• O que a ginástica reserva para 2017? - Parte 3


    CHINA

    No ano que se passou, aconteceu algo impressionante, que não se tem notícia da última vez que possa ter acontecido: a equipe chinesa terminou os Jogos Olímpicos sem nenhuma medalha individual. Com "apenas" dois bronzes por equipes, dá pra acreditar que o Brasil foi mais condecorado que a China nos Jogos do Rio?

    Apesar da variedade enorme de especialistas em todos os aparelhos, a bandeira chinesa não foi hasteada em nenhum pódio individual. Com possibilidades de conquista de inúmeras medalhas, deu completamente tudo errado para os chineses nas finais individuais. Até os que competiram extremamente bem,como Shang Chunsong na final individual geral, acabaram sendo ofuscados por ginastas de outros países que, no momento certo, tiveram suas melhores performances.

    2017 é o ano para esquecer o desempenho de 2016. Com ginastas especialistas e de totais condições de ouro, a China pode se redimir, conquistando várias medalhas no Mundial do Canadá. Fica a torcida para que o país conquiste todos os pódios que tem potencial e merece.

    Liu Jingxing

    Explosiva e graciosa , a ginasta apresenta boas rotinas de trave e solo, sendo no segundo aparelho seu maior destaque. Possui no solo um duplo mortal esticado, de valor (F), juntamente com um belo tsukahara grupado, valor (E). Boa parte de dança, onde inclui giros de valor (D) e saltos com amplitudes regulares. A ginasta já trabalha em novas acrobacias para sua série esse ano, sendo uma delas o silivas (duplo mortal com dupla pirueta), que tem valor (H) no código atual, fator favorável, já que a ginasta é muito explosiva. Na trave possui elementos como: rodante + mortal estendido, cortada em arco + salto anel e uma boa saída de duplo mortal carpado.



    Wang Cenyu

    Especialista de trave e barras, possui uma das mais belas linhas de barras assimétricas da atualidade; boas dificuldades alinhadas em boas execuções. Bi-campeã nacional juvenil nesse aparelho, sua série é composta pela incrível sequência de ling (E) + realy (E) + jaeger esticado (F), que ligará ao pak futuramente; sequência original e única usada na ginástica artística atual. Na mesma série a ginasta executa uma sequência bastante comum entre as ginastas chinesas: maloney (D) + gienger (D), sequência bastante inteligente onde tem 0.2 de bônus!

    Na trave, Wang abre sua série com uma bela sequência de cortada com pé na cabeça (E) ligado ao salto anel (C), que bonifica 0.1 atualmente. Como toda chinesa, faz um belíssimo mortal esticado vindo da rondada, além de encerrar a sua série com uma saída de dupla pirueta e meia (D) que evoluirá para uma tripla nas competições futuras.]





    Chen Xiaoqing

    Especialista de trave e solo, a atual medalhista de bronze na trave no principal Nacional Chinês, ocorrido em junho de 2016, a ginasta lembra muito a linha de Shang Chunsong, também especialista em ambos os aparelhos.

    Assim como trave e solo, a ginasta vem trabalhando em seu salto, que há rumores de que será um yurchenko com dupla pirueta, um salto satisfatório, principalmente quando se trata de uma chinesa que compete no individual geral.
    Na trave, seu maior destaque, apresenta uma excelente amplitude nos saltos de dança assim como boas linhas de execução em suas acrobacias! Fator importante para especialistas desse aparelho, que estiveram em falta no ciclo passado. No solo, segundo melhor aparelho de Xiaoqing, a ginasta inicia com um belo tsukahara que futuramente evoluirá para um silivas. Possui uma parte musical bem interessante, lembrando partes coreográficas da britânica Elissa Downie. Também apresenta uma tripla pirueta que provavelmente ligará ao mortal grupado, sequência padrão das ginastas chinesas atualmente e que bonifica 0,2.




    Liu Tingting

    Um dos nomes mais aguardados e principal estreante chinesa em 2016, foi escolhida para disputar os jogos olímpicos do Rio. Infelizmente uma lesão na mão esquerda durante o treino de barras assimétricas retirou a ginasta das competições futuras no mesmo ano, dando assim a sua vaga Olímpica para Tan Jiaxin, a então reserva da equipe.

    Tingting possui boas séries em todos os aparelhos e tem boas dificuldades. Seu destaque está no individual geral (AA), onde tinha chances reais de uma medalha olímpica. Sua especialidade é as barras assimétricas, possuindo boa dificuldade alinhada à uma execução formidável. Elementos de combinações entre as barras são o ponto forte em sua série. No salto, faz um yurchenko com dupla pirueta com boa postura. Seu solo foge totalmente do padrão que a China impõe em suas ginastas, onde há mais elementos de dança ao invés de acrobacias, sendo um fator favorável à jovem ginasta; duplo giro em L e um semenova (duplo giro em atittude) estão presentes em sua série.
    Na trave (seu segundo melhor aparelho) possui uma belíssima linha, alongada e dinâmica. Conta com elementos de combinações como nas assimétricas. TingTing lembra muito a Yao Jinnan em 2011, mas tem tudo pra ser ainda melhor. Se continuar evoluindo como no Nacional Chinês de 2016, certamente sua vaga no Mundial do Canadá está garantida.





    Texto de Lucas Victor e Cedrick Willian

    Foto: Rimako Takeuchi
  • You might also like

    11 comentários:

    1. Li Yuyao ? Luo Youjuan ?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A intenção desse post é sempre incluir as ginastas de maior importância na nossa opinião. Não pretendemos e nunca fizemos um post com todas as "new seniors" de todos os países, só as de mais destaque mesmo. Esse ano serão apenas 4 ginastas, que é o número máximo de ginastas por países no Mundial. Espero que entenda! :)

        Excluir
    2. Parabéns pelo post, mas "Shang Chunsong na final individual geral, acabaram sendo ofuscados por ginastas de outros países que, no momento certo, tiveram suas melhores performances", eu não concordo, Mustafina nunca deveria ter ganho aquele bronze do AA, ela não teve suas melhores performances e nem merecia ganhar da Chunsong.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Eu também não concordei em Aliya ter ganhado, mesmo sendo fã dela. Mas fato é que as arbitragens da paralelas e do salto estavam "mais frouxas", enquanto a de trave e solo estavam mais rígidas. Já faz algum tempo que Aliya só ganha medalha no AA por ter o salto e a paralela como melhores aparelhos, e foi o que ela fez nas olimpíadas! Chang competiu melhor, mas teve notas desfavoráveis onde devia ter pontuado mais, o mesmo para a nossa Rebeca, se tivesse acertado o Amanar e paralela (que eram os melhores aparelhos dela) tinha tomado o bronze, com facilidade, de mustafina. Fato é que mesmo errando ela teve a melhor estratégia do dia. Qualquer uma das que ficaram entre 4º e 6º lugar poderiam ter tirado o bronze dela. Foi questão de sorte mesmo.

        Excluir
    3. Calma pessoal, se MUSTAFINA tivesse acertado sua serie de trave, como fez no europeu, e não tivesse falhado no solo, nem Shang e nem Rebeca, acertando tudo que sabem, chegariam perto da pontuação dela, até a Raysman ficaria sem a sua medalha de prata. kkkkkkkk

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Mas Shang não cometeu erros graves em nenhuma de suas séries. O negócio é que ela foi descaradamente roubada, foi isso. Vi a série dela de trave. Difícil, muito bem realizada, só mesmo um especialista pra ver erro aí, e mesmo assim, por lógica, pouca coisa pra tirar. Ela levou um 8,2 em nota de execução.

        Excluir
      2. Concerteza, se Mustafina acertasse toda série dela nem Simone Biles seguraria o ouro kkkkk. No salto ela poderia tirar 15.466 o Yurchenko dela é bem bonito de se ver, e cravadissimo! A paralela um 16.000 não tenho dúvida que ela poderia conseguir nesse AA acertando a saida e e os giros na barra alta. Na trave, por equipes ela tinha conseguido 14.958 imagina e a dificuldade dela é só 5.3 kkkk. No solo ela poderia conseguir no maximo 14.600 acho o solo da Mustafina um solo fraco, aquela medalha dela em Londres no solo não foi merecido. Vanessa Ferrari merecia mais, mais então somando tudo ai ela chegaria em 61 e olha que ela tem potencial pra 62 kkk. Oque seria de Simone Biles se Mustafina fosse aquela ginasta de 2010 kkkk. Ai sim seria competição, Rebeca só ficou a frente dela na classficação porque ela caiu na trave.

        Excluir
      3. A trave da Mustafina é uma espécie de macumba, creindeuspai!!!

        Mas acho que os dirigentes da ginástica a adoram por ser muito popular... claro que isso não é JUSTO, o que mais importa é avaliar o talento do atleta e não o atleta em si. Depois daquela injúria em 2011 ela nunca mais foi a mesma, uma espécie de bloqueio mental, menos na trave, igual aconteceu com a Gogean de 94 em diante e o caso mais sério, com a Vanessa Atler, que foi se apagando até não sobrar mais nada dela coitada, ficar em cima da trave ou terminar uma série já era vitória pra ela em seus últimos anos de agonia como atleta.

        Excluir
      4. Desculpa, o bloqueio mental da Aly russa não se deu nas barras, pois foi na trave que ela fumou bonito o cigarrinho do demônio.

        Excluir
    4. A China precisa dar um up nas séries de solo e salto. Mesmo contando com barras e trave fantásticas, o solo da China foi fraquíssimo e a Chunsong caiu no salto.

      ResponderExcluir
    5. Do que adianta ter séries fantásticas no papel se chega na competição e cai fora da área de competição, como fez Mao Yi, tira 12.xxx e quase ficam fora do pódio? As chinesas não conseguem executar tudo que sabem quando é para valer. Lembro que no ano passado, no campeonato nacional, suas séries eram superiores a das americanas, exceto pelo salto. Mas chegou nas Olimpíadas não conseguiram fazer 10%. Aliás a China não consegue passar sem erros por uma final desde 2006. Então isso aí é só especulação, quero ver na hora.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.