlock (GBR) e até Diego Hypólito nessa final. O cubano Manrique Larduet e o espanhol Rayderley Zapata também estarão por aqui e, se acertar a série, o russo Dennis Ablyazin. Outro russo muito importante é Nikita Nagornyy, que pode surpreender como fez no Campeonao Europeu. Uma previsão de pódio seria assim:

    1 - Kenzo Shirai (JPN)
    2 - Kohei Uchimura (JPN)
    3 - Max Whitlock (GBR)

    Cavalo com alças

    O britânico Max Whitlock aparece aqui novamente. O ginasta é excelente e muito bem preparado, com todas as chances de levar o ouro. Tem o status e leveza que Louis Smith manteve por muitos anos, e vai ter em seu caminho o próprio Louis Smith, que aparece com as mesmas chances de medalha que tinha quatro anos antes em Londres, quando foi prata. Terão que enfrentar Cyril Tommasone (FRA), Oleg Verniaiev (UKR), Filip Ude (CRO), Harutyun Merdinyan (ARM), Vid Hidvegi (HUN) e Alexander Naddour (USA). Apesar de inconsistentes, os russos David Belyavskiy e Nikolai Kuksenkov possuem notas de dificuldade para estarem entre os finalistas.

    1 - Max Whitlock (GBR)
    2 - Oleg Verniaiev (UKR)
    3 - Harutyun Merdinyan (ARM)

    Argolas

    Numa briga acirrada, Arthur Zanetti e o grego Eleftherios Petrounias disputarão o ouro décimo por décimo. Cada detalhe da série vai contar nessa final. Uma saída com passo, uma posição mal marcada, um balanço de argolas... para ser campeão, nada disso pode acontecer! Zanetti tem o fator "casa" a seu favor: o ginasta está competindo com todo apoio e torcida. Já Petrounias marcou o ciclo com um estilo muito próprio, além de ter uma linha corporal bonita e bem diferente dos especialistas nesse aparelho. Concorrem pelo bronze: Vahagn Davtyan (ARM), Yuri Van Gelder (NED), Dennis Ablyazin (RUS), Samir Ait Said (FRA), Hao You e Yan Liu (CHN).

    1 - Eleftherios Petrounias (GRE)
    2 - Arthur Zanetti (BRA)
    3 - Hao You (CHN)

    Salto

    Ri Se Gwang (PKR) tem saltos difíceis o suficiente para continuar levando o ouro como fez em 2014 e 2015. Sua consistência em acertos é o diferencial, já que existem muitos outros ginastas com saltos difíceis e que não conseguem bons resultados por baixa frequência de acertos. Essa talvez seja uma das apostas mais incertas da ginástica masculina, já que, com a quantidade de bons saltadores competindo, as medalhas ficarão com quem terminar em pé. Ginastas com chances de medalhas: Oleg Verniaiev e Igor Radivilov (UKR), Sérgio Sasaki (BRA), Dennis Ablyazin (RUS), Kristian Thomas (GBR), Kenzo Shirai (JPN), Marian Dragulescu (ROM), Artur Davtyan (ARM), entre outros. Radivilov vai tentar homologar um triplo mortal de frente, salto feio, perigoso e mal executado, enquanto Kenzo vai homologar uma bela tripla e meia de costas.

    1 - Ri Se Gwang (PKR)
    2 - Oleg Verniaiev (UKR)
    3 - Artur Davtyan (ARM)

    Paralela

    Verniaiev tem a paralela mais bonita da atualidade, com linhas e segurança que beiram a perfeição. Esse é o seu aparelho, o ponto alto do seu individual geral e sua maior chance de medalha. Mesmo quando tem pequenos erros continua sendo candidato à medalha, mas é bem difícil vencê-lo quando acerta corretamente. Hao You vai ser seu principal concorrente: tem uma série mais difícil que o ucraniano e concorrem igualmente na alta execução. A disputa ouro e prata será parecida com a disputa que acontecerá entre Zanetti e Petrounias nas argolas. David Belyavskiy, como bom russo que é, tem boa série mas sua média de acertos não é tão alta, dando uma certa vantagem aos dois mencionados anteriormente. Concorrem: Marcel Nguyen (GER), Anton Fokin (UZB), Deng Shudi (CHN), Josimar Calvo (COL), Sérgio Sasaki (BRA), Danell Leyva (USA), Manrique Larduet (CUB), Yusuke Tanaka (JPN), Oleg Stepko (AZE), Epeke Zonderland (NED) entre outros.

    1 - Oleg Verniaiev (UKR)
    2 - Hao You (CHN)
    3 - Yusuke Tanaka (JPN)

    Barra fixa

    Como no salto, vários ginastas tem potencial de ouro. O que muda é a segurança de cada ginasta em sua série. Por exemplo: a série do brasileiro Arthur Nory no Mundial do ano passado não era a série mais difícil, porém segura e muito bem executada, atributos que o colocou como 4° melhor do mundo. Estão disputando uma vaga na final: Pablo Braegger (SUI), Andrea Bretschneider e Fabian Hambuechen (GER), Epke Zonderland (NED), Manrique Larduet (CUB), Arthur Nory (BRA), Zheng Chenglong (CHN), Kohei Uchimura (JPN), Nile Wilson (GBR), Josimar Calvo (COL), Sam Mikulak (USA), Danell Leyva (USA); dentre esses podem sair os 3 medalhistas.

    1 - Kohei Uchimura (JPN)
    2 - Manrique Larduet (CUB)
    3 - Arthur Nory (BRA)

    FEMININO

    Equipes

    Os Estados Unidos já ganhou a competição no treino de pódio que fizeram ontem. Quando os juízes já estavam cansados de verem as equipes errarem, chegaram as americanas e fizeram do treino uma competição quase toda cravada. Suas concorrentes diretas são as chinesas, que melhoraram de forma considerável esse ano. A briga pelo bronze está em aberto, e lutam por essa medalha a equipe da Rússia, Grã-Bretanha e Japão, com uma atenção especial à equipe japonesa, que apresentou ótimas séries no treino de pódio. Brasil, Canadá, Holanda e Itália lutam pelas 3 últimas vagas na final por equipes, onde podem manter ou melhorar as classificações já conquistadas nos Jogos anteriores.

    1 - Estados Unidos
    2 - China
    3 - Japão

    Individual geral

    Soberana já a três anos, Simone Biles é incrível. Com certeza será a maior medalhista dessa edição dos Jogos. Deve estar bem cansada de competir, mas é certo que poderia continuar fazendo história assim como Kohei Uchimura. A disputa pela prata está em aberto e tende para uma segunda americana: Alexandra Raisman (se fizer barras assimétricas) ou Gabrielle Douglas. Sobre o bronze, várias ginastas tem potencial para a conquista: Angelina Melnikova (RUS), Shang Chungsong (CHN), Giulia Steingruber (SUI) e Ellie Downie (GBR). Rebeca Andrade (BRA) tem condições de figurar entre as cinco primeiras.

    1 - Simone Biles (USA)
    2 - Alexandra Raisman (USA)
    3 - Rebeca Andrade (BRA)

    Salto

    Disputa entre Simone Biles (USA), Maria Paseka (RUS) e Hong Un Jong (PKR). Simone Biles apresenta um amanar e um cheng executados de forma belíssima, que são os mesmos saltos de Maria Paseka, campeã mundial no ano passado. Ainda no ano passado, Hong também tinha esses mesmos saltos mas, ao que parece, vai tentar homologar a inédita tripla, que está sendo executada com segurança em treinos. Mesmo com um salto mais difícil ainda pode perder o ouro para Biles por conta de sua execução que não é muito valorizada. Dipa Karmakar (IND) e Oksana Chusovitina (UZB) vão competir com produnova e Giulia Steingruber (SUI) pode apresentar uma inédita reversão com dupla pirueta. Ainda temos as canadenses Shallon Olsen e Brittany Rogers: a primeira com amanar e khorkina 2 e a segunda com yurchenko com dupla pirueta e mustafina. Outras concorrentes: Alexa Moreno (MEX) e Marcia Videaux (CUB).

    1 - Simone Biles (USA)
    2 - Hong Un Jong (PKR)
    3 - Giulia Steingruber (SUI)

    Barras assimétricas

    Fan Yilin (CHN) é a principal favorita. A ginasta está com uma série mais difícil e melhor executada que no ano passado, quando teve que dividir o ouro com mais três ginastas: Madison Kocian (USA), Viktoria Komova (RUS) e Daria Spiridonova (RUS). Dentre essas, Komova está fora da disputa por conta de uma lesão e as outras continuam. Adicionando concorrentes na final: Aliya Mustafina (RUS), Gabrielle Douglas (USA), Tan Jiaxin (CHN), Becky Downie (GBR), Sophie Schedder e Elizabeth Seitz (GER), Loan His (FRA) e até Rebeca Andrade (BRA).

    1 - Fan Yilin (CHN)
    2 - Daria Spiridonova (RUS)
    3 - Becky Downie (GBR)

    Trave

    Também um aparelho em aberto, principalmente depois que Biles começou a errar, algo que nunca acontecia. A ginasta continua sendo a favorita, mas vai ser preciso voltar um pouquinho no tempo e cravar tudo de novo. Vai encontrar Sanne Wevers (NED) em seu caminho, uma ginasta que está se apresentando de forma muito segura ultimamente. Flávia Saraiva (BRA) também é uma forte candidata à medalhas, com linhas bonitas e muita segurança. Wang Yan (CHN) e Shang Chungsong (CHN) podem ter seu lugar ao sol quatro anos depois de Londres, quando Deng Linlin e Sui Lu levaram ouro e prata. Ellie Downie (GBR) tem uma série forte e com linhas parecidas com a de Alexandra Raisman (USA), que também pode figurar na final competindo diretamente com Lauren Hernandez (USA) pela segunda vaga americana. Nessa final não pode faltar uma russa e uma romena, tradição nesse aparelho: Seda Tutkhalyan (RUS) pode fazer a série de sua vida e Catalina Ponor (ROU) tem toda elegância a seu favor. Ellie Black (CAN) também é outra grande concorrente.

    1 - Simone Biles (USA)
    2 - Lauren Hernandez (USA)
    3 - Sanne Wevers (NED)

    Solo

    As americanas Simone Biles e Alexandra Raisman estão praticamente disputando entre si o ouro olímpico. Biles é consecutivamente tricampeã mundial enquanto Raisman deseja o bi olímpico. Catalina Ponor (ROU) vai adicionar dificuldades no seu solo para tentar garantir uma medalha e é uma forte concorrente. Sae Miyakawa (JPN) chega muito forte ao lado de Mai Murakami (JPN), ambas com ótimas séries. Ainda temos: da Itália, Vanessa Ferrari e Erika Fasana; do Brasil, Flávia Saraiva e Rebeca Andrade, que pretende finalmente homologar o duplo mortal com pirueta e meia; a fortíssima Giulia Steingruber (SUI); da Grã-Bretanha, Ellie Downie e Claudia Fragapane; da China, Shang Chungsong e Wang Yan.

    1 - Simone Biles (USA)
    2 - Alexandra Raisman (USA)
    3 - Catalina Ponor (ROU)

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Ivan Ferreira / Gym Blog Brazil
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.