• Trofeo Cittá di Jesolo 2015 - Resultados por equipes e individual geral


    Aconteceram hoje as finais individual geral e por equipes da edição 2015 do Trofeo Cittá di Jesolo. Como de costume, a equipe dos Estados Unidos dominou a competição e se não fosse a regra de 2 ginastas por país, provavelmente teriam 3 ou mais ginastas em cada final.

    A competição marcou a volta de Gabriell Douglas e Alexandra Raisman às competições. As ginastas estiveram cumprindo seus compromissos pessoais fora do ginásio desde os Jogos de Londres, e o retorno, esperado por muitos, finalmente aconteceu e muito bem! As ginastas fizeram séries difíceis e com boa execução, mostrando muito potencial para continuar compondo a equipe americana em competições.

    Simone Biles continuou acertando todas as suas séries para conseguir o ouro no individual geral. A estreante Bailie Key ficou com a prata seguida de Alexandra Raisman com o bronze. Gabrielle Douglas ficou em 4º lugar. Kyla Ross teve erros muito grandes no solo e terminou na 10ª colocação. Fora os Estados Unidos, a ginasta melhor colocada no individual geral foi a italiana Erika Fasana, que ficou em 6º com 57.750.

    Por equipe, uma diferença enorme da equipe americana para a segunda colocada: 241.300 contra 224.350 italianos. A terceira melhor equipe foi o Canadá, que chegou perto da Itália com 221.750. Por aparelhos, Simone Biles se classificou em primeiro para todas as finais.

    Confira os resultados completos!

    Final Individual geral
    Final por equipes
    Classificadas para as finais por aparelhos

    Vídeos em: https://www.youtube.com/channel/UC-x6jRDgVVEMhCgRjdfTk9A

    Foto: Filippo Tomasi
  • You might also like

    7 comentários:

    1. Simone Biles, continua bem, como melhorou na trave, esta muito confiante, acertou tudo, BRILHOU, sem palavras.

      Key, fez o seu papel, muito elegante e consistente, ela cometeu desequilíbrios na trave e isso quase não acontece, ela foi bem, mas foi ofuscada pelas compatriotas.

      Aly, voltou muito bem, apresentou atualizações na trave e solo, ela sabe competir, muito determinada a acertar, mas será que ela terá vaga na equipe principal? pode ser que sim, se saltar um Amanar até porque ela pontua bem mais que Skinner , que e especialista de solo e salto.

      Gabby optou por series mais simples,acredito que ela não mostrou tudo por ser a sua primeira competição, deve ter uma serie de UB mais forte.

      Kyla, pontuou muito bem no na trave, e barras, mas ela não atualiza quase nada, mas acredito que ela vá ao mundial

      ResponderExcluir
    2. Gente não tem pra ninguém mesmo,os EUA estão anos luz na frente do resto do mundo,olhem estas veteranas que ficaram anos sem competir e voltaram colocando menininhas de 16 anos no bolso. Estamos apenas no começo da temporada daqui até o Rio os americanos provavelmente terão duas equipes olímpicas,muitas ginastas de alto nível ficarão de fora,sorte dos outros países ter a regra de 2 por país senão o pódio seria dominado pelas americanas.É nisso que dá tanto investimento no esporte,Brasil e mundo tomem nota se quiserem incomoda-las!

      ResponderExcluir
    3. http://imgur.com/gallery/K7txiF3

      Que mudança foi essa da Raisman?! Ela perdeu quase toda a postura de zagueiro do broncos! Certeza que foi aquela dança dos famosos americana. Esses quatro anos lhe levaram a cinturinha, mas fizeram muito bem para Aly. Superou a Skinner em tudo, até onde eu nunca pensei em ver o fim do empate. Sem querer querendo, Raisman se torna a prova viva de que qualquer ginasta, QUALQUER GINASTA, pode adquirir fluidez nos movimentos. É só os técnicos quererem e a FIG exigir. Em compensação, que coreografia é aquela? Mata de raiva fazendo uma coisa daquelas, mas deixa passar dessa vez.

      Acho que o American Team já está definido. Key é uma cópia mais nova e bonitinha da Ross, e ambas devem entrar. Raisman nem se fala. Gabby mais sem sal que nunca, não deve disputar AA, mas também deve pegar vaga, mesmo com aquelas faixas no pé. Biles sem comentários também, mas essas notas dela... Biles trouxe algo novo na UB, BB e VT? Quero ver ela pegar esse 62 em um campeonato da FIG. Ótima desculpa para ela vir na Copa de SP rs

      Fica faltando uma vaga. Milhares de ginastas estão com mais chances, mas todo mundo já sabe quem vai pegar. Karolyi já está há muito tempo nessa campanha de provar que até Mike Tyson pode dançar no FX e ganhar medalha. Certeza que ela não vai perder essa chance de se mostrar certa. Nunca sonhei em dizer isso, mas torcendo pela Maroney.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. O que a Raisman melhorou na artística piorou 2x na flexibilidade.
        Que trave foi aquela gente, se os leaps chegarem aos 135,57º já é muita coisa.

        ¨#SigaBemCaminhoneira

        Excluir
    4. A Biles, como 99% das ginastas americanas não mantem um alto nível muito tempo, no máximo até o mundial. ...com certeza até a olimpíada ela estará fora de forma (acima do peso) ou contundida.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Quais ginastas americanas não se mantiveram em um nível elevado durante todo um ciclo (digo, até as olimpíadas), e se machucaram, ganharam peso, como se refere? Nastia Liukin, campeã individual geral, prata por equipes, trave, assimétricas e bronze no solo? Shawn Johnson, ouro na trave e prata no individual geral, por equipes e no solo? Ou seria Gabby Douglas, atual campeã olímpica no AA? Talvez se refira a Aly Raisman, campeã no solo e bronze na trave.
        Não sei se lembra, mas essas ginastas se encontravam em altíssimo nível quando faltava menos de 1 ano e meio, como agora, para o início das olimpíadas.

        Excluir
      2. O que a anta de cima quis dizer fora de forma com a biles?

        Excluir

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.