• Sem Diego e Daiane, Brasil fica sem títulos na Copa pela primeira vez desde 2002

    A etapa de Glasgow disputada no último final de semana encerrou a Copa do Mundo 2010 de ginástica artística. Como costuma acontecer, já que são poucas as rodadas que contam com grandes astros do esporte, a atual temporada coroou novatos, sobretudo nas disputas femininas, e viu um fato inédito desde 2002: nenhum brasileiro conquistou o título final.

    A falta de brasileiros no lugar mais alto do pódio ressalta o ano difícil da ginástica brasileira, sobretudo entre os homens. Diego Hypolito, único atleta a conquistar quatro títulos de Copa na história da competição, teve um ótimo início de temporada e já havia faturado dois ouros e uma prata nas três primeiras etapas que disputou até sofrer uma lesão que o tirou não só da Copa como de todos os outros campeonatos internacionais do ano, entre eles o Pré-Pan de Guadalajara e o Mundial de Roterdã.

    Apesar de ter participado de apenas três rodadas, Diego teve um grande aproveitamento na Copa 2010 e somou 140 pontos no solo, apenas 10 a menos do que o grego Eleftherios Kosmidis, que conquistou a taça da temporada. O israelense Alexander Shatilov, um dos maiores rivais de Diego Hypolito na atualidade, somou 141 pontos e foi o segundo melhor do ano com apenas um ponto a mais do que o brasileiro.

    Diego lutava pelo pentacampeonato da Copa do Mundo e tentava manter um título que pertencia a ele desde 2004. Naquela época, o campeonato ainda era disputado ao longo de dois anos, e o ginasta brasileiro venceu as superfinais de 2004 (Birmingham), 2006 (São Paulo) e 2008 (Madri). No ano passado, o especialista em solo ainda venceu a primeira edição da Copa em seu novo formato, disputada anualmente. E ainda conquistou o título com uma etapa de antecedência.

    Além de Diego Hypolito, a ginástica masculina brasileira também prescindiu de Arthur Zanetti, que tinha boas chances nas argolas, mas ficou comprometido por uma cirurgia no ombro que o tirou de todo o segundo semestre do ano.

    Se entre os homens o Brasil se viu dependente de Diego Hypolito, nas disputas femininas mais uma vez ninguém conseguiu alcançar os feitos de Daiane dos Santos. Bicampeã da Copa com os títulos de 2004 e 2006 no solo, a gaúcha não participou de nenhuma etapa em 2010, pois esteve suspensa das competições internacionais em razão de um flagrante de doping e ainda não voltou à seleção brasileira.

    Daniele Hypolito voltou a competir em alto nível e chegou a conquistar um ouro no solo e outro no salto, mas disputou apenas duas etapas ao longo do ano, o que reduziu a praticamente zero suas chances de ficar com o título de melhor ginasta de 2010. Para completar, Jade Barbosa voltou tardiamente à seleção, apenas em outubro, e não disputou nenhuma etapa da temporada.

    Os campeões

    Embora o Mundial de 2010 já tenha contado com mais astros do que o de 2009, a Copa do Mundo deste ano não teve o prestígio da maior parte dos principais atletas da atualidade. Por isso, com raras exceções, a Copa 2010 viu campeões novatos e de países sem tanta tradição.

    Uma das grandes surpresas da temporada foi a venezuelana Jessica Lopez. A latina ficou com o título do solo e ainda foi vice-campeã da trave e das assimétricas. Nestes dois aparelhos, Lopez só perdeu para a chinesa Wu Liufang, que aos 16 anos mostrou que a China não tem problemas de renovação. No salto, a campeã foi a croata Tijana Tkalcec.

    Entre os homens, as surpresas foram menores, mas também apareceram. Se o húngaro Krisztian Berki confirmou seu favoritismo no cavalo com alças (190 pontos) e o esloveno Mitja Petkovsek também não deu margem a zebras nas paralelas (150 pontos), nas argolas o jovem russo Aleksandr Balandin deu as cartas. Aos 21 anos, o ginasta europeu venceu as quatro etapas que disputou e alcançou justamente a maior soma possível, 200 pontos.

    Beneficiado por ter participado de sete das 12 etapas, o croata Marijo Moznik ficou com o título na barra fixa. Para fechar a lista de campeões, o holandês Jeffrey Wammes, um dos atletas que mais evoluiu nos últimos anos, ficou com o título no salto masculino (Diego Hypolito ficou em quarto lugar).

    Solo do Diego em uma das etapas esse ano



    Solo da Daiane no Paulista esse ano

  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.