• Biles deixa o Rio de Janeiro mudando a história da ginástica mundial


    O destaque dos Jogos Olímpicos é, sem dúvidas, da americana Simone Biles. A ginasta está mudando a história da ginástica artística feminina assim como a romena Nadia Comaneci fez nos Jogos de Montreal em 1976. Biles está pronta para o próximo ciclo - apesar de que talvez não continue na ginástica - e será inspiração para muitas crianças e ginastas ao redor do mundo.

    Desde quando entrou para a categoria adulta, em 2013, não perdeu nenhuma final por equipes, solo ou individual geral, sendo campeã de todas as competições que participou, sejam nacionais, continentais, mundiais e, agora, olímpica. Muito carismática, conquistou o público da arena e até os brasileiros fizeram parte da torcida.

    Biles deixa um legado para a ginástica e, sinceramente, ainda poderia fazer muita coisa. Tem muitos exercícios que a ginasta treina e ainda pode homologar, deixando seu nome escrito por mais vezes no código de pontuação, que já possui dois elementos que levam seu nome.

    Com quatro medalhas de ouro e uma de bronze, sai do Rio como a ginasta mais condecorada dos Jogos do Rio como também uma das mais condecoradas da história numa mesma edição dos Jogos Olímpicos. Contanto apenas três mundiais também detém o recorde de medalhas conquistadas nessa competição. Apesar de difícil, fica a torcida para que Biles continue no esporte. O próximo objetivo seria quebrar os próprios recordes que, com certeza, serão mantidos por muitos e muitos anos.

    Quem teve a oportunidade de vê-la em ação, grave tudo muito bem na memória. Como Nadia Comaneci é reconhecida até hoje, Biles será lembrada na história desse esporte por muito tempo. Com tanto carisma, força e determinação, é impossível que não tenha sucesso daqui para frente. Mesmo assim, boa sorte Simone!

    Texto de Cedrick Willian

    Foto: Divulgação Rio 2016
  • You might also like

    10 comentários:

    1. Só uma pequena correção a Biles não foi a primeira ginasta a conquistar quatro medalhas de ouro em uma edição de jogos olimpicos, só para citar três exemplos no feminino temos a Larissa Latynina em Melbourne 1956 que conseguiu 4 de ouro e uma prata,a Vera Caslavska na Cidade do México em 1968 com 4 ouros e duas pratas e a Ecaterina Szabo em Los Angeles 1984 com 4 ouros e uma prata, comparativamente o desempenho delas foi superior ao da Biles com seus 4 ouros e um bronze. E se a Biles vai ser lembrado ou não isso só o tempo vai dizer, na minha opinião daqui a alguns anos ninguém vai nem lembrar dela .

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Esses sãos os três únicos exemplos além de Biles. Realmente eu não sabia da conquista da medalha além do ouro, se superava Biles ou não, e na pressa aqui nos Jogos arrisquei a informação da mente e falhei na pesquisa, pelo desculpas e o texto já está corrigido.

        Excluir
    2. Fico indignado, muita puxação de saco com americanos, RIDÍCULO. Tivemos a presença de tantas ginastas maravilhosas e toda a mídia focou nos EUA. Vergonha! Se os EUA estiver vencendo é o que importa e nada mais. Cadê a garota que venceu na trave? Quem é ela? Poucos ouviram falar da vitória, mas sabemos que Biles ganhou bronze, é um apiada. Hypolito se aposentou, batalhou igual escrava, deu nome ao esporte e saiu com o trofeu do esquecimento e graças a Deus. Catalina ponor se aposentando, 5 medalhas olímpicas, só ouvimos falar: A Rival de Daiane dos Santos.... Que Rival? Daiane nunca ganhou uma medalha. Vamos melhorar meu povo, Vamos melhorar!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Só despedindo mais da metade dos ''comentaristas''... a rede ''globo'' 'estava' uma porcaria, eu parei de ver a ''Maria João'' e um tal de ''Marcos Uchôa'' vomitando besteiras a torto e a direito. Há de se dizer que ''eles'' não falam pra nós, mas para o grande público que entende pouco a nada de ginástica. Floreiam, criam heróis, em especial se forem americanos. Acho que ouviram muito esta música

        https://www.youtube.com/watch?v=6QOKytam73A

        Todos os comentaristas da rede bobo tem ido à aulas na ''Escola jornalística de dramatização Régis Rosing'', o resultado é isso aí mesmo viu*

        Achei a final da trave extremamente injusta para com a Flavinha. Sempre achei a série dela mais bem feita, graciosa (anos luz) E difícil que da queixuda da Hernandéz, desculpe por ela, mas eu fiquei com raiva também neste evento.

        Apesar dos erros Flávia merecia ter ganho o quarto lugar a frente da francesa com aquela trave insossa e cheia de erros!!!! O que que há**

        E se não fosse por ser tão despontuada talvez pudesse beliscar o bronze.

        ''O importante é competir''

        O tal fair play do esporte não existe entre os super-maravilhosos americanos.

        Aliás os americanos tem atraído um monte de cérebros da ginástica artística pra lá, resultado: ...

        Biles mereceu por ser de uma consistência de outro mundo. Um gênio no quesito técnico... mas na parte artística, zero absoluto.

        E isso deveria ser despontuado.

        https://www.youtube.com/watch?v=2VrVDsSfEKQ

        ESPETÁCULO!!!

        Excluir
    3. Simone Biles realmente mereceu suas medalhas pois é extremamente potente. Porém, em termos da elegância da ginástica, que fazem com que ao assistir uma série de trave ou solo, não queremos que a série acabe, esse realmente não é o ponto forte da Biles. Minha completa admiração continua sendo pra Catalina Ponor que, só de se apresentar aos árbitros demonstra imensa PRESENÇA, personalidade, graciosidade e uma profunda elegância, e que conforme as séries vão ocorrendo, esperamos sempre mais e mais. Uma pena ter presenciado uma nota tão baixa, mas merecida em sua última olimpíada, mas nem sempre as coisas ocorrem como desejamos.
      Parabéns Biles, pelas suas medalhas merecidas, parabéns Ponor, por sua garra e perseverança. Por fim, não posso deixar de enaltecer o biolímpico da Mustafina, ginasta extremamente determinada, alta postura de liderança, que sempre cresce em finais e de uma elegância digna da escola russa.

      ResponderExcluir
    4. MUITO GASTO COM TÉCNICOS RUSSOS,UCRANIANOS E NENHUMA MEDALHA NA GAF. MASCULINO MOSTROU QUE É POSSÍVEL CHEGAR AO PÓDIO COM TÉCNICOS BRASILEIROS. ENTRA CICLO SAI CICLO,A MESMA COMPARAÇÃO COM O PASSADO, MEDALHA QUE É BOM NADA. SERÁ QUE A CÚPULA NÃO ESTÁ EMPERRANDO O ANDAMENTO NO GAF?

      ResponderExcluir
    5. A Biles perdeu o American Cup de 2013, esse Cedrik é um burro

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. E você, que presta tanta atenção no blog, é um fã enrustido!

        Haters gonna haters, sempre. Abraços celestiais!

        Excluir
    6. Ela não é invicta no AA, ela perdeu o American Cup de 2013

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.