• Presente em oito finais, Brasil termina competição em Koper com quatro medalhas


    O Brasil terminou sua participação na Copa do Mundo de Ginástica, etapa de Koper, com um saldo positivo. Mesmo cometendo várias falhas, algumas até mesmo perigosas, as seleções conquistaram um total de quatro medalhas, sendo duas de ouro.

    Rebeca Andrade foi responsável pelo primeiro ouro, no salto feminino, com dois saltos excelentes. Essa é a primeira vez desde 2015 que Rebeca apresenta um segundo salto e fez de forma brilhante, demonstrando uma grande chance de medalha nesse aparelho no Mundial do Canadá. Competiu também nas assimétricas e ficou fora da final, apesar de ter grandes chances de medalha nesse aparelho. Arthur Zanetti, voltando de lesão e com série uma série mais simples, conseguiu outro ouro para o Brasil nas argolas, começando seu ciclo olímpico de forma positiva. Também esteve na final de solo com uma nova série e quase conquistou o bronze (no critério de desempate o holandês Bram Verhofstad se saiu melhor).

    Flávia Saraiva competiu nas assimétricas, onde foi bronze, e ainda se classificou para as finais de trave e solo, onde tinha chances de conquistar mais dois ouros. Entretanto, teve uma queda extremamente incomum na trave - durante uma coreografia simples -, prejudicando a nota de sua série que foi muito bem cravada e executada. No solo, um erro mais grave: em sua nova sequência de dupla pirueta e meia + mortal com pirueta, chegou sobrando no primeiro elemento e não conseguiu completar o segundo, ocasionando uma queda que a fez abandonar a prova com dores no pé.

    A quarta medalha do Brasil na competição veio com Thais Fidelis na trave, que mesmo com uma queda na ótima sequência de flic + twist, conseguiu 12,850 para o bronze. No solo, onde tinha a maior nota de partida e havia se classificado em primeiro, caiu no duplo twist e terminou fora do pódio.

    Lucas Bittencourt ainda competiu na final de paralela e terminou em último lugar com uma série cheia de erros graves. Francisco Barreto competiu na final de cavalo com alças com uma série difícil mas, abrindo a final, acabou errando. Ambos poderiam ter competido melhor ainda nas classificatórias e conseguido mais finais para o Brasil: Francisco ficou fora da final de paralela e barra fixa e Lucas também poderia ter conseguindo um lugar na final de barra fixa.

    O Brasil compete ainda essa semana nas classificatórias da Copa do Mundo de Osijek, na Croácia e, no próximo fim de semana, pode ter ainda mais sucesso que em Koper: Rebeca pode conquistar um lugar na final de assimétricas; Francisco pode conseguir final de barra fixa; Flávia, Zanetti, Thais e Lucas podem fixar os erros. Fica a dúvida apenas quanto à participação de Flávia na próxima competição, já que ainda não se sabe o nível de gravidade da lesão de hoje (aparentemente leve).

    Na competição feminina a Romênia brilhou com a presença de Larisa Iordache, que terminou a competição com ouro nas assimétricas e trave. Larisa se coloca num ótimo caminho até o Mundial do Canadá e mostrando grande potencial de medalha no individual geral. Carina Kroell, da Alemanha, conquistou o ouro no solo.

    Na competição masculina, pódios variados como sempre, com destaque para os Estados Unidos - que conquistou dois ouros - o ginasta americano Donnell Whittenburg - que conquistou três medalhas. Os campeões masculinos foram : Eddie Pennev (USA) no solo; Saso Bertoncelj (SLO) no cavalo com alças; destaque para o israelense Andrey Medvedev, ouro no salto com um duplo carpado de frente e outro de costas; Donnell Whittenburg na paralela; Tin Srbic (CRO) na barra fixa.

    Confira os resultados completos.

    Post de Cedrick Willian
  • You might also like

    Um comentário:

    1. Queria ver a Thaís com aquele Memmel lindo que ela apresentou em Jesolo.

      ResponderExcluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.