• Quais as chances da equipe feminina do Brasil no Evento Teste?


    Começa amanhã o Evento Teste com o treinamento de pódio masculino. Na sexta-feira é o treinamento de pódio feminino e a estreia da equipe do Brasil. Será a hora de, segundo a coordenadora da ginástica feminina Georgette Vidor, escolher a reserva da equipe, que será representada por Jade Barbosa, Daniele Hypólito, Rebeca Andrade, Flávia Saraiva, Lorrane dos Santos, Carolyne Pedro e Milena Theodoro. E a situação para o Brasil, felizmente, melhorou um pouco.

    Após o fim do Campeonato Mundial ficou uma certeza: todas as equipes concorrentes diretas do Brasil se fortaleceriam com o entrar de 2016 e as novas promessas da categoria adulta. Isso aconteceria enquanto o Brasil continuaria contando com as ginastas veteranas, já que, nesse ano, não havia nenhuma promessa juvenil brasileira de destaque maior que as atuais veteranas. O Brasil precisaria fazer mais do que fez no Mundial.

    E é bem provável que o Brasil realmente faça mais do que fez no Mundial, com chances reais de terminar o Evento Teste na primeira posição. E isso não se relaciona apenas à correção dos erros cometidos em Glasgow, mas na melhoria das notas de dificuldade das séries. Jade Barbosa, Daniele Hypólito e Flávia Saraiva mostraram esse ano boa evolução nas séries de barras assimétricas com relação às séries que apresentaram no Mundial e já conseguiram notas superiores. Ao passo que as séries do pior aparelho do Brasil estão melhores, os países concorrentes perderam suas estrelas e até as suas estreantes promissoras.

    É o caso da Romênia, que competirá no domingo sem Larisa Iordache e Laura Jurca. Bélgica perdeu Nina Derwael, estreante que tem a maior nota de barras assimétricas da equipe. A equipe australiana não conseguiu recuperar Lauren Mitchell a tempo, e além disso perdeu a estreante Emily Whitehead e a veterana Mary Anne-Monckton. Mas, dentre as principais equipes concorrentes do Brasil, Alemanha e França ainda continuam com suas principais ginastas em forma e com as estreantes também em boa fase.

    Ao que tudo indica, o Brasil pode fazer uma competição um pouco mais tranquila comparada ao Evento Teste em Londres. Claro que não deixaremos de torcer e nos preocupar até que a competição finalize; o ideal será que o Brasil termine em 1º logo após sua rotação, deixando Austrália e Romênia para trás e aguardando os resultados de França, Bélgica e Alemanha que competem nas rotações seguintes. Sendo assim, o coração do torcedor brasileiro, que sofreu muito em 2012, agradece.

    Post de Cedrick Willian

    Foto: Ivan Ferreira / Gym Blog Brazil
  • You might also like

    5 comentários:

    1. quero flavinha rainha do popy tirando 15,100/ 14.500/ 15,300/ 14/500
      deusa do mundo
      soberana do talento
      samba na cara das inimigas que voce nao tem pq todo mundo te ama


      ResponderExcluir
    2. a jade vai pousar pelada mesmo ingual sail na notissia há um tempo de trás?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Parece que sim.kkkk

        Excluir
      2. Sim, agora a playboy é mais soft. Não é como era antes.

        Excluir
    3. Cedrik por favor não nos abandona, acompanho seu blog porque não tenho face se puder postar em conjunto Facebook e blog seria massa, desde já agradeço. Fica com Deus

      Matheus Lynx

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.